Menu
Busca quarta, 23 de outubro de 2019
(67) 9860-3221
AUDIÊNCIA DE CUSTÓDIA

Justiça mantém prisão de quadrilha chefiada por “informante do tráfico”

17 outubro 2017 - 11h21Por Adriano Moretto e Osvaldo Duarte

A Justiça manteve a prisão em flagrante pelos crimes de porte ilegal de arma de fogo, associação criminosa e porte de entorpecentes para uso a quadrilha presa em Dourados no final de semana. A decisão ocorreu após audiência de custódia realizada na tarde de segunda-feira (16) no Fórum.

Jonya Lúcia Trote Couto, 52, conhecida como ‘mãe loira’ era quem comandava o grupo formado por mais três homens. Em 2010 ela acabou detida pela polícia carioca por envolvimento com facções criminosas nos morros do Rio de Janeiro, onde fazia o papel de informante de traficantes.

Além da mulher, Marcos Carvalho dos Santos, 40, o Gago, morador no Parque das Nações II, Higor Franca dos Santos, 19, o HG e Jonas Souza Rocha da Silva, o ‘Moita’ ou ‘Meio quilo’, ambos residentes em Itaporã, terminaram a ação presos.


O grupo permanece no 1º Distrito Policial de Dourados. 

O caso

Investigadores do SIG (Setor de Investigações Gerais) e NRI (Núcleo Regional de Inteligência) receberam informação de que a mulher estaria recrutando pessoas para atuar em assaltos na cidade, mais precisamente na região do Izidro Pedroso.

Em posse dos dados, os policiais começaram a monitorar o grupo. 

No sábado, receberam a informação que os três homens estariam num VW Golf prata e começaram a segui-los. Os suspeitos passaram pelas regiões do Parque das Nações, Parque do Lago e Vila Rosa, até parar na frente de uma residência na rua Alberto Leopoldo De La Cruz, no Izidro.

Eles desceram do veículo e caminharam pela região, quando ocorreu a abordagem. 

No carro em que estavam foram encontrados três toucas ninja e um revólver calibre 38. 

Após o flagrante, os policiais chegaram até a casa de Jonya, na Vila Rosa e apreenderam sete aparelhos de telefone celular, R$ 440, outra touca ninja, 18 correntes, pingentes, anéis, brinco e caderno contando várias anotações, além de 30 gramas de maconha.

Segundo as investigações, a mulher ainda trabalha para facções e cumpria ordens de pessoas de dentro dos presídios.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

LOTERIA
Mega-Sena acumula mais uma vez e prêmio vai a R$ 24 milhões
RURAL
Plantio da safra da Soja já atingiu 12,4% em Mato Grosso do Sul
UFGD
Evento leva pesquisa e extensão à praça Antônio João nesta quarta
JUDICIÁRIO
STF retoma nesta quarta julgamento sobre prisão após 2ª instância
CIRURGIAS PLÁSTICAS
Juiz manda prender médico Rondon, condenado por mutilar pacientes
INFORME PUBLICITÁRIO
Loja de materiais de construção traz caminhões com pisos direto da fábrica e aquece a briga pelo cliente
TEMPO
Quarta-feira de sol com algumas nuvens em Dourados; não chove
CHAPADÃO DO SUL
Motociclista morre após ser atingido por carro e arremessado contra muro
ÓLEO
Senadores pedem declaração de emergência ambiental no Nordeste
AMAMBAI
Homem é suspeito de esfaquear a filha após ser denunciado por estuprá-la

Mais Lidas

HAYEL BON FAKER
Homens são presos fazendo sexo em via pública em Dourados
DOURADOS
Três são presos após ‘batida’ em ‘boca de fumo’ no Jardim Pantanal
DOURADOS
“Se não pagar vocês não vão dormir, não vão ter paz”, ameaçou professora indígena presa por extorsão
DOURADOS
Suspeito de extorsão em área de conflito, policial é levado ao Presídio Militar da capital