Menu
Busca segunda, 24 de fevereiro de 2020
(67) 9860-3221

Redução da desigualdade não aproximou pobres e ricos, diz IBGE

24 fevereiro 2005 - 14h02

Quase todas as categorias ocupacionais apresentaram queda do rendimento médio de 2002 para 2003. No período houve aumento das pessoas que ganham menos, revela a Síntese de Indicadores Sociais 2004, divulgada no Rio de Janeiro pelo IBGE.Enquanto a proporção de pessoas com rendimento acima de 5 salários caiu 1,1 ponto percentual, passando de 11,4% para 10,3%, com destaque para a região Sudeste, onde a retração foi de 2 pontos percentuais (13,7%), em 2003 elevou-se a população ocupada nas classes de rendimento familiar per capita mais baixo em comparação ao ano anterior. Segundo o estudo, a proporção da população ocupada com rendimento per capita de até meio salário mínimo subiu em todas as categorias ocupacionais.Os empregados domésticos e aqueles com carteira assinada apresentaram as maiores variações de um ano para o outro: 1,6 ponto percentual e 1,5 ponto percentual, respectivamente, alcançando 13,8% e 18,9% em 2003. A coordenadora da pesquisa, a economista Ana Lúcia Sabóia, explicou que o estudo evidencia que a tendência é de crescimento de carteira assinada no grupo dos trabalhadores domésticos. "Cada vez mais nesse período de 10 anos está aumentando o percentual daqueles que têm carteira assinada". Ou seja, "2003 confirma a tendência de formalização do emprego doméstico no Brasil", assegurou.O documento indica que o emprego na indústria cresceu de 13,5%, em 2002, para 14,4%, em 2003, significando um ponto positivo na geração de empregos formais, com carteira assinada. Ana considerou o fato bom, mas frisou que o dado é pouco significativo porque representa apenas um ponto percentual de diferença para cima. Ela destacou que a elevação dos postos de trabalho formais não está vinculada ao aumento da renda média da população ocupada. A queda em relação a 2002 para o país como um todo foi de 7,5%.A economista esclareceu que tanto as pessoas que estão na camada de renda mais elevada (10% do total), como as que têm rendimento médio mais baixo (40% do total), isto é, os mais ricos e mais pobres, tiveram queda de rendimento. Ana disse que o grupo dos 10% mais ricos teve uma perda maior do que o grupo dos 40%, da ordem de 9% e 3%, respectivamente, o que levou a uma redução muito tênue da desigualdade. Segundo o levantamento, em 2002 o rendimento médio dos 10% mais ricos era 18 vezes a renda média dos 40% mais pobres. Essa taxa passou para 16,9% em 2003. O grau de desigualdade entre os mais ricos e mais pobres no Brasil em 2003 foi mais elevado na região Nordeste (18,2%), seguido da região Sul, com 16,1%.A conclusão do IBGE é de que o cenário mostrado em 2003 permaneceu praticamente estável em relação a 2002, disse Ana Sabóia. "Como 2002 não foi um bom ano - as medidas muito restritivas segurando a inflação -, teve pouco desenvolvimento econômico e isso se repetiu em 2003, o que pode ser visto em todos os indicadores clássicos de crescimento da economia, de trabalho etc". A economista do IBGE destacou que embora se tenha falado muito na redução da desigualdade, isso "não teve nenhum grande impacto ainda nos indicadores sociais de modo a que se pudesse dizer que diminuiu a desigualdade entre os menos favorecidos e os mais favorecidos".

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Governo facilitará exportações de produtos voltados à Defesa
BRASIL
Síndrome metabólica em adolescentes é tema de pesquisa da Capes
DOURADOS
Campanha sobre tuberculose e hanseníase será realizada em março
POLÍCIA
DOF flagra cinco com 400 quilos de contrabando em Dourados
BRASIL
Trabalho infantil aumenta 38% durante o carnaval; saiba como denunciar
STF
Liminar garante ao RS fixar contribuição previdenciária de militares sem sanções por parte da União
DOURADOS
Com ponto facultativo, sessão da Câmara foi antecipada
MS
Um dos pilares da ressocialização, a religião promove ambiente de fé em presídios
ESTADO
Judiciário de MS retomará expediente na quinta-feira
MUNDO
Cientistas descartam que novo vírus tenha origem em mercado em Wuhan

Mais Lidas

CRIME
Ex-integrante de grupo de Rap é morto a tiros em Dourados
WEIMAR TORRES
Mulher morre após bater em carro que roletou avenida
FÁTIMA DO SUL
Polícia prende homem que matou namorada a marteladas
FRONTEIRA
Suspeitos de matar jornalista são presos em operação