Menu
Busca quarta, 20 de fevereiro de 2019
(67) 9860-3221
POLÍTICA

Youssef diz que representante da campanha de Dilma lhe pediu dinheiro

03 julho 2015 - 19h30

G1

O doleiro Alberto Youssef, preso na operação Lava Jato, disse à Justiça Eleitoral que foi procurado por um suposto emissário da campanha da presidente Dilma Rousseff no início de 2014 para trazer para o Brasil dinheiro depositado no exterior. A informação foi publicada nesta sexta-feira (3) no jornal "Folha de S. Paulo" e confirmada pela GloboNews.

Youssef falou ao juiz eleitoral que foi procurado por uma pessoa chamada Felipe, mas disse que não se lembra do sobrenome. Ele teria pedido que Youssef trouxesse de volta ao Brasil entre R$ 5 milhões e R$ 20 milhões. A negociação, segundo o doleiro, não foi adiante, porque ele foi preso em março daquele ano.

Youssef, que assinou acordo de delação premiada com o Ministério Público, é acusado de chefiar um esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas que teria movimentado cerca de R$ 10 bilhões.

À reportagem da "Folha", o ministro Edinho Silva (Comunicação Social), que foi tesoureiro da campanha de Dilma, afirmou que o depoimento de Alberto Youssef deixa claro que o doleiro "nunca manteve contato com a campanha de Dilma Rousseff" à reeleição e declarou que desconhece as pessoas citadas. O PT informou ao jornal que não se pronunciaria sobre o caso.

A declaração de Youssef foi dada no depoimento prestado ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no dia 9 de junho em Curitiba, dentro de uma ação judicial movida em dezembro do ano passado pelo PSDB que pede a cassação do mandato da presidente Dilma Rousseff, sob o argumento de abuso de poder econômico e político.

Em dezembro de 2014, o PSDB protolocou no TSE um pedido para cassar o registro de candidatura da presidente Dilma Rousseff e de seu vice, Michel Temer, e para determinar que o senador Aécio Neves (PSDB-MG), que ficou em segundo lugar nas eleições, assuma a Presidência da República.

Na mesma ação, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, também preso na operação Lava Jato, foi ouvido.

No dia 14 de julho, o empreiteiro Ricardo Pessoa, que seria o coordenador do clube das empreiteiras, vai prestar depoimento na ação do TSE. No fim de junho, o TSE rejeitou um pedido apresentado pelo PT para cancelar o depoimento a ser dado por Pessoa no próximo dia 14.

A ação está em fase final de coleta de provas e deve ser julgada até o agosto.

Deixe seu Comentário

Leia Também

THETAHEALING
Capital sedia curso sobre cura energética no final de semana
EM BRASÍLIA
Reforma da Previdência deve incluir interesses de estados e municípios, diz Reinaldo Azambuja
SUSTO
Cascavel é capturada em cômodo de casa na Capital; veja vídeo
DARUK
PF prende homem em operação contra pedofilia em MS
BRASIL
MEC vai rever texto da base de formação de professores
ASSEMBLEIA
Cota zero volta a ser debatida com sugestão de autorização para captura de jacarés
CAMPO GRANDE
Veneno em carne crua mata cinco animais na Capital
BRASIL
Gabaritos do Enade 2018 já estão disponíveis no site do Inep
MS
Concurso da Educação: Governo abre prazo para recurso das provas para administrativos
APARECIDA DO TABOADO
MPMS pede que Sanesul substitua tubulação que contenha amianto asbesto

Mais Lidas

CRIME EM 10 DE FEVEREIRO
Acusados de matar jovem a facadas em Dourados se apresentam à polícia
DOURADOS
"Lata de sardinha": universitários sofrem com ônibus lotados para chegar até Universidades
TRÁFICO
Trio é preso com mais de meia tonelada de cocaína
DOURADOS
Polícia busca imagens para chegar a motociclista que atropelou e matou criança