Menu
Busca sexta, 16 de novembro de 2018
(67) 9860-3221
POLÍTICA

Sessão que vai apreciar denúncia contra Temer começa às 9h de quarta-feira

20 outubro 2017 - 07h30Por Agência Brasil

Aliados do governo trabalham para garantir um quórum alto para a votação na próxima quarta-feira, dia 25 de outubro, do parecer do deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG) pela inadmissibilidade da denúncia contra o presidente Michel Temer e os ministros Eliseu Padilha, da Casa Civil, e Moreira Franco, da Secretaria-Geral da Presidência. De acordo com roteiro da Mesa da Câmara, a apreciação do parecer ocorrerá em sessão deliberativa extraordinária marcada para iniciar às 9 horas do dia 25 de outubro.

Mesmo afirmando que caberá à oposição colocar a maioria no plenário para a votação, o vice-líder e um dos principais articuladores do governo, deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS), disse que o núcleo do governo está trabalhando firme para que os deputados estejam em Brasília para a votação. “Quem tem que pôr número, a maioria, é a oposição, e ela não tem. Mesmo assim, os governistas estão convocando os deputados para virem votar. Além do núcleo do governo, os líderes dos partidos da base estão envolvidos no trabalho para ter o maior número de votos pró-governo”, disse Perondi.

As normas divulgadas para a sessão de votação determinam que a abertura da sessão se dará com 51 deputados e a Ordem do Dia será iniciada com o registro de presença no painel eletrônico do plenário de 52 deputados. Iniciada a Ordem do Dia, o relator do parecer na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, deputado Bonifácio de Andrada, terá 25 minutos para falar. Em seguida os advogados de defesa do presidente Temer e dos ministros terão cada um também 25 minutos para suas defesas. Os deputados que se inscreverem para discutir a matéria terão o tempo de cinco minutos, alternando-se entre contrários e favoráveis ao parecer.

Após quatro deputados falarem, já é possível ser apresentado requerimento de encerramento da discussão, que poderá ser colocado à deliberação do plenário, desde que haja pelo menos 257 deputados registrados no painel. Encerrada à discussão passa-se à fase da votação, que somente poderá ser iniciada com a presença registrada no painel de, no mínimo, 342 parlamentares. Será franqueada a palavra por até 5 minutos a dois oradores contrários e a dois favoráveis ao parecer, alternadamente, para o encaminhamento da votação.

Na fase seguinte, os líderes partidários terão assegurados até 1 minuto para orientar suas bancadas como devem votar. O parecer da CCJ será colocado à votação pelo processo de chamada nominal dos deputados, que responderão sim, não ou abstenção, conforme aprovem ou rejeitem o sentido do parecer de Andrada. A chamada dos deputados para a votação será em ordem alfabética, por estado, alternadamente do Norte para o Sul e vice-versa. Concluída a votação e tendo votado ao menos 342 parlamentares, será proclamado o resultado.

Para que a Câmara autorize o Supremo Tribunal Federal (STF) a iniciar as investigações contra o presidente da República e os ministros, são necessários no mínimo 342 votos contrários ao parecer do relator Bonifácio de Andrada.

Deixe seu Comentário

Leia Também

RURAL
Mesmo com chuva, usinas de MS mantêm moagem de cana na quinzena
ECONOMIA
Dólar cai e fecha a R$ 3,73 após indicação de Campos Neto para o BC
DOURADOS
Homem que ficou com o carro submerso em túnel foi resgatado por corda arremessada por popular
TRÁFICO
Mulher é presa em Dourados com maconha e haxixe escondidos em painel de carro blindado
CAMPO GRANDE
Homem é preso por se masturbar olhando para jovem em ônibus
NOVO PRESIDENTE
Posse de Bolsonaro terá desfile em carro aberto e coquetel
DOURADOS
Carro fica submerso em túnel alagado e homem precisa quebrar o vidro para sair
ARTIGO
Os médicos cubanos e a saúde no Brasil
DOURADOS
Bueiro transborda e deixa região do PAM completamente alagada; veja vídeo
FLAGRANTE
Polícia apreende 2,5 kg de cocaína em ônibus na BR-262

Mais Lidas

CAMPO GRANDE
Empresário é executado e filho fica ferido em atentado
CAMPO GRANDE
Empresário executado na Capital era avalista em dívida de R$ 40 milhões
SUSTO
Veículo com placas de Dourados fica destruído ao ser atingido por vagões de trem
DOURADOS
Dupla armada rouba moto para assaltar empresa e levar R$ 3 mil