Menu
Busca segunda, 17 de fevereiro de 2020
(67) 9860-3221

Telê Santana sofre amputação de parte da perna esquerda

22 dezembro 2003 - 12h42

O ex-treinador da seleção brasileira Telê Santana, de 72 anos, passou por uma cirurgia para amputação de parte da perna esquerda, na manhã desta segunda-feira, em Belo Horizonte. Telê está internado desde quinta-feira no hospital Felício Rocho, onde já havia sido operado duas vezes por causa de problemas circulatórios, agravados por diabetes. A primeira operação foi considerada bem sucedida e Telê sairia do hospital em uma semana.Segundo o coordenador do serviço de medicina interna do hospital, José Olinto Pimenta Figueiredo, o ex-técnico apresentou um quadro de isquemia no pé esquerdo, por falta de vascularização, e teve de amputar a perna abaixo do joelho. A cirurgia durou uma hora e meia.Ainda segundo o médico, Telê deve ficar no CTI por pelo menos 24 horas. No momento, o quadro de saúde dele é estável, mas inspira cuidados.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BENEFÍCIO
Saque do FGTS 100% digital é lançado pela Caixa
POLÍTICA
Em carta, 20 governadores reclamam de postura do presidente Bolsonaro
ATUALIZAÇÃO
Número de casos suspeitos de coronavírus no Brasil continua em três
IGUATEMI
Após agredir esposa, policial mata sogro com tiro no peito em fazenda
JUSTIÇA
Sucessor de Minotauro é denunciado por posse de arma de fogo
QUEIMA
Polícia incinera mais de 3 toneladas de drogas
DOURADOS
Sensação térmica chega próximo a 40ºC em dia de temperatura mais alta do ano
CAMPO GRANDE
Estelionatário que vendia produtos falsificados pela internet é preso em flagrante
COTAÇÃO
Dólar abre a semana em alta e chega a R$ 4,32
MS-384
Ministério Público instaura inquérito para apurar condições de rodovia

Mais Lidas

DOURADOS
Ferido com tiro no peito, entregador chega pilotando moto na UPA
VILA SÃO BRÁS
Venezuelanos são flagrados consumindo maconha em bairro de Dourados
DOURADOS
Líderes de motim que causou estragos na Unei são levados à delegacia
DOURADOS
VÍDEO: Internos 'batem grade' e queimam colchões em princípio de rebelião na Unei