Menu
Busca sexta, 21 de fevereiro de 2020
(67) 9860-3221

Polícia Federal ainda não definiu quando irá agir em Japorã

20 janeiro 2004 - 16h30

A Polícia Federal ainda não definiu como será desencadeada a operação para a retirada dos índios que invadiram as fazendas na região de Japorã, na fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai. Hoje vence o prazo para que as famílias indígenas deixem a área invadida em dezembro. Somente a partir de amanhã é que deve ser organizada a estratégia, a cargo da Superintendência da PF no Estado, em cumprimento ao mandado de reintegração de posse expedido na semana passada pelo juiz federal Odilon de Oliveira. O superintendente teria agendado ainda para a tarde de hoje um encontro com o indigenista Cláudio Romero, que está visitando a região desde o final de semana e que neste momento estaria se deslocando da área de conflito para Campo Grande, levando um posicionamento atualizado sobre a situação de Japorã.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CORONAVÍRUS
Brasil fiscaliza entrada de passageiros de 7 países da Ásia
ECONOMIA
Dólar tem leve alta nesta sexta e renova patamar recorde de fechamento
CAMPO GRANDE
Juíza busca parceria para ampliação do Família Acolhedora
DÁ TEMPO
Ainda não decidiu para onde ir no Carnaval? MS tem opção para todos os gostos
CIRCUITO DE SEGURANÇA
Polícia divulga imagens de penitenciária da fronteira em noite de 'fuga em massa'
BRASIL
Corpo do ex-PM Adriano é liberado para sepultamento após segundo exame
IMUNIZAÇÃO
Campanha de vacinação contra o sarampo segue até março
INTERIOR
Após perseguição, traficante abandona carro com 850kg de maconha em matagal
SEGURANÇA PÚBLICA
PM inicia operações para inibir crimes durante Carnaval em MS
REGIÃO
Jiboia de três metros é encontrada por trabalhadores em posto fiscal

Mais Lidas

DOURADOS
Mulher ameaça se jogar de torre no Jardim Guaicurus
DOURADOS
Júri termina com réu condenado a 15 anos por matar desafeto em 2018
DOURADOS
Fechamento e promoções levam multidão a fazer fila em hipermercado
DOURADOS
Polícia vai ao Guaicurus e prende condenado por pedofilia