Menu
Busca terça, 25 de junho de 2019
(67) 9860-3221

Prefeitura licita construção e equipamentos de usina de Leite

15 dezembro 2003 - 12h06

A aquisição de equipamentos e material para construção da mini-usina de Pasteurização de leite está em fase de licitação. A implementação é uma solução definitiva para cerca de 88 produtores que produzem cerca de 40% do leite comercializado em Dourados e que não contam com equipamentos ideais que legalize a comercialização de leite de acordo com legislação federal. A licitação foi solicitada assim que o prefeito Laerte Tetila assinou convênio no Ministério do Desenvolvimento Agrário, na semana passada, em Brasília, liberando R$ 156 mil. Em contrapartida, a prefeitura de Dourados vai entrar com R$ 17 mil. A mini-usina de pasteurização de leite soluciona o problema dos produtores e vendedores de leite “in natura” porque legaliza a atividade comercial, submetendo o leite à qualidade prevista em lei.Além de poder contar com equipamentos e locais apropriados, os trabalhadores vão ter também acompanhamento zootécnico do rebanho. “Com a implementação da mini-usina, mais do que incrementar a qualidade do produto comercializado, vai ser possível incluir novos mini-produtores ao sistema, proporcionando a inclusão social e econômica das famílias beneficiadas, capacitação e qualificação profissional dos produtores”, garante o secretário Municipal de Agricultura Huberto Paschoalick. O leite “in natura” dos produtores ambulantes é muito importante porque representa quase a metade do leite comercializado no município, principalmente os bairros periféricos da cidade. “A relação consumidor e produtor é caracterizada por uma relação direta baseada na confiança tanto da entrega pelo vendedor quanto do pagamento pelo consumidor no final do mês”, expõe o secretário ao relatar que é antiga a luta pela sobrevivência destes produtores de leite “in natura”.Com o objetivo de se organizarem, os produtores de Dourados formaram uma associação de Vendedores Ambulantes (AVALEITE) desde 97. Formado por 88 associados, a idéia do grupo é agregar e representar os produtores e vendedores de leite “in natura” no município, superando as dificuldades em se manter uma produção que obedeça às determinações previstas pelo Ministério da Agricultura, que acabam saindo a um custo muito alto. “A recente proibição desta comercialização causou grande apreensão nas pessoas que vivem desta atividade, porque não têm escala de produção para comercializarem diretamente com o laticínio”, salienta Huberto. No entanto, desde que soube da dificuldade da categoria, o deputado João Grandão se empenhou em viabilizar a liberação dos recursos solicitados pelos produtores, o que vão garantir, aos produtores, melhores condições de trabalho a partir do próximo ano. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

CRIME AMBIENTAL
Fazendeiro é autuado em R$ 73 mil por desmatamento de vegetação nativa
ANAURILÂNDIA
Médicos que faziam dupla jornada deverão devolver R$ 300 mil
CAPITAL
Motociclista de 43 anos morre em hospital depois de sofrer queda
JUSTIÇA
STF decide manter Lula preso enquanto não analisar suspeição de Moro
CAMPO GRANDE
Polícia desmantela laboratório de refino de cocaína e prende três
FLAGRANTE
Jornalista é preso tentando extorquir prefeito para não contar "bomba"
TRT/MS
Tribunal Regional do Trabalho abre inscrições para Programa de Estágio
MS
Traficante é preso com quase 300 kg de maconha em Nova Andradina
ESPORTES
Douradenses se destacam em Brasileiro de Karatê
JUDICIÁRIO
STF rejeita primeiro pedido de liberdade ao ex-presidente Lula

Mais Lidas

POLÍCIA
Gangue invade festa e esfaqueia três adolescentes em Dourados
HOSPITAL DA VIDA
Jovem morre horas após acidente de moto
DOURADOS
Trans e namorado são presos suspeitos de extorquir cliente após programa
DOURADOS
Jovem morre ao bater moto contra carreta parada no Água Boa