Menu
Busca quarta, 19 de dezembro de 2018
(67) 9860-3221
MANDADO

Ex-advogado de Olarte e Delcídio é preso pela Polícia Federal

13 março 2018 - 19h35Por Da Redação

O advogado e ex-juiz Jail Benites de Azambuja foi preso nesta terça-feira, dia 13 de março, pela Polícia Federal em Campo Grande. Acusado de tentativa de homicídio contra o atual desembargador do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, Luiz Carlos Canalli, o suspeito tinha mandado de prisão em aberto expedido pela justiça de Umuarama, no Paraná. Azambuja já teve clientes famosos entre políticos de Mato Grosso do Sul.

Segundo o site Campo Grande News, não há detalhes sobre a prisão dele, já que o processo é julgado em segredo de justiça, mas conforme apurado pelo site da Capital, o mandado de prisão foi enviado a Mato Grosso do Sul e cumprido nesta tarde por equipes da Polícia Federal em Campo Grande.

Jail Benites foi juiz da 2ª Vara da Justiça Federal de Umuarama e em 2008 simulou um ataque contra a própria casa. No dia 28 de fevereiro pistoleiros teriam disparados contra a residência em que o magistrado morava. Os tiros atingiram o carro de Azambuja e um investigação sobre o crime começou.

Em março, 44 policiais e três políticos da região foram presos por suspeita de participação em esquema de contrabando de cigarros e produtos eletrônicos vindos do Paraguai. Foi Azambuja quem expediu os mandados de prisão para que “ajudar nas investigações do atentado”, no entanto, os suspeito acabaram liberados por falta de prova e dias depois um capitão da Polícia Militar terminou preso por coagir testemunhas sobre o caso.

No dia 19 de setembro, o então juiz federal Luiz Carlos Canalli também foi vítima de um atentado. Na época, ele era diretor do Fórum Federal de Umuarama e após cinco dias, Azambuja acabou preso em Curitiba como mandante do crime. Junto com ele, o motorista e jardineiro, Adriano Vieira, foi detido e confessou ser o autor dos tiros, mas negou o envolvimento do padrão.

Clientes

Em liberdade, Azambuja se mudou para Campo Grande e chegou a defender Gilmar e Andreia Olarte em 2016, quando foram presos durante a Operação Pecúnia, do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado). Ele também representou o ex-senador Delcídio do Amaral, que renunciou depois de ser acusado de tentar obstruir o trabalho de investigação da Lava Jato.

Ainda assim, Azambuja responde pela tentativa de homicídio. O julgamento do atentado aconteceria na sexta-feira (9), mas acabou adiando depois o réu alegou que seus advogados não tiveram tempo hábil para estudar o caso e articular a defesa.

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVA DIRETORIA
Clube de Imprensa de Dourados realiza eleição amanhã
IDOSOS
Casais que envelhecem juntos substituem implicância por afeto
TRÁFICO
Veículo com quase 1t de maconha é apreendido em estacionamento de hotel
DICA DE VIAGEM
Lençóis Maranhenses: o que fazer?
MS-379
Jovem é preso com mais de 40kg de fios furtados em Dourados
DOURADOS
UFGD divulga nota de corte do Vestibular 2019
NA MODA
5 ideias para customizar roupas infantis
TRÁFICO
Homem é preso com pasta base escondida em espartilho
PRÉ-FERIADO
Nhoque de batata é a dica para o jantar desta quarta-feira
CAARAPÓ
Veículo carregado com cigarros e bebidas contrabandeados é apreendido

Mais Lidas

DOURADOS
Comandante da Guarda Municipal é mais um a deixar governo Délia
DOURADOS
Internauta flagra acidente entre van e caminhonete no centro; veja vídeo
ITAQUIRAÍ
Corpo de bebê recém-nascido é encontrado boiando em açude
FÁTIMA DO SUL
Incêndio destrói casa e mulher suspeita de envolvimento do ex no caso