Menu
Busca terça, 18 de fevereiro de 2020
(67) 9860-3221

São Paulo e River lutal por vaga na final da Sul-Americana

03 dezembro 2003 - 09h20

Em seu último desafio no ano, o São Paulo precisará derrubar uma marca que já dura dez anos para tentar avançar à sua primeira final em 2003. Nesta quarta-feira, às 20h40, no Morumbi, o time do técnico Roberto Rojas tem de vencer o River Plate por três gols de diferença para decidir a Copa Sul-Americana. Na partida de ida, em Buenos Aires, os argentinos ganharam por 3 a 1. A última vez que os são-paulinos conseguiram inverter desvantagem de dois gols em mata-matas contra equipes da Argentina foi em 1993, pela Libertadores. Na época, a equipe comandada por Telê Santana havia sido derrotada pelo Newell´s Old Boys por 2 a 0 na partida de ida. No jogo da volta, em São Paulo, Raí e companhia fizeram 4 a 0 no rival e abriram caminho para o bicampeonato da competição.Desde então, o time fez mais dois mata-matas diante de rivais argentinos. Pela extinta Supercopa, foi eliminado nas semifinais pelo Boca Juniors, em 1994, após derrota em Buenos Aires por 2 a 0 e vitória no Morumbi por 1 a 0.Em 1997, diante do mesmo adversário de amanhã, novo insucesso pela Supercopa. Após empate por 0 a 0 em São Paulo, os argentinos levantaram a taça da competição ao vencerem por 2 a 1 em casa.Ao todo, em torneios sul-americanos, o São Paulo enfrentou clubes argentinos em 28 oportunidades, com 11 vitórias, também 11 derrotas e seis empates. Marcou 32 gols e sofreu um a menos.Para dificultar ainda mais a situação, os são-paulinos jamais derrotaram o River Plate. O time, porém, não parece abatido com estatística. A vaga obtida no domingo, contra a Ponte Preta, para a Libertadores do ano que vem deu confiança aos atletas."Temos totais condições de vencer. Se repetirmos a mesma atitude e raça demonstradas em Campinas, vamos conseguir a classificação", afirmou o meia Souza, um dos destaques do time."Sem dúvida, a vaga na Libertadores foi muito importante na parte psicológica. Vamos com mais força agora", declarou o treinador chileno Roberto Rojas.Segundo ele, agora a "prioridade número um" do clube é a Copa Sul-Americana. "Estávamos levando como podíamos, mas agora estamos totalmente concentrados nessa competição", completou o técnico, que pediu "alma" ao time contra os argentinos."Eles colocam a alma em campo, nós temos de fazer isso também para chegarmos à vaga", disse.A classificação para a Libertadores também parece ter contagiado o torcedor são-paulino. Hoje, cerca de 7.000 ingressos foram vendidos para a partida do Morumbi. A expectativa dos dirigentes é de que mais de 30 mil pessoas incentivem a equipe.Já o River Plate, que atravessa má fase, chegou nesta terça-feira a São Paulo e realiza um treino de reconhecimento à noite no Morumbi.O meia Gallardo, que abriu o caminho para a vitória e foi o melhor em campo no jogo em Buenos Aires, tem uma lesão na coxa e é dúvida na escalação. Tuzio, outro machucado, também pode desfalcar o time do chileno Manuel Pellegrini.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CASSILÂNDIA
Bandidos invadem revendedora de carros, arrombam cofre e levam R$ 25 mil
DOURADOS
Polícia volta a empresa alvo de operação e cumpre novos mandados
NEGÓCIOS & CIA
Carros para todos os momentos, a Unidas tem
BRASIL
Resultado da segunda chamada do ProUni já está disponível
ELEIÇÕES 2020
Mochi vê em Renato Câmara "prefeito com perfil ideal para Dourados"
Educação
O que você vai fazer pela sua carreira em 2020?
AQUIDAUANA
Membro do PCC tenta fugir, bate em viatura e é preso com droga
ASSASSINATO
Réu por crime descrito como extermínio vai a júri popular nesta terça em Dourados
LEGISLATIVO
Deputados analisam dois vetos durante a sessão ordinária desta terça-feira
Saúde e Bem-estar
Falando de Disgrafia!

Mais Lidas

DOURADOS
Ferido com tiro no peito, entregador chega pilotando moto na UPA
DOURADOS
Líderes de motim que causou estragos na Unei são levados à delegacia
DOURADOS
VÍDEO: Internos 'batem grade' e queimam colchões em princípio de rebelião na Unei
FRONTEIRA
Festa termina com aniversariante e convidado assassinados por pistoleiros