Menu
Busca quinta, 27 de fevereiro de 2020
(67) 9860-3221

Repasto estima que 720 mil ha foram recuperados em dois anos

08 dezembro 2003 - 12h45

O Repasto, que está completando dois anos de execução este mês, conseguiu logo no primeiro ano do Programa incluir 230 mil hectares. A recuperação de terras em 2002 resultou num incremento de 180 mil toneladas de grãos. Assim como foram incorporados à agricultura 60 mil hectares de terras. Em 2003, a expectativa de recuperar 490 mil ha está sendo alcançada.Visando atingir a meta de renovar/recuperar dois milhões de ha de pastagens degradadas no período de quatro anos, é que a SEPROTUR, com o apoio de sindicatos rurais, Sebrae, Embrapa, Banco do Brasil e de instituições privadas, realizou neste período de dois anos 51 reuniões técnicas para produtores, oito dias de campo, seis cursos de capacitação para assistência técnica e dois seminários, aproximadamente quatro mil participantes entre produtores e técnicos.O seminário de comemoração do Programa, ocorrido na última sexta-feira no Centro de Convenções Rubens Gil de Camilo, reuniu participantes de todos os curso básicos realizados pelo REPASTO. Neste evento, os participantes tiveram um panorama sobre integração lavoura x pastagem. O engenheiro agrônomo, Aurê Ribeiro Junior, que participou do Curso Básico de Programa recebeu das mãos do secretário de Estado da Produção e do Turismo, José Antônio Felício, certificado de conclusão. Para Aurê Junior fazer o curso do Repasto foi uma oportunidade para se reciclar. "Fazia tempo que não havia um curso direcionado à degradação de pastagem, estou agora aplicando na prática junto aos produtores, todo o conteúdo aprendido no curso", afirmou o engenheiro agrônomo.De acordo com o coordenador do Programa Repasto, Fábio Stefani "a tendência é que nos dois últimos anos do programa as metas sejam alcançadas e até mesmo superadas. O importante é que o problema está sendo enfrentado com consciência por parte dos produtores, pois sabem que uma pastagem degradada significa menor produtividade, redução na renda da propriedade, desemprego e desequilíbrio ambiental", frisou Stefani.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MEIO AMBIENTE
Bachelet critica 'retrocessos significativos' na política ambiental no Brasil
NA FRONTEIRA
Moradora de rua tem parte do corpo queimado em incêndio criminoso
INFECÇÃO VIRAL
Casos suspeitos de coronavírus no Brasil saltam de 20 para 132, diz governo
MAIS DE 30KG
Maconha que seria entregue no Paraná é apreendido em Caarapó
LOTERIA
Veja os números sorteados na Mega-Sena; prêmio é de 200 milhões
CAPITAL
Polícia investiga estupro de mulher em terreno baldio
ECONOMIA
Reabertura dos EUA para carne brasileira é oportunidade para MS
PONTA PORÃ
Homem é executado com tiros de metralhadora na fronteira
PAGAMENTO
Salários de servidores estaduais serão pagos no próximo sábado
IMUNIZAÇÃO
Vacinação contra a gripe é antecipada por causa do coronavírus

Mais Lidas

MULTIDÃO
Carnaval na praça central de Dourados termina em ‘confusão e sujeira’
DOURADOS
Mulher tenta sair de mercado com quase R$ 700 em compras sem pagar
INVESTIGAÇÃO
Ex-prefeito de Amambai foi morto após discussão por desacordo trabalhista
PONTA PORÃ
Estado monitora caso suspeito de Coronavírus na fronteira