Menu
Busca quarta, 13 de novembro de 2019
(67) 9860-3221

MP investiga Cartório por “legalizar” carros roubados

26 maio 2011 - 13h50

O MPE (Ministério Público Estadual) comarca de Amambaí vai investigar a dona do cartório do município de Coronel Sapucai, Mafalda Donaria Viana Bonete, após indícios que fraudes nos registros tardios e de firma teriam contribuído para que cidadãos paraguaios falsificassem a documentação de veículos roubados no Brasil e os legalizassem no Paraguai.

De acordo com as investigações, sem qualquer nenhum documento de comprovação das informações prestadas, a proprietária do cartório cobrava R$ 20 parar os cartões de registro de firma em seu cartório em nomes de supostas testemunhas, que muitas não eram encontradas, quando procuradas.

Ela ainda confessou que nunca recolheu o ISS (imposto sobre serviços).
De acordo com Etéocles Brito Mendonça Dias Júnior, Mafalda Donaria Viana Bonete, já está sendo processada por improbidade administrativa, por irregularidades na direção do cartório.

Em seu depoimento, Mafalda confessou que ela mesma realizava os registros, em que foram observados os erros em numeração de páginas, falta de testemunhas ou com informações inverídicas de endereços, em que ela não teria procurado comprovar a veracidade dos dados.

Mesmo negando que paraguaios assinavam como testemunhas, o que é proibido, ela é desmentida com as próprias certidões de seu cartório. Na ocasião, até mesmo pessoas nascidas na cidade paraguaia vizinha de Capitán Bado teriam sido registradas tardiamente como brasileiras.

De acordo com o promotor Eteócles, Mafalda alegou que não reconheceu o sotaque em Guarani e ou Castelhano dos paraguaios. No entanto em seu depoimento afirma que sempre viveu na fronteira e conhece bem as duas línguas.
A dona do cartório também não poderia traduzir documentos oficiais, sem conhecimentos especializados na área de línguas para tal serviço, isso teria contribuído para irregularidades, pois ela prestava este tipo de serviço.
O promotor afirma que posteriormente poderá ter uma linha de investigação mais extensa, que extrapole o objetivo inicial da ação para apurar essa situação das traduções ilegais de documentos.
A denúncia do Ministério Público está sendo apreciado no processo 004.11.000396/2, na comarca de Amambai. Mafalda responde o processo por improbidade administrativa e já foi notificada judicialmente para apresentar sua resposta.

Deixe seu Comentário

Leia Também

EDUCAÇÃO
Prazo para inscrições em prêmio da Capes termina hoje
CAARAPÓ
Polícia apreende maconha e skunk em caminhonete
PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA
Veículos pesados terão restrição de tráfego nas BR's de MS por três dias
ASSEMBLEIA
Projeto do Executivo que altera tributos é aprovado
BRASIL
Gabaritos oficiais do Enem já estão disponíveis na internet
PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA
Mais de 200 mil veículos devem passar pela BR-163 durante o feriado
DOURADOS
Catarinense é preso com maconha dentro de ônibus
CONTRABANDO
Carro abarrotado de cigarros é apreendido escondido em canavial
BRICS
Brasil e China firmam acordos em áreas como política, comércio e saúde
INFORME PUBLICITÁRIO
Saad Lorensini lança paraíso para chamar de lar em Dourados

Mais Lidas

DOURADOS
Polícia prende cadeirante que comandava quadrilha formada por menores
DOURADOS
Morto em acidente prestava serviços a indústria e teria invadido pista contrária
DOURADOS
Homem sofre acidente de trabalho e morre após ter 80% do corpo queimado
DOURADOS
Ex-secretário de Saúde e empresário são levados à PED e defesas tentam liberdade