Menu
Busca quarta, 21 de agosto de 2019
(67) 9860-3221

Takimoto pede vacina contra HPV em programa de imunizações

19 dezembro 2012 - 12h53

Por indicação do deputado estadual George Takimoto (PSL), a Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul reivindicou à presidenta Dilma Rousseff e ao ministro da Saúde, Alexandre Padilha, para que ponham à disposição da rede pública a vacina contra o HPV (Papilomavírus Humano). na solicitação, Takimoto sugere que a vacina seja incluída no Programa Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde (PNI/MS), pelo Sistema Único de Saúde (SUS), e no Programa Nacional de DST/Aids.

Médico desde 1968, Takimoto observa que a realidade da saúde pública no Brasil impõe esta providência como uma das medidas imperiosas e inadiáveis. O HPV é um dos fatores para o desenvolvimento do câncer de colo do útero. A transmissão do HPV se dá, em geral, pela via sexual, sendo considerada a DST (Doença Sexualmente Transmissível) mais frequente na população. "Cerca de 50% das pessoas sexualmente ativas vão entrar em contato com o HPV em algum momento da vida", reforça o deputado. "Os dados são bem alarmantes e impedem que permaneçamos inertes", preocupa-se.

###REGISTROS
O INCA (Instituto Nacional do Câncer) aponta ocorrência de 18.000 casos novos de câncer do colo uterino no Brasil a cada ano. Aproximadamente quatro mil mulheres morrem vítimas dessa doença no país. Duas vacinas preventivas estão registradas no Brasil: a tetravalente - que teve seu registro publicado em 2006, indicado para mulheres de 9 a 26 anos e age contra HPV tipos 6, 11, 16 e 18 - e a bivalente, homologada em 2008 e indicada para mulheres de 10 a 25 anos de idade para dois tipos de HPV, o 16 e o 18. Estudos demonstram ser a vacina altamente eficaz para quem recebeu as três doses.

Takimoto aborda, inclusive, aspectos econômicos em sua proposição. "´É evidente que os custos para o tratamento de câncer de colo de útero superam custos com a vacina, sem considerar o mais importante, a saúde e a vida das pessoas. Por esta razão não se justifica o não-fornecimento da vacina pela rede pública de saúde pelo fator econômico, pelo impacto orçamentário", argumenta.


Deixe seu Comentário

Leia Também

ESTADO
Cadastro de reserva para professores temporários da Rede Estadual segue até domingo
BRASIL
Guedes: governo vai acelerar privatizações até final do ano
LOTERIA
Prêmio da Mega deve pagar R$ 31 milhões nesta quarta
MIRANDA
Prefeita é afastada por compra de votos e TRE/MS determina novas eleições
DOURADOS
Na ExpoMundi, stand sulista mata a saudade das delícias do Rio Grande
BRASIL
Lava Jato cumpre mandados de prisão por propina paga a 2 ex-ministros
CAMPO GRANDE
Nelsinho Trad intervém pela proposta do irmão em transformar hotel em casas populares
JUDICIÁRIO
Casos de facções rivais e de serial killer estão entre os júris da semana
JAPORÃ
Suspeito de tentativa de homicídio é preso no Sul do MS
REGIÃO
Em Jateí, programa de combate ao tabagismo incentiva mudança de hábitos e promove qualidade de vida

Mais Lidas

DOURADOS
Ladrão é preso acusado no furto de carro, R$ 30 mil em joias e eletrônicos
ESTUPRO
Homem é preso após dormir com a namorada de 11 anos
POLÍCIA
Integrante de quadrilha especializada em roubo à famílias é apresentado pelo SIG
JOAQUIM TEIXEIRA ALVES
Mulher perde quase R$ 4 mil em assalto no Centro de Dourados