Menu
Busca sábado, 20 de julho de 2019
(67) 9860-3221
MASSACRE EM SAN PEDRO

Ministro paraguaio promete expulsar membros do PCC após motim com 10 mortos

17 junho 2019 - 11h42Por Vinicios Araújo, com ABC Color

O ministro de Interior do Paraguai Juan Ernesto Villamayor, garantiu em entrevista ao ABC Color que o país irá expulsar todos os membros do PCC (Primeiro Comando da Capital) com pendências no Brasil. A afirmação foi dita após o massacre com 10 mortos na prisão de San Pedro, cidade paraguaia distante 254 quilômetros de Paranhos.

"Vamos expulsá-los, vamos chutar todos os que têm casos pendentes no Brasil", disse ele ressaltando que serão expulsos somente aqueles com processos na Justiça brasileira, caso contrário estariam libertando criminosos. 

Durante a entrevista ao jornal paraguaio, Villamayor disse que apesar do ministério de Interiores não ser responsável pelo sistema prisional, oferece suporte ao ministério da Justiça. 

"Nós compartilhamos faltas, as responsabilidades estão divididas", disse ao comentar as demissões de autoridades e servidores da unidade penal onde ocorreu o atentado. 

Julio Javier Rios, Ministro da Justiça do Paraguai, disse que trabalha junto às autoridades brasileira na identificação dos presos membros do PCC. Ao ABC ele confirmou que a decisão de expulsão é considerada e explicou que as mortes registradas no atentado em San Pedro é resultado da rivalidade entre a facção brasileira e a organização criminosa paraguaia Rotela Clan.

Sobre o massacre, Rios disse que não descarta que a situação tenha ocorrido devido à negligência ou cumplicidade dos policiais e dos próprios guardas da prisão com os criminosos.

O atentado aconteceu ontem à noite e terminou com a morte de 10 presos, todos membros da facção paraguaia. Eles foram identificados como Nelson Pereira, Hugo Díaz, Sergio Cabrera, Carlos Segovia, Lucas Ayala, Júnior Diaz, Denis Paredes, Alcides Paredes, Bruno Cutier e José Osorio. Outros 12 detentos ficaram feridos. 

Em suas declarações, o ministro da Justiça não fez uma previsão encorajadora sobre a guerra às drogas no Paraguai. "É uma luta terrível de duas facções, o pior é que isso não vai terminar ainda", disse ele ao ABC.

Rios mencionou que, devido à presença de inúmeros internos de gangues de traficantes, o sistema prisional paraguaio está constantemente em alerta. 
"Temos membros dessas facções em 90% das prisões do país, temos aproximadamente 400 pessoas do PCC", estimou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

NORONHA
Isis Valverde relembra foto de biquíni em cenário paradisíaco
FATALIDADE
Vítimas de grave acidente em Bataguassu serão veladas neste sábado
JUSTIÇA
Direitos da criança e do índio são preservados em adoções por indígenas
CAPITAL
Polícia pede prisão de comerciante suspeito de matar o próprio tio
LEGISLAÇÃO
Detran esclarece Lei que permite transferência de multas e pontos na CNH
CORRUPÇÃO
Traficantes acusam polícia paraguaia de cobrar R$ 30 mil para liberar droga
ESPORTES
Mundo Novo abre a 2ª fase da Copa Assomasul de futebol
CORUMBÁ
Justiça nega prisão de médico suspeito de cobrar por cirurgia do SUS
CAMPO GRANDE
Homem agride ex-esposa gestante em posto de saúde e acaba preso
MINISTÉRIO PÚBLICO
Concurso da PRF: após ação, banca convoca mais candidatos negros

Mais Lidas

DOURADOS
Homem é baleado com quatro tiros no Estrela Verá
DOURADOS
AGORA: Homem é baleado no Estrela Verá
INVESTIGAÇÕES
Preso no RJ, suspeito de planejar morte de “chefão da fronteira” é acusado de lavagem de dinheiro em MS
FRONTEIRA
Pistoleiro preso acusado de matar fazendeiro é membro do Comando Vermelho