Menu
Busca segunda, 19 de novembro de 2018
(67) 9860-3221
MORTO A PAULADAS

Polícia analisa imagens em busca de suspeitos pela morte de mecânico

12 julho 2018 - 08h16Por Adriano Moretto e Osvaldo Duarte

Policiais civis do SIG (Setor de Investigações Gerais) estão em posse de imagens de câmeras de segurança de residências e estabelecimentos da região onde o mecânico Vilmar Inácio Schneider, 68, foi morto. 

Populares encontraram o corpo dele na casa onde residia, na rua Eikishi Sakaguti, no bairro Altos do Indaiá, em Dourados, na manhã de terça-feira (10/7).

O idoso acabou golpeado por diversas vezes, principalmente na cabeça, com uma espécie de cabo de enxada. 

Schneider trabalhava como mecânico de veículos e máquinas pesadas e passava semanas em propriedades rurais prestando serviço. Quando retornava, ingeria grande quantidade de bebidas alcoólicas. 

Na casa ele também recebia dependentes de álcool e drogas. A polícia ainda não divulgou se já há suspeitos pelo crime.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAMPO GRANDE
Homem é encontrado morto e nú em estrada da Capital
DOURADOS
Panambi conquista invicto o tricampeonato Interdistrital
DOURADOS
Policia Militar apreende arma, drogas e 15 pessoas são presas durante a operação Proclamação da República
INTERNACIONAL
Os melhores hotéis do mundo
BRASIL
A pouco mais de um mês para posse, equipe econômica está quase fechada
DOURADOS
Concessionária diz trabalhar em área afetada por queda de árvore e previsão de retorno de energia é até as 22h
FUTEBOL
Rivais tropeçam e apimentam Fluminense x Ceará no Brasileirão
MS
Publicados novos valores das unidades monetária e de referência do MS
ECONOMIA
PIB per capita de MS cresceu 4,5 vezes em 14 anos
BRASIL
Relatório alerta que há 45 barragens sob ameaça de desabamento

Mais Lidas

TEMPORAL
Fortes ventos derrubam mais de 30 árvores e deixa rastro de destruição em Dourados
FACADAS
Traficante brasileiro mata namorada dentro de cela no Paraguai
TEMPORAL
Ventos fortes derrubam árvores em Dourados
DOURADOS
Antes de ser assassinado, homem passou por ‘tribunal do crime’