Menu
Busca quinta, 20 de fevereiro de 2020
(67) 9860-3221

29 dezembro 2003 - 09h31

O governo estadual publicou no Diário Oficial de 11-12-2003 decreto estabelecendo ponto facultativo em todas as repartições públicas estaduais no dia 2 de janeiro de 2004. A decisão assinada pelo governador Zeca do PT não incluiu serviços essenciais, como polícia, bombeiros e atendimento hospitalar, que vão funcionar normalmente. À véspera do Ano Novo - próxima quarta-feira -o ponto facultativo será a partir do meio-dia, com exceção dos serviços essenciais, que funcionam normalmente. No dia 12 deste mês foi publicada, no Diário Oficial, a resolução da Secretaria de Estado de Gestão Pública definindo os períodos de recesso do Natal, que aconteceu de 22 a 26 de dezembro, e do Ano Novo, que começa amanhã e vai até sexta-feira 2. Os servidores públicos foram divididos em dois grupos: um folgou no primeiro recesso e trabalha no próximo; e o outro, que trabalhou de 22 a 26 de dezembro, folga nesta semana. Também nesse caso os serviços essenciais funcionam normalmente.  

Deixe seu Comentário

Leia Também

DEFESA
Major que atirou na cabeça do ex-namorado tinha medida protetiva
OPERAÇÃO LOBO GUARÁ
UEMS é selecionada para participar do Projeto Rondon em 2020
CAPITAL
Diarista cai em buraco na calçada, machuca perna e fica sem trabalhar
STF
Ex-sócio da Telexfree é preso pela PF e pode ser extraditado aos EUA
TRÊS LAGOAS
Técnico de enfermagem apanha em UPA e aciona a polícia
SAÚDE
Brasil monitora apenas um caso suspeito do novo coronavírus
NAVIRAÍ
Por dinheiro, policial facilitava entrada de celulares e droga em presídio
POLÍTICA
Nelsinho Trad oficializa pedido para reativar Parlamento Amazônico
CAMPO GRANDE
Durante discussão, major da PM atira contra o ex-namorado
TENTATIVA
Petroleiros suspendem greve após 20 dias para negociar acordo

Mais Lidas

APÓS 9 ANOS
Hipermercado fecha as portas em Dourados no final do mês
DOURADOS
Policial aposentado mata homem e diz ter sido ameaçado com faca
VIOLÊNCIA
Homem é assassinado em frente a padaria em Dourados
DOURADOS
Júri termina com réu condenado a 15 anos por matar desafeto em 2018