Menu
Busca terça, 16 de julho de 2019
(67) 9860-3221
POLÍTICA

Youssef diz que representante da campanha de Dilma lhe pediu dinheiro

03 julho 2015 - 19h30

G1

O doleiro Alberto Youssef, preso na operação Lava Jato, disse à Justiça Eleitoral que foi procurado por um suposto emissário da campanha da presidente Dilma Rousseff no início de 2014 para trazer para o Brasil dinheiro depositado no exterior. A informação foi publicada nesta sexta-feira (3) no jornal "Folha de S. Paulo" e confirmada pela GloboNews.

Youssef falou ao juiz eleitoral que foi procurado por uma pessoa chamada Felipe, mas disse que não se lembra do sobrenome. Ele teria pedido que Youssef trouxesse de volta ao Brasil entre R$ 5 milhões e R$ 20 milhões. A negociação, segundo o doleiro, não foi adiante, porque ele foi preso em março daquele ano.

Youssef, que assinou acordo de delação premiada com o Ministério Público, é acusado de chefiar um esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas que teria movimentado cerca de R$ 10 bilhões.

À reportagem da "Folha", o ministro Edinho Silva (Comunicação Social), que foi tesoureiro da campanha de Dilma, afirmou que o depoimento de Alberto Youssef deixa claro que o doleiro "nunca manteve contato com a campanha de Dilma Rousseff" à reeleição e declarou que desconhece as pessoas citadas. O PT informou ao jornal que não se pronunciaria sobre o caso.

A declaração de Youssef foi dada no depoimento prestado ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no dia 9 de junho em Curitiba, dentro de uma ação judicial movida em dezembro do ano passado pelo PSDB que pede a cassação do mandato da presidente Dilma Rousseff, sob o argumento de abuso de poder econômico e político.

Em dezembro de 2014, o PSDB protolocou no TSE um pedido para cassar o registro de candidatura da presidente Dilma Rousseff e de seu vice, Michel Temer, e para determinar que o senador Aécio Neves (PSDB-MG), que ficou em segundo lugar nas eleições, assuma a Presidência da República.

Na mesma ação, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, também preso na operação Lava Jato, foi ouvido.

No dia 14 de julho, o empreiteiro Ricardo Pessoa, que seria o coordenador do clube das empreiteiras, vai prestar depoimento na ação do TSE. No fim de junho, o TSE rejeitou um pedido apresentado pelo PT para cancelar o depoimento a ser dado por Pessoa no próximo dia 14.

A ação está em fase final de coleta de provas e deve ser julgada até o agosto.

Deixe seu Comentário

Leia Também

FAMOSOS
Marina Ruy Barbosa tem o Instagram hackeado: “providências estão sendo tomadas”
DOURADOS
Coordenadora de Ceim é exonerada e pais fazem abaixo-assinado para tentar mantê-la
TECNOLOGIA
Como monitorar o celular do esposo
BRASIL
Governo não teme judicialização da reforma da Previdência, diz AGU
ASSEMBLEIA
Deputados encerram 1º semestre com mais de 2 mil proposições apresentadas
CÂMARA DOS DEPUTADOS
Exonerado para cumprir rito, Geraldo Resende volta à Câmara e diz que terá dia produtivo em Brasília
DOURADOS
Délia diz que novas exonerações na prefeitura ainda dependem de estudo
BRASIL
Bolsonaro participa de Reunião do Conselho de Governo
FRONTEIRA
Polícia recupera veículo roubado no RJ e que seria entregue no Paraguai
DOURADOS
Assassinado em conveniência já cumpriu pena por tráfico e lavagem de dinheiro

Mais Lidas

DOURADOS
Homem é assassinado a tiros em conveniência
DOURADOS
Homem é morto no Jardim Pantanal; segundo homicídio da noite
DOURADOS
Homem é baleado no Jardim Pelicano
DOURADOS
Homem assassinado no Jardim Pantanal tinha 23 anos