Menu
Busca quinta, 17 de outubro de 2019
(67) 9860-3221

Sete pessoas são presas por vender falso viagra

16 agosto 2002 - 16h22

Sete pessoas foram presas em Campo Grande acusadas de vender ilegalmente o medicamento Pramil, que possui efeito similar ao Viagra.
O medicamento é fabricado pelo laboratório paraguaio Novophar e entra ilegalmente no país através da fronteira de Ponta Porã.
De acordo com o Conselho Regional de Farmácia o medicamento não pode ser vendido no país, pois, não possui registro no Ministério da Saúde.
Durante os três últimos dias policiais da Delegacia Especializada em Repressão e Defraudações, Falsificações e Crimes Fazendários (Dedfaz), em parceria com a Associação Brasileira de Combate a Falsificação (ABCF) realizaram vistorias em várias farmácias da Capital.
A fiscalização resultou na apreensão de centenas de cartelas do medicamento e a prisão em flagrante das sete pessoas.
A Polícia não divulgou o nome dos acusados. Todos foram encaminhados a Defurv (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Veículos).


Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Polícia investiga morte de bebê logo após parto em Dourados
CEARÁ
Sobe para cinco o número de morto no desabamento de Fortaleza
TEMPORAL
Vendaval destelharam cerca de 50 casas em Ribas do Rio Pardo
APROVADOS
Agepen publica quadro de vagas para lotação de agentes penitenciários
MIRANDA
Ambiental recolhe filhote de cateto em sede de propriedade rural
PLANALTO
Carlos Bolsonaro pede desculpas por fazer post no Twitter do pai
GUIA LOPES
Após morte de criança por overdose, ação da polícia prende sete
SOLIDARIEDADE
Família faz vaquinha para tratamento de menina com síndrome rara
FUTEBOL
Final da Libertadores de 2020 será no estádio do Maracanã
JARDIM
Mulher é agredida com golpes de capacete e esfaqueada pelo marido

Mais Lidas

DOURADOS
Ciclista morre no HV após ser atropelado por ônibus
POLÍCIA
Irmãos são detidos após polícia encontrar droga no Jardim Flórida
DOURADOS
UPA passa a atender apenas casos de urgência e emergência
EXPULSÃO
Chefão do narcotráfico é entregue à Polícia Federal brasileira