Menu
Busca terça, 25 de setembro de 2018
(67) 9860-3221
ASSEMBLEIA

Deputados debatem reforma e pedem “abertura de caixa-preta da previdência”

08 novembro 2017 - 19h50Por Da Redação

A proposta de reforma da previdência estadual em tramitação na Assembleia Legislativa pelo Projeto de Lei 253/2017, foi tema de debate pelos deputados estaduais durante sessão ordinária desta quarta-feira (8/11). Amarildo Cruz (PT) subiu à tribuna e questionou o projeto do Governo do Estado por não apresentar as tabelas de cálculos que confirmem a necessidade das alterações.

“O Executivo tem que abrir essa caixa-preta que é a previdência. Não provou com cálculos por ‘a’ mais ‘b’ que precisamos fazer essas alterações. Os servidores já tiveram perdas salariais sem reajuste real e agora querem aumentar a alíquota de contribuição de 11% para 14%? Isso é um retrocesso no salário, nas conquistas e nos direitos”, criticou Amarildo. O parlamentar ainda questionou o fato de o projeto definir um fundo único para os recursos da aposentadoria, unificando o atual deficitário com um fundo superavitário criado em 2012 que já conta com mais de R$ 400 milhões.

De acordo com os números passados pelo Governo do Estado aos deputados, os ajustes previstos no projeto de reorganização do sistema previdenciário estadual preveem a redução do déficit mensal de R$ 83,7 milhões para R$ 48,6 milhões. “Querem pegar esses mais de R$ 400 milhões que seriam para a aposentadoria dos que trabalham hoje e quitar as contas do Estado que estão no vermelho. Se antes existia uma expectativa de que esse superávit cobriria o défict da previdência no prazo de 10 anos, com essa unificação dos fundos acaba com toda a possibilidade. O servidor tem o direito de questionar o que vão fazer com seu diheiro e nem isso estão permitindo também retirando do projeto as decisões via Fórum de Servidores e deixando para que as secretarias estaduais decidam o que fazer após aprovação”, explicou o deputado Amarildo Cruz.

Para o deputado Paulo Corrêa (PR), o Fórum não foi excluído, mas a Assembleia Legislativa foi valorizada ao mandar o projeto para apreciação e discussão entre os deputados, que representam todo o povo sul-mato-grossense. “Não haverá votação no afogadilho, pelo contrário, vamos sentar e discutir com todas as categorias”, afirmou. O deputado Cabo Almi (PT) questionou a pressa. “Por que o Estado está correndo contra o tempo para aprovar uma reforma que ainda nem foi efetivada em âmbito nacional? Nós temos que discutir muito esse projeto para que os servidores não sejam muito prejudicados pelos erros do passado”, afirmou.

O líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Professor Rinaldo (PSDB), garantiu que o projeto será amplamente discutido, mas que todos os estados já estão se adequando à nova lei trabalhista que entra em vigor dia 11 de novembro.  “O Brasil do jeito que está não aguentará. Em 20 anos, com menos filhos e mais sobrevida, quem vai pagar a conta? Não vamos deixar de debater, com transparência, mas é preciso reformar”, disse.  

Com mais de 70 mil contribuintes ao MS Prev, o deputado Zé Teixeira (DEM) concordou com o Rinaldo e disse que a reforma é necessária. “Eu já vi países levarem a previdência à falência. Eu respeito direitos adquiridos, mas é preciso debater para que isso não aconteça também com o Brasil, se hoje não se está aguentando pagar nem o 13º salário. Alguém precisa ter a coragem e reformar e vamos discutir com responsabilidade”, enfatizou.

Ainda em aparte, o deputado João Grandão (PT) disse que a preocaução para o equilíbrio das contas do Governo devem vir desde a aprovação do Orçamento Estadual. “Por isso eu insisto tanto no debate das leis do orçamento, para termos conhecimento de causa de todas as finanças do Governo e não se ter o contragimento social que se está tendo hoje”, reiterou. Para o deputado Dr. Paulo Siufi (PMDB) é momento de procurar uma solução. “Precisamos achar um meio termo que fique dentro da legalidade. Qualquer coisa a gente investiga mais a fundo a necessidade em uma CPI [Comissão Parlamentar de Inquérito]”, registrou.

A bancada do PT informou que apresentará um requerimento pedindo uma audiência pública para debater mais a reforma antes da análise do projeto e que pedirá a vinda de representantes do Fórum de Servidores Públicos Estaduais, da Secretaria de Estado de Administração e da Agência de Previdência de Mato Grosso do Sul para debaterem com os deputados estaduais.

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAPITAL
Com suspeita de tuberculose, idosa espera vaga em hospital há 5 dias
PROGRAMA
Governo lança plano para reduzir à metade nº de mortos no trânsito
ANASTÁCIO
Após engravidar do pai, adolescente dá à luz e decide criar bebê
ELEIÇÕES 2018
TSE aceita registro de candidatura de Haddad à Presidência
EDUCAÇÃO
ProfLetras de Dourados abre processo seletivo para alunos regulares
PANTEÃO
Toffoli inclui nome de Miguel Arraes no Livro dos Heróis da Pátria
FACILIDADE
Detran/MS passa a oferecer opção de parcelamento de dívidas no cartão
ROTINA
Presidenciável Ciro Gomes é internado em hospital de São Paulo
ECONOMIA
Início do horário de verão é confirmado para o dia 04 de novembro
LEGISLATIVO
Câmara de Dourados aprova Programa de Recuperação Fiscal durante sessão ordinária

Mais Lidas

DOURADOS
Adolescente é encontrado baleado na rua e morre no HV
DOURADOS
Justiça mantém flagrante, mas concede liberdade a suspeita de alterar cena do crime
DOURADOS
Polícia encontra bilhete com “mula” e fecha entreposto de drogas no Estrela Porã
OPERAÇÃO REMAKE
Gaeco cumpre mandados e apura desvio de R$ 670 mil em sindicato