Menu
Busca terça, 19 de fevereiro de 2019
(67) 9860-3221

Saúde, educação, representatividade e as eleições 2016

07 julho 2015 - 06h24

Editorial

O discurso inflamado do secretário de Saúde Sebastião Nogueira na manhã de ontem durante o lançamento do novo Hospital São Luiz, em Dourados, teve como ‘endereço’ o deputado federal Geraldo Resende, que horas antes fez o seu ‘comercial’ no lançamento do programa AJA (Avanço do Jovem na Aprendizagem), no anfiteatro da Escola Estadual Presidente Vargas.

Companheiros de PMDB, os dois são nomes fortes e pré-candidatos da sigla às eleições do ano que vem no município. Portanto, nada melhor do que aproveitar os flashs de câmeras, microfones e a presença do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) no município para mostrar força.

Primeiro, durante evento de entrega dos kits escolares e lançamento do AJA, Resende falou sobre seu trabalho em angariar recursos ao município e disse não medir esforços para que isso aconteça. Ao mesmo tempo, o parlamentar disse ter recebido a ‘missão’ do governador de conversar no Ministério da Saúde ainda esta semana e captar recursos para Dourados.

Apressado, o deputado saiu antes mesmo do fim da cerimônia e não chegou sequer perto do lançamento dos 40 leitos e quatro UTI’s do Hospital São Luiz, onde estava o secretário.

Mesmo ausente, indiretamente o parlamentar foi lembrado por Nogueira, que cobrando melhorias nos repasses da saúde do município, questionou ‘onde estaria a representatividade’ que a cidade tanto precisa.

Antes, para embasar o raciocínio, ele relatou a quantidade per capita investida pelo governo federal nos principais municípios do Estado, como Campo Grande – que recebe R$ 14,89 - e Corumbá, R$ 8,87, para em seguida comparar com Dourados e seus míseros R$ 5,04 por habitante.

Presidido por Resende, o PMDB vê mais um capítulo no fogo cruzado que se tornou a busca do partido em lançar nome para suceder Murilo Zauith (PSB) no próximo ano. A ‘guerra’ dentro da sigla já resultou na saída do radialista e ex-deputado federal Marçal Filho para o PSDB e na quase certa ida da vereadora Délia Razuk para o PR.

Agora, os peemedebistas evidenciam mais uma parte do ‘racha’ que deve acabar com novas saídas do partido até o meio do ano que vem.

Deixe seu Comentário

Leia Também

COXIM
Idosa de 80 anos é agredida a pauladas por jovem que invadiu casa
ESPORTE
Funed conclui elaboração de calendário anual de atividades esportivas
APOSENTADORIA
Bolsonaro fará pronunciamento na TV para defender reforma da Previdência
PROJETO
UFGD seleciona shows musicais para o projeto Celebração 2019
CAMPO GRANDE
Júri é suspenso após advogada chorar e ameaçar suicídio
NOVA ANDRADINA
Adolescente que sufocou a filha de 28 dias fará tratamento psiquiátrico
RIO
Justiça nega indenização a Bolsonaro por declarações de Jean Wyllys
UEMS
Estão abertas as inscrições para Intercâmbio Sanduíche no Canadá
CAPITAL
Dupla em moto atira contra carro de autoescola; motorista é atingido
POLÍTICA
Câmara suspende decreto presidencial sobre sigilo de dados públicos

Mais Lidas

TRAGÉDIA
Motociclista atropela, mata criança de 1 ano em Dourados e foge do local
DOURADOS
Motorista tenta desviar de outro veículo e bate carro em árvore
NOVA ANDRADINA
Mãe de 16 anos mata filha de apenas 21 dias
DOURADOS
Um ano após pedido de demissão, ex-secretário de Délia retorna à prefeitura