Menu
Busca domingo, 26 de janeiro de 2020
(67) 9860-3221

Preço da cesta básica individual cai 4,56% no mês de julho

09 agosto 2006 - 07h38

A cesta básica alimentar individual apresentou variação negativa de 4,56% no mês de julho de 2006, segundo a pesquisa mensal realizada pela Secretaria de Estado de Planejamento e de Ciências e Tecnologia (Seplanct). Isso significa que no mês passado o trabalhador precisou desembolsar R$ 144,36 para comprar os 15 produtos que integram a cesta individual, calculada para alimentar um adulto. O valor foi R$ 6,89 menor (- 4,56%) que o necessário para comprar os mesmos produtos em junho, quando a cesta custou R$ 151,25.Esta é a segunda queda consecutiva avaliada pela Seplanct na cesta básica individual. Em maio, os produtos ficaram 0,55% mais baratos que abril de 2006. No mês de junho foi apurada queda de 4,92% em relação à avaliação de maio. Conforme os dados da Seplanct, a cesta básica individual está 3,84% mais barata no acumulado dos últimos 12 meses. Nos primeiros sete meses de 2006, os produtos sofreram queda de 2,68%.Ainda segundo a pesquisa, as quedas mais significativas foram registradas no setor de hortifrúti, com liderança para a alface (-17,51%), seguido pelo tomate (-16,05%). Também houve redução nos preços do feijão (-8,20%); margarina (-5,86%); sal (-4,35%); laranja (-3,02%) e açúcar (-2,34%). Houve, ainda, alta nos preços do macarrão (8,45%); arroz (3,12%); óleo (2,75%); banana (1,74%); leite (0,91%); batata (0,73%). O pão e a carne mantiveram seus preços inalterados.A alteração no preço do arroz foi avaliada pelos técnicos que compõem a pesquisa como conseqüência do alto valor dos adubos químicos puxados pela valorização do petróleo. Há expectativa de estabilização dos preços se a colheita do produto crescer em até 1%, especialmente na região de Santa Catarina. A alta do óleo vegetal é justificada pelas altas cotações internacionais da soja, fator que também deve se estabilizar em benefício ao consumidor.Por meio da pesquisa, a Seplanct avaliou quanto o trabalhador precisou trabalhar para adquirir a cesta básica individual. O montante ficou em 90h44 trabalhadas no mês de julho, considerando a jornada de trabalho de 220 prevista pela Constituição. Em junho foi preciso trabalhar 95h04 para a compra dos 15 produtos da cesta. O cálculo é feito com base no salário-mínimo (R$ 350,00). 

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Mourão inaugura estátua de D. Pedro I em São Paulo
CRIME AMBIENTAL
Paulistano é multado em R$ 21 mil por derrubar mata atlântica em MS
Grupo de Trabalho
Reunião discute combate ao feminicídio em Mato Grosso do Sul
BRASIL
Grupos de estudantes podem agendar visitas às sessões plenárias e das Turmas do STF
ESTADO
MEC aprova 1ª Residência Multiprofissional em Saúde da Família da UEMS
BRASIL
Chuvas em Minas Gerais já fizeram 7 mortos
CONTRABANDO
Casal é preso com mais de R$ 400 mil em relógios e celulares
POLÍTICA INTERNACIONAL
Brasil e Índia assinam acordos em tecnologia, energia e segurança
CAPITAL
Homem é atacado por pitbull em praça quando brincava com os filhos
TRÁFICO DE DROGAS
Cocaína apreendida em Ponta Porã seria levada para Brasília

Mais Lidas

TRAGÉDIA
Pai e filha moradores de Dourados morrem em acidente no Paraná
DOAÇÃO
Órgãos captados em Dourados vão salvar vidas em três Estados
TRÁFICO
‘Espaço de lazer’ em Dourados era usado para guardar drogas e abrigar fugitivos
DOURADOS
Assassinato na Vila Rosa aconteceu por ciúmes durante manutenção em porta