Menu
Busca terça, 22 de setembro de 2020
(67) 99659-5905
ASSEMBLEIA

Imunidade tributária a hospitais públicos vai à redação final

06 novembro 2019 - 18h50Por Da Redação

Os deputados estaduais da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALEMS) aprovaram, por unanimidade, duas matérias em segunda discussão, durante a Ordem do Dia desta quarta-feira (6). O Projeto de Resolução 49/2019, de autoria do deputado Marçal Filho (PSDB) e coautoria dos deputados estaduais Antônio Vaz (Republicanos), Cabo Almi (PT), Coronel David (PSL), Jamilson Name (PDT), Lidio Lopes (PATRI), Neno Razuk (PTB), Pedro Kemp (PT) e Renato Câmara (MDB), segue agora à redação final, por ter sofrido emendas durante o período de pauta.

O projeto aprova a apresentação à Câmara dos Deputados de uma Proposta de Emenda à Constituição Federal (PEC), para conceder a hospitais públicos, unidades básicas de saúde e de pronto atendimento, imunidade tributária quanto à seguridade social. Para isto acontecer, é necessária a modificação do parágrafo 7º do artigo 195 da Constituição Federal. A proposta é originada no movimento nacional dos Legislativos Estaduais, encabeçado pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina (ALESC).

Marçal Filho, autor da proposta, explicou a realidade dos hospitais brasileiros. “Hoje, os hospitais filantrópicos brasileiros que fazem pelo menos 60% dos atendimentos pelo Sistema Único de Saúde [SUS] têm direito a imunidade fiscal sobre a seguridade social. Já os hospitais públicos, postos de saúde e Unidades de Pronto-Atendimento [UPAs], mesmo atendendo integralmente pelo SUS, não recebem o mesmo benefício”, afirmou o parlamentar.

O segundo projeto aprovado foi o Projeto de Lei 173/2019, de autoria do deputado Evander Vendramini (PP). O projeto regula a realização de testes de aptidão física por candidata gestante em concurso público em Mato Grosso do Sul, de forma que a gestante terá direito à realização das provas de aptidão física em data diversa da prevista em edital. Solicitada a remarcação, a banca realizadora do concurso determinará o dia, o local e o horário para a aplicação das provas em prazo não inferior a 30 dias e não superior a 90 dias da data do término da gravidez. Agora a proposta segue a sanção do governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB).

Também foram aprovadas pelos parlamentares durante a Ordem do Dia desta quarta-feira (6), 23 indicações, cinco Requerimentos, dez Moções de Congratulação e uma Moção de Pesar.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAMPO GRANDE
Detento procura a polícia e diz que foi impedido de entrar em presídio
JUSTIÇA
Criança sob guarda deve ser tratado como filho em plano de saúde
SEU BOLSO
Receita abre amanhã consulta ao quinto e último lote de restituição do IR
COXIM
Idoso é preso após ser visto se masturbando e chamando criança de 8 anos
PEDESTRIANISMO
Pandemia adia Corrida de São Silvestre para julho do ano que vem
TRÁFICO DE DROGAS
Brasileiro monta laboratório de cocaína no Paraguai e é preso
PARANÁ
Traficante Elias Maluco é encontrado morto em presídio federal
CAMPO GRANDE
Corpo de cabeleireiro é encontrado em córrego
REGIÃO
Em Caarapó, prefeitura libera festas, eventos e atividades esportivas em meio a pandemia
DOURADOS
Maconha guardada nos fundos de igreja usada de 'entreposto do tráfico' totaliza 980 kg

Mais Lidas

DOURADOS
Motorista bêbado atropela cinco pessoas que voltavam da igreja no Novo Horizonte
ESTADO
Confraternização em fazenda termina com tragédia após briga familiar
TRAGÉDIA
Bombeiro em Dourados morre durante acidente em Santa Catarina
DOURADOS
Amigos e familiares de entregador morto em acidente pedem que justiça seja feita