Menu
Busca quarta, 15 de agosto de 2018
(67) 9860-3221
AUDIÊNCIA DE CUSTÓDIA

Justiça mantém prisão de quadrilha chefiada por “informante do tráfico”

17 outubro 2017 - 11h21Por Adriano Moretto e Osvaldo Duarte

A Justiça manteve a prisão em flagrante pelos crimes de porte ilegal de arma de fogo, associação criminosa e porte de entorpecentes para uso a quadrilha presa em Dourados no final de semana. A decisão ocorreu após audiência de custódia realizada na tarde de segunda-feira (16) no Fórum.

Jonya Lúcia Trote Couto, 52, conhecida como ‘mãe loira’ era quem comandava o grupo formado por mais três homens. Em 2010 ela acabou detida pela polícia carioca por envolvimento com facções criminosas nos morros do Rio de Janeiro, onde fazia o papel de informante de traficantes.

Além da mulher, Marcos Carvalho dos Santos, 40, o Gago, morador no Parque das Nações II, Higor Franca dos Santos, 19, o HG e Jonas Souza Rocha da Silva, o ‘Moita’ ou ‘Meio quilo’, ambos residentes em Itaporã, terminaram a ação presos.


O grupo permanece no 1º Distrito Policial de Dourados. 

O caso

Investigadores do SIG (Setor de Investigações Gerais) e NRI (Núcleo Regional de Inteligência) receberam informação de que a mulher estaria recrutando pessoas para atuar em assaltos na cidade, mais precisamente na região do Izidro Pedroso.

Em posse dos dados, os policiais começaram a monitorar o grupo. 

No sábado, receberam a informação que os três homens estariam num VW Golf prata e começaram a segui-los. Os suspeitos passaram pelas regiões do Parque das Nações, Parque do Lago e Vila Rosa, até parar na frente de uma residência na rua Alberto Leopoldo De La Cruz, no Izidro.

Eles desceram do veículo e caminharam pela região, quando ocorreu a abordagem. 

No carro em que estavam foram encontrados três toucas ninja e um revólver calibre 38. 

Após o flagrante, os policiais chegaram até a casa de Jonya, na Vila Rosa e apreenderam sete aparelhos de telefone celular, R$ 440, outra touca ninja, 18 correntes, pingentes, anéis, brinco e caderno contando várias anotações, além de 30 gramas de maconha.

Segundo as investigações, a mulher ainda trabalha para facções e cumpria ordens de pessoas de dentro dos presídios.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

PROVOCOU
Nat Tanajura posa de fio dental cavado e confessa: "Sou danada"
BRASIL
Câmara aprova texto que permite à polícia agir para proteger mulheres
BRASIL
Cármen Lúcia tem reunião com grupo pró-Lula e grevista de fome
CIDADES
Inquérito Civil vai averiguar aumento indevido da conta de água e esgoto na Capital
BRASIL
STF retira de Moro trecho de delação sobre Lula e Mantega
MOUNTAIN BIKE
Atleta do MS conquista campeonato brasileiro no ES
ARTIGO
"Sempre é tempo de mudar"
COTAÇÕES
Dólar fecha em queda nesta terça, abaixo de R$ 3,90
DIGITALIZAÇÃO
Até outubro, todas as capitais receberão apenas sinal digital de TV
TRÁFICO
Polícia apreende carga com 165 kg de maconha e porção de skunk

Mais Lidas

DOURADOS
Polícia não descarta crime passional em caso de cabeleireiro morto a facadas
DOURADOS
Casal é preso por tráfico no João Paulo II após denúncia de populares
DOURADOS
Homem é assassinado no Jardim Piratininga
TRAGÉDIA
Motorista morre ao ter carro arrastado por 150m após colisão com carreta