Menu
Busca sábado, 23 de fevereiro de 2019
(67) 9860-3221
CPI DA JBS

Deputados intermediam acordo entre Governo e JBS para garantir empregos

17 outubro 2017 - 17h35Por Da redação/ALMS

Atendendo à solicitação de funcionários do Grupo JBS, os deputados estaduais decidiram intermediar acordo entre a empresa e o Governo do Estado para garantir que sejam preservados pelo menos dois mil empregos em Mato Grosso do Sul. Durante reunião com os trabalhadores na presidência da Casa de Leis, após a sessão plenária desta terça-feira (17/10), os parlamentares membros da Comissão Permanente de Inquérito (CPI) das Irregularidades Fiscais e Tributárias do Estado de Mato Grosso do Sul detalharam os trabalhos realizados.

"Tudo o que fizemos foi no sentido de apurar as irregularidades e pedimos judicialmente o bloqueio de bens da empresa porque era o correto a fazer. Agora, cabe à JBS apresentar uma proposta para ressarcir o Estado e firmar esse acordo com o Governo do Estado", afirmou o presidente da CPI, Paulo Corrêa (PR).

Após ouvir os representantes dos trabalhadores, preocupados com a possibilidade de um "efeito cascata" a partir do bloqueio judicial de R$ 730 milhões em recursos e bens do grupo, Corrêa informou que a comissão solicitará ao Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS) uma audiência de conciliação, que deverá reunir representantes do Grupo JBS, Ministerío Público Federal (MPF), Ministerío Público do Trabalho (MPT), Ministério Público Estadual (MPE) e Governo do Estado.

"A CPI foi vitoriosa ao conseguir na Justiça o bloqueio, que é uma forma de garantir que o Estado seja ressarcido. Agora, esses termos podem ser negociados mediante alguma proposta. Vale lembrar que as unidades da JBS estão funcionando normalmente em Mato Grosso do Sul e que a empresa está pleiteando a ampliação dos abates de frango em Dourados e Sidrolândia", complementou Corrêa. 

Vice-presidente da CPI, Eduardo Rocha (PMDB) sugeriu que sejam rediscutidos os termos do acordo de leniência firmado pela empresa com o MPF. "É preciso que fique acordada nacionalmente a garantia de manutenção dos empregos e o ressarcimento dos prejuízos causados pela empresa ao Estado", disse. O presidente da Casa de Leis, Junior Mochi (PMDB), reiterou que a mobilização em Mato Grosso do Sul é referência para o Brasil.

"Este é um momento histórico e a CPI sai na frente ao conseguir o bloqueio dos bens da empresa. Agora, é preciso reunir todas as partes para firmar um acordo que garanta a manutenção dos empregos, o pagamento aos fornecedores e a devolução dos recursos devidos ao Estado ", afirmou. O relator da CPI, Flavio Kayatt (PSDB), deverá apresentar o relatório final dos trabalhos dia 27 de outubro, que será votado pelos parlamentares membros da comissão. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

CONGRESSO
Proposta de reforma da Previdência chega à CCJ da Câmara
Comissão é a primeira etapa da tramitação do texto
INTERNACIONAL
Está mantida ajuda humanitária para Venezuela, diz Bolsonaro
DOURADOS
Relatório aponta Marcelino Pires como a via mais violenta em 2018
SHOWBIZZ
Apenas de meia-calça, Juliana Paes celebra presença no carnaval: "melhor notícia"
FUTEBOL
Fifa tira Mundial Sub-17 do Peru, e Brasil vai sediar a competição
BELA VISTA
Policial perde controle da direção, viatura cai de ponte e pega fogo
COMBUSTÍVEIS
Preço da gasolina nas bombas cai pela 18ª semana seguida, diz ANP
MEIO AMBIENTE
PMA captura tamanduá-bandeira em quintal de residência em Coxim
EDUCAÇÃO
UFGD divulga os aprovados na 5ª chamada do Vestibular 2019
COXIM
Policial civil invade emissora de rádio e agride entrevistado

Mais Lidas

DOURADOS
Trio é preso após tentar repetir furto em loja do shopping
SIDROLÂNDIA
Colisão entre motos termina com jovem morto
DOURADOS
Desconhecido pede água, invade residência e ameaça mulher de morte para furtar celular
CAMPO GRANDE
Interno é encontrado morto dentro de cela de presídio