Menu
Busca segunda, 25 de março de 2019
(67) 9860-3221

MP investiga Cartório por “legalizar” carros roubados

26 maio 2011 - 13h50

O MPE (Ministério Público Estadual) comarca de Amambaí vai investigar a dona do cartório do município de Coronel Sapucai, Mafalda Donaria Viana Bonete, após indícios que fraudes nos registros tardios e de firma teriam contribuído para que cidadãos paraguaios falsificassem a documentação de veículos roubados no Brasil e os legalizassem no Paraguai.

De acordo com as investigações, sem qualquer nenhum documento de comprovação das informações prestadas, a proprietária do cartório cobrava R$ 20 parar os cartões de registro de firma em seu cartório em nomes de supostas testemunhas, que muitas não eram encontradas, quando procuradas.

Ela ainda confessou que nunca recolheu o ISS (imposto sobre serviços).
De acordo com Etéocles Brito Mendonça Dias Júnior, Mafalda Donaria Viana Bonete, já está sendo processada por improbidade administrativa, por irregularidades na direção do cartório.

Em seu depoimento, Mafalda confessou que ela mesma realizava os registros, em que foram observados os erros em numeração de páginas, falta de testemunhas ou com informações inverídicas de endereços, em que ela não teria procurado comprovar a veracidade dos dados.

Mesmo negando que paraguaios assinavam como testemunhas, o que é proibido, ela é desmentida com as próprias certidões de seu cartório. Na ocasião, até mesmo pessoas nascidas na cidade paraguaia vizinha de Capitán Bado teriam sido registradas tardiamente como brasileiras.

De acordo com o promotor Eteócles, Mafalda alegou que não reconheceu o sotaque em Guarani e ou Castelhano dos paraguaios. No entanto em seu depoimento afirma que sempre viveu na fronteira e conhece bem as duas línguas.
A dona do cartório também não poderia traduzir documentos oficiais, sem conhecimentos especializados na área de línguas para tal serviço, isso teria contribuído para irregularidades, pois ela prestava este tipo de serviço.
O promotor afirma que posteriormente poderá ter uma linha de investigação mais extensa, que extrapole o objetivo inicial da ação para apurar essa situação das traduções ilegais de documentos.
A denúncia do Ministério Público está sendo apreciado no processo 004.11.000396/2, na comarca de Amambai. Mafalda responde o processo por improbidade administrativa e já foi notificada judicialmente para apresentar sua resposta.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SAÚDE
MS tem a terceira maior incidência de casos de dengue do Brasil
IMUNIZAÇÃO
Vacina contra a gripe deve atingir 79 mil pessoas em Dourados
FUTEBOL
Casemiro vestirá a braçadeira contra a República Tcheca
DOURADOS
Câmara recebe visitas durante reunião pré-pauta desta segunda-feira
ARTIGO
Dourados: novos pilares do desenvolvimento
ECONOMIA
Brasil e Chile reforçam compromisso para viabilizar Corredor Bioceânico passando por MS
POLÍCIA
PRF apreende 350 mil maços de cigarros contrabandeados na BR-163
BRASIL
País cria 173 mil empregos, maior resultado para fevereiro desde 2014
DOURADOS
Corpo encontrado no Flor de Maio estava há cerca de 30 dias no local
LAVA-JATO
Justiça determina soltura do ex-presidente Michel Temer

Mais Lidas

TRÂNSITO
Homem morre após ser atropelado por motorista que fugiu do local do acidente
DOURADOS
Após brigar com a mulher, motorista bêbado invade e destrói oficina na Monte Alegre
RIO BRILHANTE
Homem é assassinado após matar e comer galo do vizinho
PONTA PORÃ
Homem em caminhonete é executado a tiros na região de fronteira