Menu
Busca domingo, 18 de novembro de 2018
(67) 9860-3221

Ônibus escolar sofre atentado em aldeia de Miranda

05 junho 2011 - 06h18

Lideranças do povo Terena da Terra Indígena “Cachoeirinha”, município de Miranda, denunciaram que na sexta-feira, dia 03 de junho, por volta das 23h30, o ônibus escolar utilizado no transporte dos alunos que estudam na rede escolar no município de Miranda, sofreu um ataque com pedras e tentativa de incêndio, no retorno para a aldeia.

Segundo os indígenas, o ataque ocorreu logo depois que o ônibus entrou na área indígena, cerca de 300 metros da rodovia. Com cerca de 30 alunos, o veículo, num primeiro momento, foi cercado e pedras foram atiradas, estourando os seus vidros. Em seguida, objetos pegando fogo foram atirados contra o ônibus numa tentativa de incendiá-lo.

As lideranças indígenas relatam que o motorista, na tentativa de se salvar abandonou o veículo ainda em movimento, enquanto os alunos tentavam sair pelas janelas quebradas.

Quatro alunos sofreram queimaduras, sendo que um deles foi levado para Campo Grande e está internado na Santa Casa.

A Polícia de Miranda esteve no local e, segundo os indígenas, autorizou a remoção do veículo sem realizar nenhum tipo de perícia. Nesta manhã lideranças da aldeia estiveram na Delegacia de Polícia em Miranda para exigir investigações. E denunciam que, a negligência policial é uma tentativa de criminalizar integrantes do povo, ao sugerir como causas do atentado conflito interno da área.

As lideranças relatam que recolheram objetos possivelmente deixados pelos agressores. E que, já há alguns dias, os alunos teriam percebido que uma moto com dois ocupantes rondava o ônibus no trajeto até a aldeia.

O povo Terena de Cachoeirinha possui várias de suas lideranças ameaçadas de morte devido à luta travada pela desintrusão de fazendeiros de suas terras tradicionais já identificadas e declaradas pelo Governo Federal. É o caso de parte da fazenda “Petrópolis”, onde incide o ex-governador de MS, Pedro Pedrossian, fazenda “Charqueada”, que recentemente teve parte de sua área retomada pelo povo Terena, entre outras, que também incidem sobre a terra indígena.

Devido às ameaças, em abril passado, a comunidade recebeu a visita da Equipe Técnica Federal do Programa de Proteção de Defensores dos Direitos Humanos – PPDDH, da Secretaria Especial de Direitos Humanos. Na ocasião, diversas denúncias foram feitas, sendo inclusive recomendada a inclusão de lideranças Terena no programa de proteção.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAMPO GRANDE
Homem que se jogou do nono andar de hotel passa por cirurgia no braço
TEMPORAL
Fortes ventos derrubam mais de 30 árvores e deixa rastro de destruição em Dourados
CONCURSOS
Ao menos 13 órgãos abrem inscrições nesta segunda para 1300 vagas
CAMPO GRANDE
Corpo carbonizado é encontrado dentro de carro destruído pelo fogo
TEMPORAL
Ventos fortes derrubam árvores em Dourados
CONCURSO
Itaporanense conquista o título de Mister Personalidade de Las Américas
IGUATEMI
Mulher contratada por presidiário é presa com explosivos na MS-295
EMPREGO
Idosos no mercado de trabalho é recorde, mas sem carteira assinada
CORUMBÁ
Briga generalizada acaba com jovem morto esfaqueado mais de 10 vezes
JUSTIÇA
Reforma do Fórum de Nova Andradina será entregue terça-feira

Mais Lidas

DOURADOS
Bandido armado faz arrastão do Flórida ao Centro durante a noite
DOURADOS
Dupla desobedece ordem de parada, é perseguida e acaba presa em flagrante por porte de arma
FACADAS
Traficante brasileiro mata namorada dentro de cela no Paraguai
CAMPO GRANDE
Homem se joga do 9° andar de hotel luxuoso na Capital