Menu
Busca quinta, 20 de fevereiro de 2020
(67) 9860-3221
IRMA ZORZI

Detentas fazem buracos nas paredes para “ligar” celas em presídio

13 fevereiro 2020 - 22h05Por Da Redação

Agentes penitenciários descobriram buracos nas paredes interligando pelo menos quatro celas do Estabelecimento Penal Feminino Irmã Irma Zorzi, em Campo Grande, por dois dias consecutivos. A intenção, segundo boletim de ocorrência, era facilitara a comunicação e o contato entre as presas.

Segundo o boletim de ocorrência, o caso foi descoberto na terça-feira, 11 de fevereiro. Os buracos nas paredes “ligavam” as celas 4, 5 e 6. Durante o flagrante, Carine Pires Tatto, de 30 anos, confessou ser a responsável por ligar as celas cinco e seis e Veridiana Nazi da Veiga, também com 30 anos, as celas quatro e cinco.

Segundo o site Campo Grande News, as internas foram retiradas e os buracos tampados com concreto. Nesta quarta-feira, dia 12 de fevereiro, os agentes voltaram a fiscalizar a unidade e encontraram os buracos abertos novamente. Além dos três anteriores, um novo havia sido feito na parede entre as celas três e quatro.

Ana Carolina Ferreira Feliciano e Nataly Cristina Almeida Guedes, de 29 e 19 anos, assumiram a autoria do crime. As quatro foram levadas para a 2ª Delegacia de Polícia Civil, onde o caso foi registrado como desobediência.

Conforme apurado pela reportagem, essa não é a primeira vez que Carine Pires é flagrada cometendo crimes dentro do presídio. Em agosto do ano passado, ela colocou porções de maconha dentro de um tubo de pasta de dente e tentou enviar para outra interna, que estava regime disciplinar diferenciado e receberia produtos de higiene pessoal e mudas de roupa.

Carine já foi condenada por falsidade ideológica e tráfico de drogas, uma pena de cinco anos e 10 meses. Além de várias passagens pelo crime, ela chegou a fugir da prisão depois de regredir de regime e foi recapturada em março de 2019.

Veridiana tem passagens por roubo e furto. Em abril de 2014 usou uma faca para render um jovem no centro de Corumbá e roubar um celular e uma mochila. Pelo crime foi condenada por um ano e nove meses.

Deixe seu Comentário

Leia Também

IGUATEMI
Conduta de cabo que matou sogro a tiros em fazenda será investigada
AEDES AEGYPTI
Paraguai decreta situação de emergência por conta da dengue
CAPITAL
Mulher desaparece após dizer que iria fazer tratamento em hospital
BRASIL
BC lança sistema que promete transferir dinheiro em até 10 segundos
CAMPO GRANDE
Após ser diagnosticada com doença rara, menina de 5 anos morre em hospital
REGIÃO
Procon aciona MPE para combater abusos na venda de combustíveis
JUSTIÇA
Réu por assassinato, filho foi escondido pela mãe o tempo todo
BRASIL
CGU vai fiscalizar os municípios de Caracol e Miranda em 2020
CRISE
Força Nacional será enviada ao Ceará após motim e tiros contra Cid Gomes
OPORTUNIDADE
Hospital Regional abre edital para processo seletivo com 27 vagas para profissionais da saúde

Mais Lidas

APÓS 9 ANOS
Hipermercado fecha as portas em Dourados no final do mês
DOURADOS
Policial aposentado mata homem e diz ter sido ameaçado com faca
VIOLÊNCIA
Homem é assassinado em frente a padaria em Dourados
DOURADOS
Júri termina com réu condenado a 15 anos por matar desafeto em 2018