Menu
Busca quarta, 13 de novembro de 2019
(67) 9860-3221

Prefeitura recua e oferece opções para liberais na Tributária

16 dezembro 2003 - 15h57

A prefeitura pode recuar e ceder no texto do novo Código Tributário de Dourados. Ontem, uma audiência popular pressionou os vereadores para tomarem cuidado em se aprovar o novo código sem uma análise do texto apresentado. Hoje pela manhã a prefeitura agendou uma reunião com as entidades de classe para discutir o assunto. Nesta reunião que representa a prefeitura é o Secretário de Governo Wilson Biasotto, que colocou para os liberais duas novas opções:1ª - Cobrar o ISS por fixo de R 34,00 mais à inflação2ª - Alíquota de 3% sobre o faturamentoBiasoto explicou, que estas propostas estão condicionados ao que for aprovado pela Câmara dos Deputados em Brasília. Segundo ele esta votação na capital federal deve acontecer até o final do ano. A reunião prossegue sem hora para ser concluída.

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRÊS LAGOAS
Homem não aparece para trabalhar e é encontrado morto em fazenda
LIMITE MAIOR
Senado Federal aprova saque do FGTS de até R$ 998; texto vai à sanção
ANTT
Agência adia decisão sobre redução de pedágio na rodovia BR-163
POLÍTICA
Comissão vota contra MP que desobriga publicar balanços em jornais
CAMAPUÃ
Polícia prende motorista com 732 quilos de maconha em rodovia
MINISTÉRIO PÚBLICO
Conselho proíbe exames ginecológicos em candidatas aprovadas
POLÍTICA
Duas chapas disputam mandato tampão em eleição suplementar de Japorã
UEMS
Abertas inscrições para processo seletivo de professor temporário
SAÚDE
Nelsinho Trad faz palestra sobre câncer de próstata e recorda prevenção
CAMPO GRANDE
Homem é preso após invadir casa, amarrar, ameaçar e roubar idoso

Mais Lidas

DOURADOS
Morto em acidente prestava serviços a indústria e teria invadido pista contrária
DOURADOS
Homem sofre acidente de trabalho e morre após ter 80% do corpo queimado
DOURADOS
Polícia prende cadeirante que comandava quadrilha formada por menores
DOURADOS
Ex-secretário de Saúde e empresário são levados à PED e defesas tentam liberdade