Menu
Busca quarta, 26 de junho de 2019
(67) 9860-3221
JUDICIÁRIO

STF impede Bolsonaro de extinguir via decreto conselhos criados por lei

13 junho 2019 - 19h50Por G 1

O plenário do STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu nesta quinta-feira, dia 13 de junho, por unanimidade impedir que o presidente Jair Bolsonaro extinga, por decreto, conselhos da administração federal que tenham amparo em lei.

Durante o julgamento, o plenário se dividiu em duas posições: os que votaram para impedir o presidente de extinguir, por ato unilateral, qualquer conselho da administração pública federal, e os que entenderam que a proibição ficava restrita apenas aos conselhos mencionados em leis.

A decisão é liminar (provisória) e o tema ainda terá de ser discutido definitivamente pelo plenário da Corte em julgamento ainda sem data marcada.

Esta foi a primeira vez que a Suprema Corte analisou uma ação que contesta ato de Bolsonaro como presidente da República.

O caso começou a ser julgado nesta quarta-feira (12) e foi finalizada na sessão desta quinta, com os votos do presidente Dias Toffoli e do ministro Gilmar Mendes.

A ação julgada, apresentada pelo PT, contesta dois dispositivos do decreto assinado em abril por Bolsonaro nas comemorações dos primeiros 100 dias de governo.

O ato presidencial determinou a extinção, a partir de 28 de junho, de conselhos, comissões, fóruns e outras denominações de colegiados da administração pública.

Com os votos de Gilmar Mendes e Dias Toffoli nesta quinta, aderindo à última corrente, o plenário decidiu por maioria impedir, provisoriamente, Bolsonaro de fechar os colegiados previstos em lei.

“Nenhuma dúvida de que o decreto não poderia extinguir colegiados criados por lei”, afirmou Gilmar Mendes nesta quinta-feira. ”O Executivo não pode legislar por decreto”, ressaltou o ministro, para quem “norma malfeita causa confusão”.

Gilmar e Toffoli aderiram ao voto do relator, ministro Marco Aurélio Mello, que já havia sido acompanhado por Alexandre de Moraes, Ricardo Lewandowski e Luiz Fux.

Os ministros Edson Fachin, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Cármen Lúcia e Celso de Mello votaram para ampliar a proibição de extinção a todos os conselhos, mas acabaram vencidos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Mulher é presa com mala 'recheada' com maconha
FUTEBOL
Brasil abre amanhã contra Paraguai as quartas de final da Copa América
DOURADOS
Sessões de novos julgamentos de vereadores na Câmara terão o mesmo rito
INTERNACIONAL
Militar da Aeronáutica é preso com drogas em aeroporto na Espanha
CAMPO GRANDE
Quarentena do Aquário do Pantanal se transforma em laboratório com destaque internacional
POLÍCIA
Três motos são furtadas de mulheres em Dourados
BOA AÇÃO
Hemocentro de Dourados estará aberto ao público no sábado
PREVISÃO
Defesa Civil alerta para risco de chuvas intensas em 47 municípios de MS
DOURADOS
Mulher fica ferida ao ser agarrada pelas costas por assaltante armado com faca
BRASIL
Xuxa Meneghel vira "babá" de Zoe enquanto Sabrina Sato trabalha

Mais Lidas

DOURADOS
Trans e namorado são presos suspeitos de extorquir cliente após programa
FRONTEIRA
Homem assassinado em estacionamento de shopping é ex-policial
DOURADOS
Jovem morre ao bater moto contra carreta parada no Água Boa
DOURADOS
Homem escapa de tiros na Vila Toscana; ex-namorada e o atual dela seriam os autores