Menu
Busca segunda, 24 de fevereiro de 2020
(67) 9860-3221

Tetila busca solução para Hospital da Mulher na Capital

21 fevereiro 2005 - 11h15

O prefeito de Dourados, Laerte Tetila, está hoje, em Campo Grande com o secretário de Saúde do Estado, Matias Gonsales para definir o impasse  entre o corpo clínico do Hospital da Mulher e a administração, que está sob a responsabilidade do Hospital Evangélico. A Unidade é extensão do HE que é o responsável pela aplicação do dinheiro público recebido.Para o prefeito Laerte Tetila, a reivindicação do corpo clínico da maternidade, que hoje chega a 10 médicos, é legítima, mas o pagamento dos plantões e as melhorias das condições de trabalho são de inteira responsabilidade do Evangélico. “Estamos dispostos a nos esforçar para que a categoria consiga evolução nas negociações. Temos até interesse em compactuar o gerenciamento, desde que o processo de trabalho seja revisto através de uma transição com metas e prazos pré-estabelecidos”, disse Tetila. Só no ano de 2004, a Prefeitura de Dourados, através da Secretaria Municipal de Saúde, repassou mais de R$ 2,5 milhões para o pagamento dos procedimentos obstetrícios e pediátricos feitos no prédio denominado Hospital da Mulher. A unidade, que é extensão do Hospital Evangélico, recebe também contrapartidas e verbas de convênios do Governo do Estado e do Ministério da Saúde, todas administradas pelo próprio hospital. Em 2000, toda a reforma e revitalização do prédio foram feitas pelo Governo do Estado que também investiu na compra de materiais e equipamentos para a unidade. A ativação dos serviços foi firmada através de convênio com o Hospital Evangélico para gerenciamento dos serviços e utilização do prédio público.Só no ano passado, por exemplo, foram firmados dois convênios no valor de R$ 840 mil cada para o custeio, aquisição de medicamentos e materiais médico-hospitalares para a maternidade do Hospital Evangélico direcionados às gestantes de alto risco. Incentivos financeiros ainda são repassados pelo Ministério da Saúde do programa Integra SUS, no valor de R$ 80 mil/mês. A extensão ainda recebe adicional de 35% do Fundo Municipal de Saúde referente ao atendimento de urgência e emergência e cestas de medicamentos e de alimentação do Governo do Estado.Além disso, todos os meses, a Secretaria Municipal de Saúde repassa ao Hospital Evangélico um valor médio de R$ 700 mil/mês referentes aos demais atendimentos de urgências, emergências e atendimentos de ortopedia, clínica geral e cirúrgica do Sistema Único de Saúde (SUS), considerado o pagamento “pesado” da pasta.HUAtravés da gestão compartilhada entre Prefeitura, Estado e Ministério da Saúde, R$ 1,2 milhão são repassados para o Hospital Universitário de Dourados para o atendimento de pacientes que vêm de todo o Mato Grosso do Sul para tratamento de especialidades e internação. Hoje, o corpo clínico do hospital já chega a 77 médicos e as cirurgias de pequenas e médias complexidades já estão sendo feitas.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

SERGIPE
Caminhão com 400 kg de maconha que saiu de MS e apreendido em Brasília
DOURADOS
Menor usa pistola de ar comprimido para roubar haitiana
JUDICIÁRIO
Ministério Público quer lei para acabar com 'farra das diárias' em Caarapó
MORTE DE LANZARINI
Dourados News emite nota de pesar pela morte de ex-prefeito
BOLADA
Após acumular pela 16ª vez, Mega Sena terá o 3º maior prêmio da história
BATAGUASSU
Polícia apreende quase sete quilos de passta base de cocaína em ônibus
SAÚDE
Novo Coronavírus: Brasil atualiza critérios para doação de sangue
39 QUILOS
Militar detido com cocaína na Espanha é condenado a 6 anos de prisão
DOURADOS
Ex-prefeito de Amambai não resiste e morre no Hospital do Coração
ATENTADO
Aeronave pousa em Dourados e fica a disposição de Lanzarini

Mais Lidas

CRIME
Ex-integrante de grupo de Rap é morto a tiros em Dourados
WEIMAR TORRES
Mulher morre após bater em carro que roletou avenida
FÁTIMA DO SUL
Polícia prende homem que matou namorada a marteladas
FRONTEIRA
Suspeitos de matar jornalista são presos em operação