Menu
Busca quinta, 19 de julho de 2018
(67) 9860-3221

Secretários querem unidade de hemodiálise no Vale do Ivinhema

31 maio 2011 - 08h38

Secretários municipais de seis municípios estiveram reunidos sábado (28) para debater a necessidade de implantação de uma unidade de hemodiálise na região do Vale do Ivinhema. Os secretários entendem que há uma necessidade urgente dessa medida e que existe viabilidade técnica, pois o número de pacientes existentes na região preenche as exigências do Ministério da Saúde.

A reunião, que aconteceu no gabinete do coordenador da bancada federal de Mato Grosso do Sul, deputado federal Geraldo Resende (PMDB), em Dourados, foi organizada pelo secretário municipal de Saúde de Angélica Adaildo Cabral, a partir da constatação de que este é um pedido comum de seus colegas de vários municípios vizinhos.

“É necessário microregionalizar a assistência em saúde pública para facilitar o acesso da população”, afirmou Adaildo Cabral. Segundo ele, com a implantação de uma unidade de hemodiálise na região, o atendimento se tornará mais rápido e com menos transtornos aos pacientes, que hoje precisam se deslocar muitos quilômetros para fazerem o tratamento.

O secretário de saúde de Nova Andradina José Carlos Paiva Souza, o “Tito” disse que na região há 65 pacientes que são atendidos em Dourados, alguns no Paraná e outros no Estado de São Paulo. “Portanto, o número mínimo exigido pelo Ministério da Saúde, que é de 50 pacientes para a criação de um núcleo de hemodiálise já foi ultrapassado”, salientou.

Para o deputado federal Geraldo Resende a reivindicação dos secretários municipais é justa e tem como principal objetivo a humanização do atendimento. Por isso, ele comprometeu-se a levar o projeto ao conhecimento da bancada federal e a fazer todas as incursões necessárias junto à secretária de Estado de Saúde Beatriz Dobashi, ao governador André Puccinelli e ao ministro da Saúde Alexandre Padilha.

“Há poucos dias realizamos, em Dourados, uma audiência pública para discutir a questão da falta de vagas para a hemodiálise no município e já naquele momento constatei a necessidade de um núcleo em Nova Andradina. Da mesma forma que tenho abraçado outras lutas que busquem a melhoria do atendimento da saúde pública, podem contar comigo nesta nova batalha”, salientou Geraldo Resende.

Além de Adaildo Cabral e de José Carlos Paiva, o encontro contou com a presença dos secretários Benone Scaramal (Taquarussu), Silvia Rosenbaum (Batayporã), Maria Cleide Lisboa Fróes (Novo Horizonte do Sul) e de Michele Muniz dos Santos, (representando Sonia Henrique Garção, secretária de Saúde de Ivinhema), além de Luciana Regina de Souza, profissional da área de saúde de Angélica.

Deixe seu Comentário

Leia Também

UEMS
Educação a Distância promove curso de formação para acadêmica
FRONTEIRA
Oficial de Justiça é feita refém por homem revoltado com intimação
SELEÇÃO
Corpo de Bombeiros de MS abre inscrições para voluntários músicos
NAVIRAÍ
Mulher que descobriu gravidez aos 7 meses dá a luz no banheiro de casa
FIQUE ATENTO
Os homens também devem se preocupar com a saúde
SUDESTE DO BRASIL
Santo Antônio do Pinhal tem muita aventura de adrenalina
MENINAS ADOLESCENTES
Look do Dia: o visu nude deu match com o cabelo lavanda da Ariana Grande
MS-156
Traficantes abandonam caminhonete com mais de 1t de maconha
QUINTA DO CHOCOLATE
Sem demora: bolo de chocolate no microonda fica pronto em 10 minutos
COM INVERNO SECO
Colorido dos ipês contrasta com "poeira típica" douradense

Mais Lidas

DOURADOS
“Aqui é PCC!”, disseram atiradores que mataram dupla
DOURADOS
Maconha apreendida em caminhão e casa no Água Boa totalizou mais de 4,3t
CAMPO GRANDE
Douradense é preso acusado de ser mandante de tentativa de roubo de avião
PONTA PORÃ
Jovem diz que recebeu 25 kg de maconha como pagamento por sexo