Menu
Busca domingo, 18 de novembro de 2018
(67) 9860-3221
POLÍTICA

Youssef diz que representante da campanha de Dilma lhe pediu dinheiro

03 julho 2015 - 19h30

G1

O doleiro Alberto Youssef, preso na operação Lava Jato, disse à Justiça Eleitoral que foi procurado por um suposto emissário da campanha da presidente Dilma Rousseff no início de 2014 para trazer para o Brasil dinheiro depositado no exterior. A informação foi publicada nesta sexta-feira (3) no jornal "Folha de S. Paulo" e confirmada pela GloboNews.

Youssef falou ao juiz eleitoral que foi procurado por uma pessoa chamada Felipe, mas disse que não se lembra do sobrenome. Ele teria pedido que Youssef trouxesse de volta ao Brasil entre R$ 5 milhões e R$ 20 milhões. A negociação, segundo o doleiro, não foi adiante, porque ele foi preso em março daquele ano.

Youssef, que assinou acordo de delação premiada com o Ministério Público, é acusado de chefiar um esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas que teria movimentado cerca de R$ 10 bilhões.

À reportagem da "Folha", o ministro Edinho Silva (Comunicação Social), que foi tesoureiro da campanha de Dilma, afirmou que o depoimento de Alberto Youssef deixa claro que o doleiro "nunca manteve contato com a campanha de Dilma Rousseff" à reeleição e declarou que desconhece as pessoas citadas. O PT informou ao jornal que não se pronunciaria sobre o caso.

A declaração de Youssef foi dada no depoimento prestado ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no dia 9 de junho em Curitiba, dentro de uma ação judicial movida em dezembro do ano passado pelo PSDB que pede a cassação do mandato da presidente Dilma Rousseff, sob o argumento de abuso de poder econômico e político.

Em dezembro de 2014, o PSDB protolocou no TSE um pedido para cassar o registro de candidatura da presidente Dilma Rousseff e de seu vice, Michel Temer, e para determinar que o senador Aécio Neves (PSDB-MG), que ficou em segundo lugar nas eleições, assuma a Presidência da República.

Na mesma ação, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, também preso na operação Lava Jato, foi ouvido.

No dia 14 de julho, o empreiteiro Ricardo Pessoa, que seria o coordenador do clube das empreiteiras, vai prestar depoimento na ação do TSE. No fim de junho, o TSE rejeitou um pedido apresentado pelo PT para cancelar o depoimento a ser dado por Pessoa no próximo dia 14.

A ação está em fase final de coleta de provas e deve ser julgada até o agosto.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍTICA
Comissão sobre Escola sem Partido faz nova tentativa de votar relatório
POLÍTICA
Em encontro com Maia e Bolsonaro, governadores defendem votação de projetos para enfrentar crise
ECONOMIA
União já pagou este ano R$ 3,5 bi em dívidas atrasadas dos estados
TRÊS LAGOAS
Homem cai em golpe ao tentar comprar carro na internet
MATO GROSSO DO SUL
Edital para inserção de jovens no mercado de trabalho está aberto até dezembro
Processo visa a seleção de entidades que possam atuar, em parceria com a SED, no acompanhamento de estudantes, matriculados no ensino médio, para a atuação profissional.
TV
Samantha Schmütz celebra papel dramático em 'Carcereiros': 'Porta para o público me ver de uma maneira diferente'
CAPITAL
Motorista sem CNH fura sinal, foge da polícia e acaba preso dentro de casa
BRASIL
Defensoria Pública pede à Justiça manutenção de regras do Mais Médicos
FAMOSA
Susana Vieira abre o jogo sobre luta contra a leucemia: “Perguntei ao médico quando vou morrer”
CAPITAL
Mais de 20 acidentes foram registrados nesta madrugada em Campo Grande

Mais Lidas

DOURADOS
Bandido armado faz arrastão do Flórida ao Centro durante a noite
DOURADOS
Dupla desobedece ordem de parada, é perseguida e acaba presa em flagrante por porte de arma
CAMPO GRANDE
Homem se joga do 9° andar de hotel luxuoso na Capital
NOVA ALVORADA DO SUL
Acidente entre dois veículos termina com dois feridos e BR-163 interditada