Menu
Busca quinta, 20 de fevereiro de 2020
(67) 9860-3221

Prefeito de Paranaíba é preso por brigar com padrasto de menor

02 dezembro 2003 - 12h28

O prefeito de Paranaíba, Diogo Tita (PMDB), foi detido no último sábado depois de uma briga com um homem identificado como Elion, padrasto da menor M.D.M.B., que o acusa na Justiça de estupro e exploração sexual.De acordo com os policiais, Tita estava bêbado e provocou o padrasto da adolescente no trânsito. Os dois teriam parado em uma conveniência, onde houve tumulto, e, logo depois, a polícia teria detido o prefeito que prestou depoimento e em seguida foi liberado.A CPI Mista do Congresso também investiga as acusações de exploração sexual e estupro contra Tita, mas o caso só será avaliado a partir do dia 15 de fevereiro, quando termina o recesso parlamentar. Isso porque até o dia 11 deste mês, quando começam as férias de deputados e senadores, só serão analisados casos envolvendo o turismo sexual de crianças e adolescentes.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
CCZ aplica R$ 140 mil em multas por focos do mosquito transmissor da dengue, zika e Chikungunyia
POLÍCIA
Confira dicas para sair de viagem neste feriado e deixe sua casa segura
FÁTIMA DO SUL
Mulher é encontrada morta a marteladas e namorado é principal suspeito
TENTATIVA DE HOMICÍDIO
Homem que baleou rival no Harrison é preso em Fátima do Sul
DOURADOS
Sexta Turma do STJ nega por unanimidade habeas corpus para ex-secretário de Saúde
ECONOMIA
Imposto de Renda 2020: entrega da declaração começa dia 02 de março
FUTEBOL
Águia Negra vence o Aquidauanense por 2 a 1 e segue lider do Estadual
LOTERIA
Mega-Sena acumula mais uma vez e prêmio vai a R$ 190 milhões
FERIADO
PRF lança nesta sexta-feira a Operação Carnaval 2020
UNIGRAN
Design de Interiores utiliza metodologias ativas para preparar profissionais

Mais Lidas

APÓS 9 ANOS
Hipermercado fecha as portas em Dourados no final do mês
DOURADOS
Policial aposentado mata homem e diz ter sido ameaçado com faca
VIOLÊNCIA
Homem é assassinado em frente a padaria em Dourados
DOURADOS
Júri termina com réu condenado a 15 anos por matar desafeto em 2018