Menu
Busca quarta, 22 de maio de 2019
(67) 9860-3221

TJ-MS suspende quebra de sigilo bancário da Assembleia Legislativa

04 janeiro 2013 - 08h05

O Tribunal de Justiça em Mato Grosso do Sul (TJ-MS) derrubou liminar que determinava a quebra do sigilo bancário da Assembleia Legislativa, conforme pedido feito em ação popular protocolada por um grupo de advogados. A solicitação foi feita com base nas investigações na Operação Uragano, da Polícia Federal, que apurou desvio de verbas e fraudes em licitações em Dourados.

A suspensão da liminar foi dada no dia 27 de dezembro, durante o plantão do recesso do fim do ano, pelo desembargador João Batista da Costa Marques, vice-presidente do tribunal. O magistrado acatou os argumentos da assessoria jurídica da Assembleia Legislativa. “(...) não é razoável a decretação da quebra de sigilo bancário quando o processo não se mostra maduro o suficiente para concessão de tal medida (...)”.

O advogado Jully Heyder da Cunha Souza, um dos requerentes do processo, disse que o grupo reuniu-se na quarta-feira (2) e irá recorrer da decisão. Souza explicou que inicialmente será protocolado um agravo de instrumento para que um órgão especial, formado por 15 desembargadores, avalie a decisão dada pelo vice-presidente. Caso seja negado, um outro recurso será impetrado no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

###Decisão
Na decisão que suspendeu a quebra, Marques avalia que o processo protocolado pelos advogados está baseado em reportagens veiculadas sobre a Operação Uragano, entre elas, o vídeo em que ex-deputado estadual Ary Rigo, fala sobre um suposto esquema de pagamentos que envolveria Assembleia Legislativa e ocupantes de cargos públicos no Executivo e Judiciário.

No despacho, consta: “(...) é certo que reportagens jornalísticas não podem ser consideradas como prova robusta para concessão de medida tão drástica como a quebra de sigilo bancário”. À época, Rigo negou envolvimento no caso e disse que o vídeo foi retirado de um contexto.

Segundo a decisão, o desembargador avalia que não há perigo imediato caso a quebra de sigilo não seja concedida, pois os dados podem ser solicitados a qualquer momento.

###Operação Uragano
A operação foi deflagrada pela Polícia Federal no dia 1º de setembro de 2010, em investigação a desvio de verbas e fraudes em licitações em Dourados. Segundo a Justiça em Mato Grosso do Sul, 60 pessoas foram denunciadas, acusadas de se beneficiar do esquema.

Na ação popular, o grupo pede a restituição dos valores que teriam sido desviados e, para isso, a quebra de sigilo seria necessária para averiguar esse montante.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MS-270
Caminhão possuía 84 fardos de maconha e droga ultrapassa 1,6 tonelada
ASSEMBLEIA
Aprovado projeto de lei de Renato Câmara que garante cadastro provisório à assentados de MS
MS
Acidente deixa uma pessoa ferida na BR-163, próximo a Naviraí
MS
Carga de maconha apreendida próximo a assentamento deve ultrapassar 1t
APÓS ADIAMENTO DE PROVA
MPF recomenda que IFMS não restrinja caráter competitivo de novos concursos
SAÚDE
Você sabe o que é Lúpus?
CONTRABANDO
Carga com 600 mil maços de cigarros é apreendida em MS
HONRA AO MÉRITO
Sessão solene homenageia quem faz a história de Dourados
BONITO
Congresso Holístico terá palestra sobre “liberdade”, com Caroline Figueiró
PEDRO JUAN
Três suspeitos de chacina na fronteira são presos pela polícia paraguaia

Mais Lidas

DOURADOS
Presos fazem motim na PED em ala ocupada por membros de facção criminosa
POLÍCIA
Após pescaria, marido encontra desconhecido na frente de casa e ameaça mulher com arma em Dourados
ACIDENTE
Motociclista avança preferencial, colide com outra moto e morre
EDUCAÇÃO
Greve atinge escolas em Dourados e prejudica merenda, inspeção e limpeza