Menu
Busca quinta, 19 de abril de 2018
(67) 9860-3221
BANNER CRA
SELIC

Copom inicia hoje reunião com expectativa de corte menor nos juros

24 outubro 2017 - 11h32Por Agência Brasil

O Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central (BC) inicia nesta terça-feira, dia 24 de outubro, a penúltima reunião deste ano, com expectativa de nova redução na taxa básica de juros, a Selic. Entretanto, esse corte deve ser menor do que os anteriores, como vem indicando o BC.

Para as instituições financeiras consultadas pelo BC, a expectativa é de um corte de 0,75 ponto percentual para 7,5% ao ano. Atualmente, a Selic está em 8,25% ao ano. Para o mercado, a taxa encerrá 2017 em 7% ao ano. A última reunião de 2017 do comitê está marcada para os dias 5 e 6 de dezembro.

Na última reunião do Copom, em setembro, a Selic foi reduzida pela oitava vez consecutiva. Assim, a taxa chegou ao menor nível desde outubro de 2013, quando estava em 9% ao ano.

O atual ciclo de cortes começou em outubro de 2016, com redução de 0,25 ponto percentual. Em novembro foi feito um novo corte de 0,25 ponto percentual. Em janeiro e fevereiro deste ano, o Copom aumentou os cortes para 0,75 ponto percentual. Nas reuniões seguintes, em abril, maio, julho e setembro, o comitê acelerou o ritmo de cortes para 1 ponto percentual.

Em setembro, por conta da inflação mais baixa, o Copom avaliou como adequada uma “redução moderada” nos próximos cortes da Selic e informou que “antevê encerramento gradual do ciclo”. Por isso, as instituições financeiras não esperam por novas reduções da Selic no próximo ano. Para o mercado, a previsão é de que a taxa será mantida em 7% ao ano, em 2018.

Em setembro, as instituições financeiras chegaram a prever inflação abaixo do teto da meta, que é de 3%. A projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) chegou a 2,97%. Atualmente, essa estimativa está em 3,06%.

A meta de inflação, que deve ser perseguida pelo BC, tem como centro 4,5%, limite inferior de 3% e superior de 6%. Quando a inflação fica fora desses limites, o BC tem que elaborar uma carta aberta ao ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, explicando os motivos do descumprimento da meta.

A Selic é um dos instrumentos usados para influenciar a atividade econômica e consequentemente a inflação. Quando o Copom diminui os juros básicos, a tendência é de que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo.

Amanhã (25), após a segunda parte da reunião, às 18h20, o BC anunciará a sua decisão sobre a taxa Selic.

Deixe seu Comentário

Leia Também

NOVA ANDRADINA
Acidente com linha de cerol deixa motociclista gravemente ferida
JUSTIÇA
Paciente ganha direito de fazer exame para tratamento de câncer
ITAPORÃ
Ciclista atropelado na MS-156 era morador em Dourados
ECONOMIA
Dólar fecha em alta e volta a encostar em R$ 3,40
O dólar fechou em alta nesta quinta-feira (19), voltando a se aproximar de R$ 3,40, após cair por três dias consecutivos. O dia foi marcado pela agenda esvaziada, o que jogou a atenção dos investidores para a cena política local.
TRÁFICO DE DROGAS
Acampamento ‘distribuidor’ de droga é destruído na fronteira
CAMPO GRANDE
Feto abandonado em quintal de residência é alvo de investigação da polícia
CARGA TRIBUTÁRIA
Simplificação do PIS/Cofins deve ir ao Congresso em maio, diz ministro
FACILIDADE
Banco Central estuda criar sistema de pagamento instantâneo
BARBÁRIE
Tio e sobrinhos são condenados em mais de 55 anos de prisão por matar homem a pedradas
LEVANTAMENTO
Câncer é a principal causa de morte em dois municípios de MS

Mais Lidas

ITAPORÃ
Mortos em troca de tiros após assalto eram de Dourados
SEGURANÇA PÚBLICA
Em comunicado, PCC convoca integrantes para “alerta geral”
TENSÃO EM MS
Presos tentam impedir pente-fino na PED, mas agentes fazem ‘limpa’
DOURADOS
Após invadir Ceim, dupla ameaça vigia de morte e rouba equipamentos