Menu
Busca terça, 26 de março de 2019
(67) 9860-3221

Largada para chegar a novo índice de reajuste do INSS

09 junho 2011 - 17h30

Representantes de aposentados e pensionistas se reúnem hoje com técnicos da Previdência Social, do IBGE, do Dieese e da Fundação Getulio Vargas para iniciar os estudos que estabelecerão o novo índice de reajuste dos benefícios do INSS. O grupo foi definido como “oficina de trabalho”, porque a proposta oficial só ficará pronta no dia 21.

“O encontro é só para discutir critérios de criação do novo índice. Não teremos posição final”, explicou João Batista Inocentini, presidente do Sindicato de Aposentados e Pensionistas da Força Sindical.

A proposta de instituir novo índice ainda não é consenso entre todas as representações de segurados. A Confederação Brasileira de Aposentados e Pensionistas (Cobap) defende percentual único de reajuste, seguindo a correção do salário mínimo — que atinge dois terços dos segurados.

“Da reunião de amanhã (hoje) sairão as bases para corrigir os benefícios futuros do INSS”, explicou Inocentini. O governo aceitou a proposta de estudar novos critérios há um mês, durante negociações com sindicatos e associações da categoria, que pediam a definição de política de reajustes até 2015. Mas líderes de segurados avisam que vão continuar a defender ganho real, além da inflação.

Comparação mostra perdas

A última análise divulgada pelo Dieese a respeito dos índices de inflação comparados mostrou que o IPC-3i-FGV, que analisa os custos da terceira idade desde 1994, acumulou 210,06% até 2009, ante 156,20% do INPC. Os técnicos ressalvam, no entanto, que os reajustes foram superiores para o pessoal que ganha acima do salário mínimo no INSS em alguns períodos (veja tabela comparativa à esquerda).

Em outra frente para reajustar benefícios, o deputado federal Marçal Filho (PMDB-MS) apresentou ontem emenda à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2012, que trata do reajuste das aposentadorias e pensões. A emenda prevê reajuste a partir da inflação mais 80% do Produto Interno Bruto (PIB) para quem ganha acima do piso. “Perdas dos aposentados superam 71% em relação ao mínimo”, justificou Marçal Filho.

INSS não diz quem recebe

A Previdência Social já iniciou cálculos para o pagamento das ações do teto a aposentados afetados pelas emendas 20/1998 e 41/2003, mas não divulga quem receberá. A Dataprev já está enviando dados para calcular o custo total da dívida reconhecida pelo Supremo Tribunal Federal (STF) desde setembro do ano passado.

Há milhares de segurados interessados nos critérios sem informação fundamental: não se sabe se aqueles que se aposentaram desde 1988 terão direito à revisão de até 39,35% e aos atrasados por cinco anos, ou só a partir de 1991. A Justiça mandou o INSS pagar, mas o instituto recorreu.

Fonte: JORNAL O DIA

Deixe seu Comentário

Leia Também

EDUCAÇÃO
Engenharia Civil da Unigran recebe maior autoridade em concreto do país
NOVA ANDRADINA
Avião cai durante tentativa de decolagem em pista de fazenda
IMPOSTO
Palestra com ênfase na cobrança do ICMS acontece hoje em Dourados
SIDROLÂNDIA
Oito dias após acidente de trabalho, vítima morre em hospital
CAGED
Contratações na indústria e serviços gerais deixam Dourados com saldo positivo de emprego
TEMPO
Terça-feira de sol com algumas nuvens em Dourados; não chove
SHOWBIZZ
Lexa curte piscina e mostra boa forma em frente e verso
NOVA ANDRADINA
Homem encontrado no rio Anhanduí era do Paraná e tinha 40 anos
NOTA
Amamsul reage a Dodge para que juízes federais atuem em ações eleitorais
TRÊS LAGOAS
Motorista é preso por furtar calcinhas, deixar bilhetes e filmar mulheres

Mais Lidas

POLÍCIA
Corpo em avançado estado de decomposição é encontrado em Dourados
DOURADOS
Após brigar com a mulher, motorista bêbado invade e destrói oficina na Monte Alegre
DOURADOS
Corpo encontrado no Flor de Maio estava há cerca de 30 dias no local
DOURADOS
Homem é preso após ser flagrado com arma dentro de carro