Menu
Busca quinta, 23 de maio de 2019
(67) 9860-3221
IMPLANTAÇÃO DO PROCEVE

Promotor que conduziu audiência polêmica se defende de críticas com ‘textão’ na internet

29 maio 2017 - 17h20

O procurador de Justiça Sérgio Harfouche usou sua página no Facebook nesta segunda-feira (29) para se defender de críticas. Ele postou um texto extenso pontuando sobre vários temas tratados no evento que se tornou polêmico após a convocação com possibilidade de multas aos pais que não justificassem a ausência.

A audiência foi realizada no dia 25 de maio no Douradão e abrangeu aqueles com filhos matriculados na Red Estadual.

Ele inicia os apontamentos com a citação de que não fez convocação sob pena de multa aos faltosos.

Porém, conforme a convocação aos pais em nome do Ministério Público do Estado Mato Grosso do Sul por intermédio da Promotoria de Justiça da Infância e da Juventude da Comarca de Dourados, a presença era "obrigatória" e em caso de falta deveria haver justificativa a direção / coordenação da escola sob pena de ensejar a aplicação de multa 03 a 20 salários mínimos [veja aqui]( http://www.douradosnews.com.br/dourados/promotoria-convoca-pais-para-debater-violencia-e-evasao-nas-escolas).

O segundo apontamento é que "convite é opcional e os pais omissos nunca comparecem, a não ser quando convocados".

Posteriormente ele cita que o programa apresentado na audiência Proceve (Programa de Conciliação para Prevenir a Evasão e a Violência Escolar) foi aprovado pelo CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público); GNDH/Copeduc; Comissão de Direitos Humanos do Senado, presidida pelo Senador Paulo Paim e diversas outras instâncias.

Na postagem, ele ressalta que o programa "nada tem a ver com ideologia de gênero e religiosidade".

Como divulgado pelo Dourados News, em vídeos do evento divulgados pelo portal Justificando, o promotor pede autorização ao público presente para "falar de Deus" e sobre a falta de Deus nas escolas de Dourados e do Brasil.

Quanto a ideologia de gênero, o promotor havia afirmado "eu ponho filho na escola para aprender a ler, escrever, fazer conta e pensar, não é para discutir a identidade dele não".

Na sequência, Harfouche cita que "na reunião com os pais e professores nada foi feito sem a anuência e aprovação da expressiva maioria dos presentes" e ainda que "em mais de 60 minutos de compartilhamento dos objetivos do Proceve, nada tem sido questionado, porém ativeram-se a uma citação exemplificativa quando mencionada a competência dos pais sobre a criação e educação dos filhos (art. 1634, I, CCB)".

O promotor critica a imprensa na sua divulgação, com afirmação de produção de matéria tendenciosa, com distorção dos fatos, o que contamina a opinião de alguns.

"Ativistas sem escrúpulos, fundamentalistas firmados em matéria tendenciosa produzida contra princípios de preservação da família, da ordem e dos bons costumes, e que não estiveram no evento, estão distorcendo os fatos e contaminando a opinião de alguns" diz o trecho.

Ao final de suas considerações ele descreve que "estado laico não é Estado sem fé, mas aquele que respeita a ordem democrática".

Abaixo ao post, Harfouche compartilha um artigo com argumentos favoráveis aos pontos abordados por ele na palestra.

Tumulto

[O evento em Dourados foi marcado por tumulto e muitas pessoas precisaram retornar para suas residências sem participar da convocação]( http://www.douradosnews.com.br/dourados/tumulto-marca-audiencia-sobre-a-lei-harfouche).

As arquibancadas, liberadas para 7,9 mil pessoas não comportaram a quantidade de pessoas e um portão precisou ser aberto para que o gramado fosse utilizado. Mais de 10 mil pessoas estiveram no local. Do lado de fora houve tumulto e desencontro de informações.

O fato da obrigatoriedade da participação dos pais feita pelo MPE tem gerado debates.

A Ordem dos Advogados do Brasil de Mato Grosso do Sul (OAB-MS), seccional de Dourados, está em reuniões com seus membros nesta semana para se posicionar oficialmente a respeito da audiência [entenda]( http://www.douradosnews.com.br/noticias/cidades/oab-ms-avalia-se-houve-irregularidade-em-audiencia-publica-sobre-educacao).

Deputados estaduais compararam a convocação feita pelo MPE (Ministério Público Estadual) aos pais de alunos da Rede Pública de Ensino para audiência sobre o Proceve (Programa de Conciliação para Prevenir a Evasão e a Violência Escolar) [veja aqui]( http://www.douradosnews.com.br/dourados/deputados-comparam-palestra-com-pais-em-dourados-a-conducao-coercitiva).

Inclusive uma moção de repúdio foi aprovada na Assembleia Legislativa contra a medida na tentativa de que a procuradoria-geral do Ministério Público cancelasse o evento.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CONTRABANDO
Após perseguição, Polícia apreende 7,5 mil pacotes de cigarros
POLÍTICA
Bolsonaro volta a defender mudanças na CNH e fim dos radares
CAMPO GRANDE
Jovem grávida é agredida, desmaia e acorda sendo estuprada
UNIGRAN
Jornada de Psicologia vai abordar trajetos e conquistas em 20 anos de história
MEIO AMBIENTE
Conciliação: danos ao Rio da Prata serão reparados por responsáveis
TRÊS LAGOAS
PMA realiza Educação Ambiental a 50 alunos de escola pública
JUDICIÁRIO
Maioria no STF vota para enquadrar homofobia como crime de racismo
DOURADOS
Servidora da UEMS lança livro sobre Letramento Digital nesta sexta
RIBAS DO RIO PARDO
Homem é preso e confessa que estuprava a sobrinha de 9 anos
SELEÇÃO
Marinha abre concurso para 90 vagas para o Corpo Auxiliar de Praças

Mais Lidas

POLÍCIA
Após pescaria, marido encontra desconhecido na frente de casa e ameaça mulher com arma em Dourados
DOURADOS
Preso em operação estava sob monitoramento por assalto
PEDRO JUAN
Três suspeitos de chacina na fronteira são presos pela polícia paraguaia
PEDRO JUAN
Seis morrem e uma criança fica ferida após ataque de pistoleiros na fronteira