Menu
Busca terça, 19 de fevereiro de 2019
(67) 9860-3221
ECONOMIA

Senado aprova projetos de acordos com Brics

03 junho 2015 - 19h15

Agência Brasil

O Senado aprovou hoje (3) os projetos de decreto legislativo que criam o Banco do Brics – bloco formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – e confirmou o Tratado para o Estabelecimento do Arranjo Contingente de Reservas do bloco.

O Banco do Brics será criado para fomentar políticas de desenvolvimento em infraestrutura nos cinco países. Terá capital inicial de US$ 50 bilhões, sendo US$ 10 bilhões em recursos e US$ 40 bilhões em garantias.

O acordo para a criação do banco foi feito em julho do ano passado, quando os representantes do bloco se encontraram em Fortaleza e definiram que a sede do banco será em Xangai, na China, e o primeiro presidente será indicado pela Índia.

Na mesma ocasião, foi firmado o Tratado para o Estabelecimento do Arranjo Contingente de Reservas dos Brics, que cria um fundo com recursos de todos os membros para ser acessado pelos países do bloco em momentos de crise.

O fundo terá capital inicial de US$ 100 bilhões com aporte de US$ 41 bilhões da China, US$ 18 bilhões do Brasil, da Índia e Rússia, cada um, e US$ 5 bilhões da África do Sul.

“Todos nós sabemos aqui dos solavancos que a economia brasileira sofreu, principalmente em função das variações cambiais, das crises externas. Então, qual é o objeto da criação desse fundo de US$100 bilhões? É exatamente para criar um colchão, criar uma blindagem para proteger esses países. Portanto, é algo absolutamente pertinente”, explicou o relator do projeto, senador Delcídio Amaral (PT-MS).

Sobre o Banco dos Brics, a senadora Ana Amélia (PP-RS), se manifestou favorável ao projeto, mas ressaltou a importância de o Brasil aproveitar a oportunidade para reforçar seu protagonismo no cenário geopolítico e não ficar a reboque da China e da Rússia.

“Penso que o mais importante nisso é o Brasil estar neste processo de globalização e participando do grupo dos Brics de forma 'protagônica', sendo atuante, não aceitando o papel de coadjuvante, que não está do seu tamanho, do seu porte”, defendeu a senadora.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Senado aprova projeto que proíbe casamento de menores de 16 anos
JUSTIÇA
Fabricantes de laticínios devem pagar R$ 18 mil por calote em conta de luz
TRÁFICO
Trio é preso com mais de meia tonelada de cocaína
COXIM
Idosa de 80 anos é agredida a pauladas por jovem que invadiu casa
ESPORTE
Funed conclui elaboração de calendário anual de atividades esportivas
APOSENTADORIA
Bolsonaro fará pronunciamento na TV para defender reforma da Previdência
PROJETO
UFGD seleciona shows musicais para o projeto Celebração 2019
CAMPO GRANDE
Júri é suspenso após advogada chorar e ameaçar suicídio
NOVA ANDRADINA
Adolescente que sufocou a filha de 28 dias fará tratamento psiquiátrico
RIO
Justiça nega indenização a Bolsonaro por declarações de Jean Wyllys

Mais Lidas

TRAGÉDIA
Motociclista atropela, mata criança de 1 ano em Dourados e foge do local
DOURADOS
Motorista tenta desviar de outro veículo e bate carro em árvore
NOVA ANDRADINA
Mãe de 16 anos mata filha de apenas 21 dias
DOURADOS
Um ano após pedido de demissão, ex-secretário de Délia retorna à prefeitura