Menu
Busca quinta, 18 de julho de 2019
(67) 9860-3221

MP investiga Cartório por “legalizar” carros roubados

26 maio 2011 - 13h50

O MPE (Ministério Público Estadual) comarca de Amambaí vai investigar a dona do cartório do município de Coronel Sapucai, Mafalda Donaria Viana Bonete, após indícios que fraudes nos registros tardios e de firma teriam contribuído para que cidadãos paraguaios falsificassem a documentação de veículos roubados no Brasil e os legalizassem no Paraguai.

De acordo com as investigações, sem qualquer nenhum documento de comprovação das informações prestadas, a proprietária do cartório cobrava R$ 20 parar os cartões de registro de firma em seu cartório em nomes de supostas testemunhas, que muitas não eram encontradas, quando procuradas.

Ela ainda confessou que nunca recolheu o ISS (imposto sobre serviços).
De acordo com Etéocles Brito Mendonça Dias Júnior, Mafalda Donaria Viana Bonete, já está sendo processada por improbidade administrativa, por irregularidades na direção do cartório.

Em seu depoimento, Mafalda confessou que ela mesma realizava os registros, em que foram observados os erros em numeração de páginas, falta de testemunhas ou com informações inverídicas de endereços, em que ela não teria procurado comprovar a veracidade dos dados.

Mesmo negando que paraguaios assinavam como testemunhas, o que é proibido, ela é desmentida com as próprias certidões de seu cartório. Na ocasião, até mesmo pessoas nascidas na cidade paraguaia vizinha de Capitán Bado teriam sido registradas tardiamente como brasileiras.

De acordo com o promotor Eteócles, Mafalda alegou que não reconheceu o sotaque em Guarani e ou Castelhano dos paraguaios. No entanto em seu depoimento afirma que sempre viveu na fronteira e conhece bem as duas línguas.
A dona do cartório também não poderia traduzir documentos oficiais, sem conhecimentos especializados na área de línguas para tal serviço, isso teria contribuído para irregularidades, pois ela prestava este tipo de serviço.
O promotor afirma que posteriormente poderá ter uma linha de investigação mais extensa, que extrapole o objetivo inicial da ação para apurar essa situação das traduções ilegais de documentos.
A denúncia do Ministério Público está sendo apreciado no processo 004.11.000396/2, na comarca de Amambai. Mafalda responde o processo por improbidade administrativa e já foi notificada judicialmente para apresentar sua resposta.

Deixe seu Comentário

Leia Também

COMBUSTÍVEIS
Petrobras reduz preço da gasolina em 2,14% e diesel em 2,15% amanhã
SAÚDE
A cada duas notificações por dengue, um caso foi confirmado em Dourados
ECONOMIA
Dólar fecha em queda e cai ao menor patamar em quase cinco meses
TRÁFICO
Polícias estaduais apreendem cerca uma tonelada de maconha por dia em MS
BRASIL
Mais de 11 mil famílias pediram desligamento do Bolsa Família em 2019
RECURSOS
Repasses do Estado para a saúde de Dourados atingem quase R$ 20 milhões em 2019
DONA DO PEDAÇO
Maria da Paz flagra conversa de Jô e Régis depois de se recusar a comprar mansão
COMER BEM
Bolo de Banana sem Farinha e sem Açúcar
MATO GROSSO DO SUL
Desembargadores negam recurso a homem condenado por estelionato
TACURU
Cocaína é apreendida dentro de ônibus na região Sul de MS

Mais Lidas

DOURADOS
Execução de comerciante douradense foi “comemorada” com tiros em bairro da periferia
DOURADOS
Indígenas invadem propriedade e atacam policiais com flechas e coquetel molotov
DINHEIRO NOVO
Governo deve anunciar ainda esta semana a liberação de saques do FGTS
POLÍCIA
Polícia prende ladrão de moto e descobre ‘boca de fumo’ no Dioclécio Artuzi