Menu
Busca segunda, 30 de março de 2020
(67) 9860-3221

Uniderp inaugura nesta terça-feira Centro Biotecnológico

08 agosto 2006 - 07h39

Nesta terça-feira, dia 8 de agosto, às 9 horas, a Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da Região do Pantanal (Uniderp) inaugura em parceria com a Consultoria em Reprodução e Genética Animal (Vitropec) o Centro Biotecnológico, composto pelos laboratórios de alta tecnologia de Fertilização in vitro e Biologia Molecular. O empreendimento está localizado no campus III da Universidade, em Campo Grande, MS. Foram investidos R$ 3.750.000,00. O Centro tem o objetivo de se tornar um pólo de produção e ensino em Biotecnologia Animal e Vegetal, prestando serviços e assessoria a outras instituições públicas e privadas, contribuindo efetivamente em benefício socioeconômico da sociedade sul-mato-grossense. Além dos laboratórios de Fertilização in vitro e Biologia Molecular, o local possui ainda quatro salas de aula no piso inferior e três laboratórios (Microscopia, Informática e Fertilização in vitro de alunos) no piso superior. Com as novas instalações, serão desenvolvidos serviços nas áreas de Fertilização in vitro e Melhoramento Genético, além de cursos de extensão. O local ficará sob a responsabilidade da bióloga Juliana Andréa de Oliveira Georges, especialista em Reprodução Assistida e Embriologia e mestre em Produção e Gestão Agroindustrial; e do médico veterinário Maurício Barros Fernandes, especialista em Embriologia, Fertilização in vitro em bovinos e mestre e doutor em Ciências - Genética. O Laboratório de Fertilização in vitro (FIV) possui uma biotecnologia onde todos os processos de produção de embriões são obtidos em laboratório, fora do útero animal, ao contrário da clássica Transferência de Embriões (TE), que consiste na penetração de um ou mais espermatozóides maturados em um oócito previamente cultivado. O Laboratório é destinado ao ensino, pesquisa, execução e divulgação de atividades pertinentes à reprodução animal e tem como principal objetivo dar suporte ao pecuarista, com a produção in vitro de embriões geneticamente superiores. Conforme a bióloga Juliana Georges, embora os custos operacionais ainda sejam elevados, a produção in vitro de embriões tem a vantagem de maior aproveitamento do material genético das fêmeas em um período de tempo menor, tendo um forte impacto econômico na Pecuária Nacional, sobretudo nos rebanhos submetidos ao melhoramento genético. O Laboratório de Biologia Molecular possui uma biotecnologia com especial foco no estudo das interações entre os diversos sistemas celulares, incluindo a relação entre DNA, RNA e síntese proteica; é um campo de estudo amplo, que abrange outras áreas da Biologia e da Química, em especial Genética e Bioquímica, relacionando-se com a obtenção, identificação e caracterização de genes com as seguintes técnicas: Reação em Cadeia da Polimerase ou PCR; Eletroforese em Gel; Southern blot; Northern blot; Western blot.

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVA ANDRADINA
Motociclista perde controle em rotatória e morre após bater em poste
SEU BOLSO
Prazo para saque imediato de até R$ 998 do FGTS terminam amanhã
AMAMBAI
Ciclista morre no hospital após ser atropelada por veículo em cruzamento
TEMPO
Segunda-feira de sol com aumento de nebulosidade em Dourados
SAÚDE
Covid-19: número de mortes no Brasil sobe para 136
COVID-19
Estado confirma mais cinco casos de coronavírus; Dourados segue com dois
INTERNACIONAL
Novo embaixador dos Estados Unidos chega ao Brasil
MATO GROSSO DO SUL
Bombeiros fazem alerta para aumento de 133% na quantidade de incêndios
DEFENSORIA PÚBLICA
DPU cria canal para denúncias durante o enfrentamento ao coronavírus
MATO GROSSO DO SUL
Calendário de vacinação contra aftosa será mantido

Mais Lidas

COVID-19
Dourados confirma primeiro caso do novo coronavírus
COVID-19
Mulher de 52 anos é o 2º caso de coronavírus em Dourados, total no Estado é de 31
DOURADOS
Estado avisou sobre contato entre douradense e morador da Capital com Covid-19
AQUIDAUANA
Quatro homens são autuados em R$ 10,4 mil por pesca predatória em MS