Menu
Busca terça, 20 de novembro de 2018
(67) 9860-3221

Assassino de taxista pede perdão a família

31 maio 2011 - 17h17

Adenilso Canteiro da Silva, de 22 anos, mais conhecido como “Brinquinho”, foi apresentado na tarde desta terça-feira e durante entrevista, explicou que tinha apenas a intenção de roubar o carro, e que não sabia que Silas tinha morrido com o golpe de faca que ele deu.

Adenilso disse ainda que pede perdão a família do taxista e que não sabia que ele era um pai de família. Ele é acusado de matar o taxista Silas Soares Leite, 60 anos, ocorrido no dia 03 de dezembro do ano passado.

A Delegada Andréia Alves Pereira, na coletiva, agradeceu aos policiais do Serviço de Investigações Gerais (Sig) e Delegacia de Fronteira (Defron), que contribuíram para a investigação e localizaram o acusando.

Adenilso que é morador em Rio Brilhante, teria vindo até Dourados para visitar um parente quando resolveu roubar o veículo. Ele que já está preso por outro crime, diz em depoimento que matou porque a vítima reagiu.

O Crime

No dia 03 de dezembro no inicio da noite, a Polícia Rodoviária Federal (PRF), na BR-463, perto do posto Capei, localizaram um carro Vectra, modelo e ano 2010, placas HTT 4404 de Dourados. O carro estava abandonado com o pneu furado e os policiais resolveram recolher para o posto policial.

Após o ocorrido, policiais do Departamento de Operações da Fronteira (DOF), informaram que o carro havia furado a barreira na MS-280, que liga Laguna Carapã a BR-463. Testemunhas afirmaram que a última vez que viram o taxista, que fazia ponto no Terminal Rodoviário, foi por volta das 14h30 do dia do assassinato, quando um estranho se aproximou e solicitou uma corrida.

No dia seguinte ao crime o corpo do homem foi descoberto por funcionários de uma usina, que telefonaram para a polícia, que foi até o local e identificara o taxista desaparecido. O corpo estava caído no meio do mato nas imediações do Praia Clube, entre o trevo do Hospital Universitário (HU) e Laguna Carapã. No rosto do motorista existiam hematomas o que levava a crer que houve luta corporal e agressão com uma barra de ferro ou de pau.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍTICA
Projeto que flexibiliza Lei da Ficha Limpa é arquivado do Senado
PARAGUAI
Sobrinho de prefeito foi executado por terroristas com 11 tiros
FUTEBOL
Brasil vence Camarões por 1 a 0 no último amistoso do ano
EDUCAÇÃO
Enem vai mudar e terá dias de prova geral e específica, diz ministro
FUTEBOL
Datas e regulamento do Estadual mudam um dia após arbitral
DOURADOS
Comafro promove atividade pelo Dia da Consciência Negra
CULTURA
Filme de MS conquista dois prêmios em festival internacional de cinema
OMISSÃO DE SOCORRO
MPF quer abertura de inquérito policial para apurar atropelamento de crianças em MS
BRASIL
Mandetta compara contratos do Mais Médicos a convênio entre Cuba e PT
ARTIGO
Como somos frágeis

Mais Lidas

DOURADOS
Antes de ser assassinado, homem passou por ‘tribunal do crime’
DOIS MESES DEPOIS
Acusados de matar rapaz em Dourados serão apresentados hoje
BORORÓ
Adolescente morre ao tocar em cerca elétrica em Dourados
MARCELO PILOTO
Traficante brasileiro é expulso do Paraguai após matar mulher em cela