Menu
Busca quarta, 17 de julho de 2019
(67) 9860-3221
DEBANDADA E RACHA NO PMDB

Geraldo alfineta colegas: "que sejam feliz em outro partido”

12 junho 2015 - 11h10

O deputado federal Geraldo Resende disse na manhã desta sexta-feira (12) que o PMDB trabalha para costurar candidatura própria para as eleições municipais de maneira coletiva e ‘cutucou’ lideranças que estão deixando o partido para integrar outras siglas visando a prefeitura no ano que vem.

Em visita ao Dourados News para falar sobre o 1º Seminário de Mobilidade Urbana que acontece nos dias 19 e 20 de junho na Câmara de Vereadores local, o parlamentar disse que trabalha de forma coletiva para construir um partido local forte e confirmou novamente que é pré-candidato ao cargo hoje ocupado por Murilo Zauith (PSB).

“Temos [PMDB] o projeto de chegar à presidência da República em 2018 e por isso precisamos nos fortalecer nos principais municípios do Estado e do país, e Dourados é um deles. Vamos trabalhar de forma coletiva para chegarmos onde almejamos. Agora, aqueles que preferem o lado individual, que visam os seus interesses e não se submetem a regras, têm toda a liberdade de seguir seu caminho e ser feliz. Eu e outros filiados ao PMDB somos pré-candidatos, mas precisamos ter regras para se escolher um nome”, comentou.

Sem citar nomes, a alfinetada foi para o radialista e ex-deputado federal [Marçal Filho](http://www.douradosnews.com.br/noticias/politica/de-saida-para-psdb-marcal-diz-que-pmdb-municipal-e-presidido-a-mao-de-ferro), que está retornando para o PSDB do governador Reinaldo Azambuja após quase duas décadas e a vereadora Délia Razuk, ainda no PMDB, mas que tem ameaçado se mudar em busca de espaço para a sucessão municipal.

Ambos teriam reclamado da maneira como a direção do partido é comandada por Resende. Marçal chegou a afirmar que o parlamentar preside o diretório com ‘mão de ferro’, conforme a coluna [Café Amargo](http://www.douradosnews.com.br/colunistas/cafe-amargo/marcal-filho-ja-marcou-data-para-posar-no-ninho-tucano) desta sexta.

Sobre a visita do ex-governador André Puccinelli na segunda-feira ao município, o deputado disse que serviu apenas para ‘ajudar na transição’ e não como interferência ou para aparar arestas do racha declarado.

“Ele [André] está com tempo e também é a maior liderança do partido em Mato Grosso do Sul. Foi uma agenda para conversarmos o projeto 2018 com a necessidade de lançarmos candidatos em todos os municípios do Estado. Há mais de 20 anos não temos candidato do PMDB em Dourados, e agora entendemos que necessitamos chegar forte”, relatou.

Em relação a quase certa manutenção da aliança com o PSB na majoritária, o deputado despistou e citou que o momento é para agregar parceiros. “Não só o PSB, mas também DEM, PSDB e outros que se uniram a nós nas eleições de 2012”, contou.


Deixe seu Comentário

Leia Também

SHOWBIZZ
De biquíni em Paraty, Mariana Ximenes suspira: "Pode já querer voltar?"
CAPITAL
Esposa de defensor público é encontrada morta em residência
POLÍCIA
Vítima de tiro do pai, estudante presta depoimento e diz que vai embora
TJ/MS
Coordenadora da Mulher debate violência de gênero em Genebra
BELA VISTA
Trabalhador procura polícia para denunciar trabalho escravo em carvoaria
STF
Decisão de Toffoli paralisa inquéritos de lavagem, diz Chefe da Lava Jato
PORTO MURTINHO
Homem disse que acordou com onça pintada nas costas, diz médico
NAVIRAÍ
Ladrões que invadiram casa de vereadora e roubaram joias são presos
BRASIL
Lista do Não me Perturbe já tem mais de 600 mil pessoas cadastradas
CAMPO GRANDE
Homem é executado com três tiros no interior de veículo

Mais Lidas

DOURADOS
Coordenadora de Ceim é exonerada e pais fazem abaixo-assinado para tentar mantê-la
POLÍCIA
Investigação vê indícios de relação entre homicídios no Jardim Pantanal e Guanabara
DOURADOS
Assassinado em conveniência já cumpriu pena por tráfico e lavagem de dinheiro
DOURADOS
Upiran entrega carta de demissão a Délia e aguarda substituto para deixar Educação