Menu
Busca quinta, 17 de outubro de 2019
(67) 9860-3221
DOURADOS

Após cinco assassinatos em uma semana, indígenas buscam solução para coibir crimes em aldeias

15 junho 2019 - 11h15Por Gizele Almeida e Osvaldo Duarte

Na segunda-feira (17), lideranças indígenas de Dourados devem se reunir com o secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Antônio Carlos Videira, em Campo Grande, para debater a violência na Reserva Indígena da maior cidade do interior de Mato Grosso do Sul. 

De acordo com o líder indígena, Israel Morales, o encontro está agendado para 10h30 na sede da Governadoria. 

Morales disse que representantes da aldeia Jaguapirú, aldeia Bororó e de aldeias de Caarapó estarão na reunião, a qual é buscada há tempos pelos mesmos. 

“Nós tentamos essa conversa já algum tempo e o motivo é buscar apoio e mais segurança para nosso povo, que tem sofrido com a violência” disse. 

Ele cita exemplos de assassinatos ocorridos, como o noticiado pelo Dourados News, nesta manhã (15). Dois indígenas foram mortos brutalmente nas proximidades da Missão Caiuás. Tratava-se de tio e sobrinho que foram mortos com golpes de facão. 

O representante afirma de que o grupo irá propor ao Estado, que seja autorizada a presença constante da Polícia Militar na aldeia. 

“Nós queremos a PM nas aldeias. Essa medida ajudaria muito, pois, colocar a segurança apenas a cargo da Polícia Federal está dificultando”, disse. 

Outros pontos abordados na pauta, serão o fácil acesso dos indígenas a álcool de drogas nas aldeias de Dourados. 

SEQUÊNCIA DE ASSASSINATOS

Entre os dias 07 e 14 de junho, cinco mortes violentas foram registradas na Reserva Indígena. 

O primeiro caso ocorreu no dia 07 de junho. O casal Rosilene Rosa Pedro, 34, e Osvaldo Ferreira, 38, foi morto na aldeia Bororó. 

A mulher sofreu abuso sexual antes de ser morta. Os dois foram mortos com golpes de facão. O motivo seria o medo de que Rosilene e Osvaldo revelassem algo sobre outro crime ocorrido anteriormente na aldeia. 

Já no dia 12 de junho, um corpo foi encontrado em um poço desativado na Reserva Indígena, sendo posteriormente identificado como Júnior Abraão da Silva, 22. 

O crime foi motivado por ciúmes, conforme apurou a polícia.  Um adolescente de 16 anos foi apreendido e Maycon Oliveira de Souza, 20, acabou preso pelo crime.  A vítima mantinha relacionamento com a atual namorada de Maycon, que, com ciúme, combinou com o menor de mata-lo. 

Já nesta sexta-feira (14), Josias da Silva Machado, 48, e Pedro Avila Morales Filho,19, respectivamente tio e sobrinho, foram assassinados na Reserva Indígena, próximo a Missão Caiuás.

Conforme mostrado pelo Dourados News, a suspeita que o duplo homicídio tenha sido realizado por grupo de três ou quatro pessoas. 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

SORTE
Aposta única acerta as 6 dezenas e fatura R$ 34 milhões na Mega-Sena
AÇÃO
Choque vem a Dourados para pente-fino na PED
POLÍTICA
Membros da Frente da Suinocultura tomam posse hoje na Assembleia de MS
BRASIL
Eduardo Bolsonaro é indicado novo líder do PSL na Câmara do Deputados
UEMS
Terminam hoje as inscrições do workshop “Redação de Patentes - Além dos Guias”
JUDICIÁRIO
Supremo julga nesta quinta-feira prisão após segunda instância
DINHEIRO NOVO
Pagamento do Pis/pasep aos nascidos em outubro começa nesta quinta
SÃO PAULO
Carreta carregada com material bélico do Exército tomba na divisa com MS
TEMPO
Quinta-feira de sol com aumento de nebulosidade em Dourados
INVESTIMENTO
MEC vai liberar mais R$ 43 milhões para 96 obras em universidades

Mais Lidas

POLÍCIA
Irmãos são detidos após polícia encontrar droga no Jardim Flórida
DOURADOS
Ciclista morre no HV após ser atropelado por ônibus
DOURADOS
UPA passa a atender apenas casos de urgência e emergência
EXPULSÃO
Chefão do narcotráfico é entregue à Polícia Federal brasileira