Menu
Busca terça, 26 de março de 2019
(67) 9860-3221
DOURADOS

Justiça negou outros três pedidos de prisão dentro da Operação Pregão

09 novembro 2018 - 17h20Por Da Redação

Foram sete os pedidos de prisão preventiva solicitados junto à Justiça pelo Ministério Público Estadual, da qual apenas quatro acabaram atendidos, todos cumpridos na Operação Pregão, desencadeada no dia 31 de outubro em Dourados.

A ação, que apura fraudes em licitações no município, teve ainda outros 16 mandados de busca e apreensão expedidos. 

João Fava Neto, então secretário de Fazenda da prefeita Délia Razuk (PR), o chefe do departamento de licitação, Anilton Garcia de Souza e o empresário Messias José da Silva, dono da Douraser, uma das empresas envolvidas no suposto esquema, estão na PED (Penitenciária Estadual de Dourados), desde o dia 31. 

Já a vereadora Denize Portollan (PR), que na época atuava como secretária de Educação, foi encaminhada no dia 1º de novembro para o presídio feminino de Rio Brilhante. 

Além dos quatro, o Ministério Público pediu a prisão preventiva de Ivan Félix de Lima, Pedro Brum Vasconcelos Oliveira e Rodrigo Gomes da Silva. Porém, o pedido foi negado pelo Luiz Alberto de Moura Filho.

Conforme a denúncia, que corre em segredo de justiça, quatro empresas são investigadas por participação no esquema. 

A GTX Serviços de Engenharia e Construção Ltda., Energia Engenharia e Serviços, Douraser Prestadora de Serviços de Limpeza e Conservação e a MS Slots Consultoria Técmica. 

As investigações apontam para a realização de cotações em valores elevados e obtidos com empresas de fachada. 

“No intuito de garantir o sucesso da empreitada criminosa, consistente na contratação da empresa previamente ajustada e por preços elevados, utilizam-se das práticas de manipulação de dados, e cancelamentos de licitações, sem qualquer fundamento plausível, além de forçar a realização de dispensas licitatórias”, aponta trecho da denúncia, conforme o Campo Grande News.

A denúncia também aponta que João Fava Neto e Anilton Garcia de Souza criaram no fim de 2016, poucos meses antes de começarem a trabalhar na prefeitura, a empresa MS Slots Consultoria Técnica Ltda.

Para o MP, trata-se de empresa de fachada, para lavagem de dinheiro do esquema. O endereço da empresa é o mesmo endereço residencial de João Fava Neto.

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVA POLÍTICA DE PREÇOS
Petrobras vai reajustar diesel com intervalo mínimo de 15 dias
CAARAPÓ
Homem é assassinado a tiros por vizinha no bairro Shalon
CAPITAL
Homem cai em golpe de falsa pesquisa de satisfação e perde R$ 37 mil
JUSTIÇA
Pensão alimentícia é devida caso filho decida fazer faculdade
DOURADOS
Temperatura volta a ultrapassar 33°C e calor deve permanecer nesta semana
ESTELIONATO
Libanês é preso em Dourados após tentar aplicar golpe em banco
MATO GROSSO DO SUL
Portador de síndrome tem direito a tratamento em domicílio
COTAÇÃO
Dólar fecha em alta de olho na reforma da Previdência
BRASIL
Governo federal elabora plano de recuperação fiscal, sinaliza Guedes
CAMPO GRANDE
Homem morre horas após ser resgatado em Córrego

Mais Lidas

POLÍCIA
Corpo em avançado estado de decomposição é encontrado em Dourados
DOURADOS
Após brigar com a mulher, motorista bêbado invade e destrói oficina na Monte Alegre
DOURADOS
Corpo encontrado no Flor de Maio estava há cerca de 30 dias no local
PARABELLUM
Operação cumpre mandados de busca e apreensão em Dourados