Menu
Busca sábado, 19 de janeiro de 2019
(67) 9860-3221
POLÍTICA

Deputados aprovam revisão anual dos servidores estaduais

Deputados aprovam revisão anual dos servidores estaduais

27 setembro 2017 - 15h00Por Da Redação

Os deputados estaduais aprovaram quatro projetos do Executivo Estadual durante a sessão plenária desta quarta-feira (27/9). Em segunda discussão, com pareceres favoráveis das Comissões de Serviços Públicos, Obras, Transporte, Infraestrutura e Administração e Finanças e Orçamento, o Projeto de Lei (PL) 208/2017 dispõe sobre a revisão geral anual dos vencimento-base ou do subsídio e dos eventos, constantes no anexo da lei, que compõem a remuneração dos servidores públicos do Estado.

Já o Projeto de Lei Complementar (PLC) 9/2017, altera a redação e acrescenta dispositivos à Lei Complementar 87, de 31 de janeiro de 2000. Conforme justificativa do Executivo, a matéria tem por objetivo atender à solicitação dos profissionais do magistério público da Educação Básica, por intermédio da Federação dos Trabalhadores em Educação de MS (Fetems), referente à equivalência salarial de 100% do valor fixado pelo Ministério da Educação (MEC), como Piso Salarial Profissional para os trabalhadores do Magistério.

Também em segunda, com pareceres favoráveis das Comissões de Serviço Público, Obras, Transporte, Infraestrutura e Administração e de Segurança Pública e de Defesa Social, foi aprovado o PLC 7/2017, do Executivo, que altera a redação e acrescenta dispositivo à Lei Complementar 53, de 30 de agosto de 1990, que dispõe sobre o Estatuto dos Militares do Estado de MS.

Em primeira, foi aprovado o PL 187/2017, do Tribunal de Contas de MS, que altera, acrescenta e revoga dispositivos da Lei 3.877, de 31 de março de 2010, que dispõe sobre a consolidação do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração do Quadro de Pessoal do Tribunal de Contas de MS. A justificativa é de que a matéria valoriza os trabalhadores do órgão e garante a adequada progressão funcional dos servidores, não apenas com base no tempo de serviço, mas principalmente por critérios de mérito e produtividade, com desempenho superior a 70% na avaliação de desempenho.

Outras quatro proposições foram aprovadas em discussão única. Com parecer da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) favorável à rejeição, os deputados analisaram o veto total do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) ao PL 133/2017, de Beto Pereira (PSDB) e Pedro Kemp (PT), que regulamenta o sistema de inclusão e exclusão dos consumidores nos cadastros de proteção ao crédito. O assunto foi tema de debates ontem (26/9), na Casa de Leis. O veto foi mantido e a proposta, arquivada.

Já com parecer favorável da CCJR, foram aprovados os Projetos de Resolução (PRs) 42 e 43, de Dr. Paulo Siufi (PMDB), Junior Mochi (PMDB) e Paulo Corrêa (PR). As proposições concedem Título de Cidadão Sul-mato-grossense ao padre Marcelo Tenório de Almeida e ao ministro Renato de Lacerda Paiva, corregedor-geral da Justiça do Trabalho.

Deixe seu Comentário

Leia Também

INTERNACIONAL
Explosão de oleoduto no México deixa pelo menos 20 mortos
OPORTUNIDADE
Projovem Urbano está com processo seletivo aberto para profissionais da área de educação
IVINHEMA
Homem denuncia roubo e moto é recuperada rapidamente
SEGURANÇA PÚBLICA
Ação policial "sitia" fronteira para evitar ataques criminosos
BRASIL
"Estou do lado da verdade", diz repórter que acusa Datena de assédio sexual
DOURADOS
Empresários pedem melhorias na geração de energia no Distrito Industrial
FUTEBOL
São Paulo e Santos entram em campo hoje no início do Paulistão
DOURADOS
Movimento prepara “carta de cassação” contra vereadores investigados por corrupção
BRASIL
OMS lista as 10 principais ameaças para a saúde em 2019
CRIME AMBIENTAL
"Pescadores ninjas" tentam afundar embarcação e fogem de abordagem

Mais Lidas

POLÍCIA
Rapaz é preso acusado de realizar ‘disk-droga’ em Dourados
DOURADOS
Investigado por corrupção, Idenor Machado volta a ser preso
FAKE NEWS
Eleandro Passaia é chamado para depor em caso de morte de jogador Daniel
DOURADOS
Consumidores reclamam dos valores nas contas e prometem protesto contra a Energisa