Menu
Busca terça, 22 de maio de 2018
(67) 9860-3221
TRIBUNAL DE CONTAS
CAMPO GRANDE

Após 51 dias, suspeito de matar jovem de 18 anos a tesouradas se apresenta

07 novembro 2017 - 06h46Por Da Redação

Foi preso na tarde desta segunda-feira, dia 06 de novembro, em Campo Grande, Roberson Batista da Silva, de 32 anos, principal suspeito de matar a tesouradas a jovem Mayara Fontoura Holsback, de 18 anos. O crime foi no dia 15 de setembro deste ano e, desde então, o homem era considerado foragido.

Conforme a Polícia Civil, Roberson prestou depoimento na tarde de hoje. Ele se apresentou à polícia, alegou legítima defesa e foi recolhido.

A delegada responsável pelo caso, Ariene Murad, titular da Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam) informou que concederá entrevista coletiva nesta terça-feira (07) sobre os detalhes da prisão.

"Ele apresentou-se, em depoimento assumiu que matou a vítima, mas alegou legítima defesa e agora está preso", disse a delegada.

CRIME

Roberson estava foragido desde o dia 15 de setembro, quando teria matado Mayara a golpes de tesourada no bairro Universitário, em Campo Grande. 

Conforme boletim de ocorrência, a jovem foi encontrada nua sobre a cama com parte do corpo coberto com edredom. Havia sangue no colchão, nas cobertas e algumas manchas no banheiro (no interruptor e na parede). A tesoura, usada no crime, foi localizada coberta de sangue ao lado do corpo, que já estava em rigidez cadavérica.

À polícia, uma testemunha contou que a jovem falava pouco do marido, mas que já havia comentado que Roberson era assaltante de banco e estava preso por ter matado uma pessoa por causa de uma dívida de R$ 400 mil.

A jovem também teria comentado que o marido era possessivo e ciumento. Ela o visitava na cadeia e tinha uma tatuagem com o nome dele no braço.

PERDÃO DE PENA

Roberson tem várias passagens pela polícia e teria matado Mayara um dia após receber o perdão de sua pena. Ele estava preso há três anos, 10 meses e 27 dias por tentar matar a ex-companheira em 2011. 

Na época, a jovem tinha 25 anos, e ele atirou contra ela num posto de combustíveis, depois dela se recusar a conversar com ele. A moça foi atingida no pescoço, mas acabou socorrida e passa bem.

Por apresentar “bom comportamento” nos últimos 12 meses, sem que houvesse registros de "falta grave", o acusado acabou solto e ganhou o perdão da pena por meio do indulto, que é uma forma de extinguir o cumprimento de uma condenação imposta ao sentenciado. A decisão foi do juiz da 1ª Vara de Execução Penal, Caio Márcio de Britto.

Com informações do jornal Correio do Estado

Deixe seu Comentário

Leia Também

IMUNIZAÇÃO
MS tem quase 50% do público-alvo vacinado contra a gripe
ASSEMBLEIA
Uso de nome afetivo em cadastros às crianças adotadas é aprovado
CAMPO GRANDE
Procon encontra mais de 150 produtos adulterados e gerente de supermercado é presa
FUTEBOL
Vasco se despede da Libertadores em busca de vitória e vaga na Sul-americana
CULTURA
Turma de Artes Cênicas apresenta adaptação de clássico de Shakespeare
NARCOTRÁFICO
Jarvis Pavão é condenado a 10 anos de prisão
REPOSIÇÃO SALARIAL
Servidores da prefeitura têm correção salarial, após cinco anos
MALHA ASFÁLTICA
Prefeitura mantém frentes de tapa-buraco em Dourados
SOLIDARIEDADE
Na semana de doação de leite, conheça como a amamentação ajuda a sensibilizar mulheres
NOVA ALTERNATIVA
Anvisa aprova novo genérico para tratamento da hepatite C

Mais Lidas

FLAGRANTE
Policial aposentado é preso com cocaína em Dourados
CAPITAL
Criança morre em acidente com moto pilotada pelo avô
JARDIM PANTANAL
Homem é baleado após ser cercado por grupo
DOURADOS
Postos da Seleta, Santo André e Vila Rosa terão atendimento reduzido