Menu
Busca domingo, 16 de fevereiro de 2020
(67) 9860-3221

Presidente da Funasa diz que servidor não sofreu retaliação

22 fevereiro 2005 - 17h40

Em entrevista coletiva concedida a imprensa na tarde de hoje na prefeitura de Dourados, o presidente da FUNASA (Fundação Nacional de Saúde), Valdi Camarcio Bezerra, disse que nenhum servidor foi demitido como forma de retaliação por passar informação e apresentar números a respeito da desnutrição de crianças indígenas ocorridas nas aldeias Jaguapiru e Bororó.Valdi Camarcio disse ao Dourados News que a Fundação nunca escondeu ou esconderia números, que se um servidor apresentasse o problema seria chamado para ajudar a solucionar. “Nenhum servidor foi afastado por apresentar denúncia, pode verificar” disse o presidente da Funasa. Em matéria publicada no dia 28 de janeiro, o médico Zelik Trabagert, até então funcionário da Funasa, disse estar sendo ameaçado de demissão por  mostrar a real situação dos indígenas nas aldeias de Dourados.(Eduardo Palomita)

Deixe seu Comentário

Leia Também

REGIÃO
Maconha que seria levada para o Ceará é apreendida em MS
CONTRABANDO
PRF apreende de 2 toneladas de agrotóxicos escondidos em carga de leite
SAÚDE
Cai para três número de casos suspeitos de coronavírus no Brasil
CORUMBÁ
Escolas de samba realizam pré-desfile neste domingo
CAMPEÃO
Trio decide, Flamengo domina o Athletico-PR e conquista a Supercopa
DROGAS
Duas mulheres são presas por tráfico em ônibus que passava por Dourados
INTERNACIONAL
Número de casos de coronavírus em navio no Japão chega a 355
DOURADOS
Líderes de motim que causou estragos na Unei são levados à delegacia
FUTEBOL
Governo lança projeto para promover direitos humanos no esporte
PONTA PORÃ
Leitura entre detentos é estimulada com a doação de livros a presídio

Mais Lidas

VILA SÃO BRÁS
Venezuelanos são flagrados consumindo maconha em bairro de Dourados
HARRISON DE FIGUEIREDO
Adolescente é detido e jovem é presa por tráfico, receptação e posse
DOURADOS
Dupla é presa por porte e posse ilegal de arma de fogo
FURTOS
Ladrões fazem “arrastão” e levam motos em Dourados