Menu
Busca quarta, 21 de novembro de 2018
(67) 9860-3221

MP investiga Cartório por “legalizar” carros roubados

26 maio 2011 - 13h50

O MPE (Ministério Público Estadual) comarca de Amambaí vai investigar a dona do cartório do município de Coronel Sapucai, Mafalda Donaria Viana Bonete, após indícios que fraudes nos registros tardios e de firma teriam contribuído para que cidadãos paraguaios falsificassem a documentação de veículos roubados no Brasil e os legalizassem no Paraguai.

De acordo com as investigações, sem qualquer nenhum documento de comprovação das informações prestadas, a proprietária do cartório cobrava R$ 20 parar os cartões de registro de firma em seu cartório em nomes de supostas testemunhas, que muitas não eram encontradas, quando procuradas.

Ela ainda confessou que nunca recolheu o ISS (imposto sobre serviços).
De acordo com Etéocles Brito Mendonça Dias Júnior, Mafalda Donaria Viana Bonete, já está sendo processada por improbidade administrativa, por irregularidades na direção do cartório.

Em seu depoimento, Mafalda confessou que ela mesma realizava os registros, em que foram observados os erros em numeração de páginas, falta de testemunhas ou com informações inverídicas de endereços, em que ela não teria procurado comprovar a veracidade dos dados.

Mesmo negando que paraguaios assinavam como testemunhas, o que é proibido, ela é desmentida com as próprias certidões de seu cartório. Na ocasião, até mesmo pessoas nascidas na cidade paraguaia vizinha de Capitán Bado teriam sido registradas tardiamente como brasileiras.

De acordo com o promotor Eteócles, Mafalda alegou que não reconheceu o sotaque em Guarani e ou Castelhano dos paraguaios. No entanto em seu depoimento afirma que sempre viveu na fronteira e conhece bem as duas línguas.
A dona do cartório também não poderia traduzir documentos oficiais, sem conhecimentos especializados na área de línguas para tal serviço, isso teria contribuído para irregularidades, pois ela prestava este tipo de serviço.
O promotor afirma que posteriormente poderá ter uma linha de investigação mais extensa, que extrapole o objetivo inicial da ação para apurar essa situação das traduções ilegais de documentos.
A denúncia do Ministério Público está sendo apreciado no processo 004.11.000396/2, na comarca de Amambai. Mafalda responde o processo por improbidade administrativa e já foi notificada judicialmente para apresentar sua resposta.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BNH I PLANO
Grupo é detido depredando patrimônio público em Dourados
GERAL
Política sobre educação ambiental será votada nesta quarta-feira
EM CAMPO GRANDE
Estados do Centro-Oeste discutem sobre a Assistência Social
IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA
Inquérito apura possível funcionária fantasma em prefeitura de MS
ECONOMIA
Temer vai ao Chile para assinar acordo de livre comércio
MS
Lei que garante cães e gatos viajando com donos em ônibus começa a valer em MS
EDUCAÇÃO
UFGD convoca colaboradores para atuação no Vestibular de domingo
MAIS MÉDICOS
Começam hoje inscrições para 8,5 mil vagas para substituir cubanos
BRASÍLIA
Bolsonaro se reúne nesta quarta com embaixadores e equipe de transição
TELEVISÃO
Chef de Mato Grosso do Sul é eliminado do Masterchef Profissionais

Mais Lidas

BORORÓ
Adolescente morre ao tocar em cerca elétrica em Dourados
DOURADOS
Homem que energizou cerca onde menor morreu é preso em flagrante por homicídio
FAZENDA
Sobrinho de prefeito de MS é sequestrado e executado no Paraguai
DOURADOS
Servidor afastado após a “Pregão” é excluído de Comissão