Menu
Busca sexta, 03 de julho de 2020
(67) 99659-5905

PMDB vê enfraquecimento de Palocci e cobra mudança na articulação política

31 maio 2011 - 10h16

O PMDB quer mudanças na articulação política do Palácio do Planalto e duvida da sobrevivência no cargo do chefe da Casa Civil, Antonio Palocci. O diagnóstico, que atinge em cheio o núcleo político do governo, começou a ser propalado nesta segunda-feira, 30, por líderes do partido como efeito colateral do desgaste provocado pelas cobranças ásperas do Planalto ao partido depois da derrota na votação do Código Florestal. A cúpula peemedebista avalia que houve quebra de confiança na relação com o PT e a presidente Dilma Rousseff.

Foi neste clima que Michel Temer reuniu nesta segunda a bancada do PMDB no Senado para um jantar no Palácio do Jaburu, residência oficial da vice-presidência. Dos 18 senadores do partido, apenas Jarbas Vasconcelos (PE) avisou que não compareceria. Pela manhã, a presidente entregou o cargo interinamente a Temer antes de viajar para o Uruguai.

Havia sido combinado que os dois fariam da ocasião um momento de armistício entre o PMDB e o governo após os sucessivos desencontros de articulação política da semana passada, mas a foto oficial divulgada pela Presidência mostra uma tentativa de um abraço distante.

Apesar dos esforços de reconciliação desencadeados, peemedebistas já começam a discutir como será o reforço na interlocução política do governo. O partido entende que o rearranjo interno já está em curso e que, por isso mesmo, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, ampliou seu raio de ação e ganhou mais peso na interlocução do Planalto.

Personagem. Dirigentes do partido apostam que o ministro da Justiça, José Eduardo Martins Cardozo, entrará em campo nos próximos dias para reforçar o time da interlocução com o Congresso. Será uma solução ad hoc, que vai durar enquanto Palocci estiver "mergulhado".

A própria viagem de Cardozo na comitiva oficial de Dilma ao Uruguai foi considerada um sintoma dessa atribuição informal. Não apenas por conversar bem com o vice Temer, mas pelo conhecimento que tem do Congresso (ele foi deputado) e pelo trânsito fácil junto aos líderes da base aliada, conquistado nos tempos de atuação parlamentar.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MATO GROSSO DO SUL
Índices de roubos e furtos em MS continuam em queda durante isolamento social
INFORME PUBLICITÁRIO
União Pneus é melhor opção de recauchutagem e consertos há quase quatro décadas
INFORME PUBLICITÁRIO
Quero Bolsa oferece até 50% de desconto para estudar na UCDB
SISU 2020
Consulta de vagas do sistema está disponível; inscrições ocorrerão de 7 a 10 de julho
PRÊMIOS
Loteria Federal retoma sorteios amanhã
BRASIL
Pandemia vai afetar todas as áreas da educação no país, diz Inep
MATO GROSSO DO SUL
Povo terena celebra asfalto após 40 anos de luta
CAMPO GRANDE
Justiça concede R$ 300 mil a membros de família sobreviventes de acidente
CORUMBÁ/LADÁRIO
Carros de aplicativos são autuados durante fiscalização
PANDEMIA
Assembleia oficializa calamidade pública em Pedro Gomes, Deodápolis e Ivinhema

Mais Lidas

DOURADOS
Decretos sobre aglomerações, igrejas e comércio terão mais 10 dias de vigência
PANDEMIA
Dourados tem quatro mortes por Covid em 24 horas, uma das vítimas médico
DOURADOS
Comerciante encontra homem morto ao chegar para abrir estabelecimento
20 VEÍCULOS
"Bonde do contrabando" é apreendido abarrotado de produtos do Paraguai