Menu
Busca quarta, 26 de setembro de 2018
(67) 9860-3221
PESCA PREDATÓRIA

Polícia Militar Ambiental prende paranaense que pescava com petrechos ilegais

15 setembro 2017 - 17h05

Faça sua matéria aquiDurante operação de fiscalização preventiva no rio Baía no município, Policiais Militares Ambientais de Batayporã prenderam ontem (14), no final da tarde, um pescador de 44 anos, por pesca predatória. A PMA encontrou o pescador, que praticava pesca com uso de redes (petrechos proibidos).

O infrator já havia capturado 12 kg de pescado, apesar de iniciar a pescaria. Os peixes apresentavam marcas de captura por petrecho de emalhar (petrecho proibido). O pescado e três redes de pesca foram apreendidos.

O infrator (44), residente em Loanda (PR), recebeu voz de prisão e foi encaminhado, juntamente com o material, à delegacia de Polícia Civil de Batayporã, onde ele foi autuado em flagrante por crime de pesca predatória. Ele poderá pegar pena um a três anos de detenção. A PMA o autuou e multou em R$920.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ESPORTE
Delegação do MS inicia hoje participação nos Jogos Escolares em SC
CAMPO GRANDE
Idoso que foi filmado estuprando criança é condenado a oito anos de prisão
FUTEBOL
Flamengo e Corinthians decidem vaga na Copa do Brasil
SETEMBRO AMARELO
Caminhada pela Vida acontece sábado em Dourados
NOVELA
"Espelho da Vida" apresenta história forte e cativante no primeiro capítulo
DOURADOS
Terceira rodada da Copa Abevê teve início ontem
BRASIL
Após procedimento na próstata, Ciro Gomes passará por reavaliação
MIDAS
Nova fase de operação mira suspeitos de roubo e latrocínio em MS
ELEIÇÕES 2018
Confira as diferenças entre os sistemas majoritário e proporcional
JUSTIÇA
TSE faz sequência de julgamentos às vésperas das eleições

Mais Lidas

DOURADOS
Polícia encontra bilhete com “mula” e fecha entreposto de drogas no Estrela Porã
OPERAÇÃO REMAKE
Gaeco cumpre mandados e apura desvio de R$ 670 mil em sindicato
BR-163
Gol carregado com maconha é apreendido em Dourados
ÁGUA BOA
Homem armado invade casa e leva dinheiro da vítima