Menu
Busca sexta, 17 de agosto de 2018
(67) 9860-3221
CPI DA JBS

Deputados intermediam acordo entre Governo e JBS para garantir empregos

17 outubro 2017 - 17h35Por Da redação/ALMS

Atendendo à solicitação de funcionários do Grupo JBS, os deputados estaduais decidiram intermediar acordo entre a empresa e o Governo do Estado para garantir que sejam preservados pelo menos dois mil empregos em Mato Grosso do Sul. Durante reunião com os trabalhadores na presidência da Casa de Leis, após a sessão plenária desta terça-feira (17/10), os parlamentares membros da Comissão Permanente de Inquérito (CPI) das Irregularidades Fiscais e Tributárias do Estado de Mato Grosso do Sul detalharam os trabalhos realizados.

"Tudo o que fizemos foi no sentido de apurar as irregularidades e pedimos judicialmente o bloqueio de bens da empresa porque era o correto a fazer. Agora, cabe à JBS apresentar uma proposta para ressarcir o Estado e firmar esse acordo com o Governo do Estado", afirmou o presidente da CPI, Paulo Corrêa (PR).

Após ouvir os representantes dos trabalhadores, preocupados com a possibilidade de um "efeito cascata" a partir do bloqueio judicial de R$ 730 milhões em recursos e bens do grupo, Corrêa informou que a comissão solicitará ao Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS) uma audiência de conciliação, que deverá reunir representantes do Grupo JBS, Ministerío Público Federal (MPF), Ministerío Público do Trabalho (MPT), Ministério Público Estadual (MPE) e Governo do Estado.

"A CPI foi vitoriosa ao conseguir na Justiça o bloqueio, que é uma forma de garantir que o Estado seja ressarcido. Agora, esses termos podem ser negociados mediante alguma proposta. Vale lembrar que as unidades da JBS estão funcionando normalmente em Mato Grosso do Sul e que a empresa está pleiteando a ampliação dos abates de frango em Dourados e Sidrolândia", complementou Corrêa. 

Vice-presidente da CPI, Eduardo Rocha (PMDB) sugeriu que sejam rediscutidos os termos do acordo de leniência firmado pela empresa com o MPF. "É preciso que fique acordada nacionalmente a garantia de manutenção dos empregos e o ressarcimento dos prejuízos causados pela empresa ao Estado", disse. O presidente da Casa de Leis, Junior Mochi (PMDB), reiterou que a mobilização em Mato Grosso do Sul é referência para o Brasil.

"Este é um momento histórico e a CPI sai na frente ao conseguir o bloqueio dos bens da empresa. Agora, é preciso reunir todas as partes para firmar um acordo que garanta a manutenção dos empregos, o pagamento aos fornecedores e a devolução dos recursos devidos ao Estado ", afirmou. O relator da CPI, Flavio Kayatt (PSDB), deverá apresentar o relatório final dos trabalhos dia 27 de outubro, que será votado pelos parlamentares membros da comissão. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

FAMOSOS
Gracyanne Barbosa ousa em posição e deixa bumbum em evidência
ASSEMBLEIA
Projeto aprovado eleva Comarca de Rio Verde à categoria de segunda entrância
TECNOLOGIA
Anatel abre consulta pública sobre uso de faixa de frequência para 5G
JUCEMS
MS abriu mais de 500 empresas em julho
FLAGRANTE
Polícia prende em Corumbá foragido da Justiça do Maranhão
ELEIÇÕES 2018
TSE nega participação de Lula em debate na TV amanhã
ESPECIALIZAÇÃO
IFMS abre matrícula para especialização em Docência para Educação Profissional
ENSINO SUPERIOR
Estudantes que vão concluir graduação já podem se cadastrar no Enade 2018
REAJUSTE SALARIAL
Frentistas de MS tentam reajuste salarial desde 1º de março
COTAÇÕES
Dólar tem leve alta e volta ao patamar de R$ 3,90 com incerteza eleitoral

Mais Lidas

DOURADOS
Madrasta de criança morta é autuada por homicídio
DOURADOS
Além da madrasta, delegado autua o pai e ambos responderão pela morte de criança
DOURADOS
Criança de 1 ano teve trauma no tórax e laceração hepática
DOURADOS
Criança possuía lesões na cabeça e pescoço e polícia investiga o caso