Menu
Busca quinta, 27 de fevereiro de 2020
(67) 9860-3221

Remédios vão ficar mais caros no dia 31 de março

30 dezembro 2003 - 13h29

Os remédios devem ficar mais caros a partir do dia 31 de março de 2004. Essa é a data prevista para o reajuste de preços em decreto da Presidência da República publicado hoje no "Diário Oficial da União".O tamanho do aumento só será definido no início de março, pois a decisão vai considerar a inflação oficial do país, medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), no período entre setembro deste ano e fevereiro de 2004.No cálculo do reajuste, também vão ser levados em conta os preços dos medicamentos no final de agosto último.O decreto nº 4.937 define os critérios para o reajuste dos medicamentos no país. O modelo a ser adotado pretende refletir os ganhos de produtividade da indústria farmacêutica e a variação dos custos do setor, entre outros fatores.Caberá ao conselho de ministros da CMED (Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos) definir, anualmente, o índice dos reajustes e divulgá-lo com até 30 diantes antes da entrada em vigor do aumento.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAPITAL
Garçom lambe orelha de cliente em bar e é denunciado à polícia
SAÚDE
Disseminação de fake news sobre coronavírus preocupa especialistas
LÉO VERAS
Suspeito nega execução de jornalista e teme queima de arquivo
ESPORTE
GP Rochedo de Ciclismo abre inscrições para prova dia 15 de março
SÃO GABRIEL
Peão morre atingido por hélice ao consertar maquinário em fazenda
SANEAMENTO
Sanesul executa obras de esgotamento sanitário em Antônio João
TRÊS LAGOAS
Motorista fica preso nas ferragens após colisão entre caminhões na BR-262
MEIO AMBIENTE
Bachelet critica 'retrocessos significativos' na política ambiental no Brasil
NA FRONTEIRA
Moradora de rua tem parte do corpo queimado em incêndio criminoso
INFECÇÃO VIRAL
Casos suspeitos de coronavírus no Brasil saltam de 20 para 132, diz governo

Mais Lidas

MULTIDÃO
Carnaval na praça central de Dourados termina em ‘confusão e sujeira’
DOURADOS
Mulher tenta sair de mercado com quase R$ 700 em compras sem pagar
INVESTIGAÇÃO
Ex-prefeito de Amambai foi morto após discussão por desacordo trabalhista
PONTA PORÃ
Estado monitora caso suspeito de Coronavírus na fronteira