Menu
Busca quinta, 19 de setembro de 2019
(67) 9860-3221

Ministro da Justiça regulariza situação de policiais federais

17 dezembro 2003 - 10h53

O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, assinou ontem despacho que prevê o apostilamento de 11% do efetivo da Polícia Federal. O ato reconhece a estabilidade dos servidores que trabalhavam sub júdice desde 1993, por terem contestado o concurso realizado naquele ano. Em razão disso dependiam de liminar para se manterem no cargo. Com a assinatura do despacho ministerial, passam a trabalhar com o título de concursados.A decisão abrange delegados, peritos criminais, escrivãos, agentes e papiloscopistas que participaram do concurso realizado em 1993. Thomaz Bastos disse que está satisfeito em concretizar esta ação, prometida na posse do diretor do Departamento da Polícia Federal, Paulo Lacerda."Tivemos muito obstáculos e dificuldades, mas havia desde o começo a intenção de levar adiante este despacho elaborado pelo ministro Miguel Reale Jr.", disse o ministro.

Deixe seu Comentário

Leia Também

UAU
Irmã de Luan Santana posa de biquíni e recebe elogios: 'obra de arte'
ANGÉLICA
Jovem é preso por levar pistola de uso restrito para escola e ameaçar alunos
DOURADOS
Praça Antonio João terá mobilização pela Semana da Árvore no sábado
RIO GRANDE DO SUL
Justiça condena União a indenizar professora perseguida na ditadura
MEIO AMBIENTE
Jaguatirica capturada ferida em pousada é lavada para reabilitação
MIRANDA
Pecuarista é multado em R$ 17 mil por desmatamento em área protegida
ESTADOS UNIDOS
Bolsonaro viajará para assembleia da ONU em NY, diz porta-voz
CRIME AMBIENTAL
Construtor é autuado por caça e pesca predatórias e porte de arma
STJ
INSS deve pagar por afastamento de vítima de violência doméstica
CAPITAL
Gerente desvia R$1,2 milhão e compra casa em condomínio de luxo

Mais Lidas

DOURADOS
De assaltante frustrado a autor de furto, jovem agora é apontado como assassino frio e cruel
DOURADOS
“Terror”: Empresário foi agredido e ameaçado de morte durante roubo de joias
CRIME BRUTAL
Após matar pai e filho, assassino arrancou cérebro de menor e manteve fogo aceso para queimar corpos
DOURADOS
Interno foge da PED durante trabalho de manutenção