Menu
Busca quarta, 22 de janeiro de 2020
(67) 9860-3221

Preconceito é tema de aula de jornalismo na Unigran

11 agosto 2006 - 06h29

A presidente da AGLTD (Associação de Gays, Lésbicas e Transgêneros de Dourados), Cláudia Assunpção, concedeu entrevista aos acadêmicos do 4º semestre do curso de jornalismo da Unigran na noite de segunda-feira. Ela falou sobre o seminário que a associação promove esta semana, sobre diversidade e preconceito, e também sobre a “Parada Gay” marcada para o próximo sábado. Ela esteve na universidade a convite do professor Alfredo Bárbara Neto, da disciplina jornalismo impresso IV. Cláudia iniciou sua fala contando sua história de luta em favor da causa GLS. A palestrante afirmou que enfrentou a incompreensão da família que a internou em um sanatório na capital do Estado por não concordar com seu comportamento. Lá, ela se descobriu transexual e se aceitou. Voltando para Dourados, enfrentou preconceito na escola e no mercado de trabalho. Observando o desrespeito aos direitos dos transgêneros, entrou na luta em favor da causa. Espelhando-se na capital, que fundou uma associação em 2001, Cláudia criou a AGLTD dia 12 de junho de 2004, buscando dar apoio a esta comunidade. A associação já garantiu muitos direitos em favor da comunidade GLT, como o combate a doenças sexualmente transmissíveis, garantia de direitos contra abusos e a freqüentar quaisquer locais. Também luta pela conscientização de toda a sociedade para a causa, tendo conseguido muitos avanços nesta área através da mídia, palestras nas escolas e reuniões. Neste ano, além da Parada da diversidade que espera repetir o sucesso de 2005, a AGLTD traz palestrantes de outros Estados para o seminário que acontecerá no Teatro Municipal entre os dias 9 e 12. O seminário abordará temas como a diversidade, homofobia, militância, direitos humanos, saúde, propostas políticas e educacionais e novas perspectivas. A entrada é franca para toda a comunidade e a abertura do evento ocorrerá a partir das 19 horas do dia 9. Cláudia Assunpção espera, através dessas ações, que toda a sociedade se engaje na luta contra o preconceito e a homofobia, mudando a visão estereotipada que muitos têm dessa comunidade. Sua história de luta em favor das minorias vem de longa data sempre superando desafios e buscando o respeito por parte da sociedade. (* Acadêmico do 4º semestre de jornalismo da Unigran).

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Atividade do comércio encerra 2019 com alta de 2,0%, revela Serasa
DOURADOS
Aced e Senai firmam parceria buscando qualificação para empresários
PLEBISCITO
Senado chileno aprova paridade de gênero no processo constituinte
ESTADO
ONU cita universidade de MS por debater proteção da natureza
ESTADO
Instituto ligado à Fiems anuncia 1,3 mil vagas de estágio para preencher até fevereiro
Ciência e Tecnologia
Fundação de MS abre edital para intercâmbio de pesquisadores do Reino Unido e Brasil
STJ
Mesmo com a revogação do Estatuto do Estrangeiro, declaração falsa em pedido de residência pode configurar crime
ESTADO
TJ mantém até 7 de fevereiro inscrição para Campanha de Páscoa
BRASIL
Anvisa orienta vigilâncias a fiscalizar interdição da Backer
DOURADOS
Banco que arrematou folha da prefeitura por R$ 22 milhões faz mutirão para abrir contas

Mais Lidas

UFGD
Aluna branca aprovada em Medicina como indígena aponta engano na inscrição
EMPREGO
Empresa abre 136 vagas para classificadores de grãos em Dourados e região
POLÍCIA
Mulheres são presas com malas ‘recheadas’ de maconha no Jardim Santo André
POLÍCIA
Participante de fuga em massa no Paraguai é recapturado em MS