Menu
Busca quinta, 18 de abril de 2019
(67) 9860-3221
DEPUTADOS

Câmara aprova bloqueio de bens de investigados por terrorismo

12 fevereiro 2019 - 21h35Por Agência Brasil

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira, dia 12 de fevereiro, a primeira medida da legislatura: o projeto de lei que determina o cumprimento imediato, pelo país, de sanções impostas pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU) relacionadas ao crime de terrorismo, principalmente o bloqueio de ativos. O texto segue para análise do Senado.

Encaminhado pelo Executivo no ano passado, o PL 10431/18 tem como objetivo a prevenção e o combate ao terrorismo, incluindo a lavagem de dinheiro e o financiamento de atos ou grupos terroristas. 

Para que fosse aprovado, o relator do texto, deputado Efraim Filho (DEM-PB), retirou trechos do projeto considerados “ofensivos à soberania nacional” por parlamentares da oposição. O projeto prevê o bloqueio imediato de bens de empresas e de pessoas associadas ao terrorismo e também a proliferação de armas de destruição em massa. 

Atualmente, a legislação brasileira já prevê o bloqueio de bens, que é determinado por meio de autorização judicial, o que segundo a ONU, deixa o processo demorado. O novo dispositivo prevê que o bloqueio seja homologado pelo Executivo.

O relator também excluiu do texto dois dispositivos que davam ao Ministério da Justiça e ao Ministério de Relações Exteriores a prerrogativa de decidir qual brasileiro poderia ter seu nome incluído em lista do Conselho de Segurança da ONU, sem prévia ordem judicial, destinada a indicar ativos passíveis de bloqueio por acusação de participação em atos de terrorismo ou seu financiamento. 

A recomendação para a medida veio do Grupo de Ação Financeira (Gafi), que reúne 35 países. Em 2010, o grupo apontou deficiências na legislação brasileira e as medidas necessárias para a correção. Vários aspectos legais foram solucionados, exceto a legislação sobre o bloqueio de bens. Como já foi advertido, o país pode sofrer sanções da ONU caso não reveja a lei.

Após a votação, o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), descartou que a medida se trate de criminalização de movimentos sociais, mas de "sanções da ONU, ao qual o Brasil é signatário". "A ONU nunca vai criminalizar movimento social, até porque eles não têm nem essa força do ponto de vista jurídico no nosso país", disse.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SIDROLÂNDIA
Polícia apreende mais de 1t de maconha em veículo furtado
INTERNACIONAL
Rússia confirma primeiro encontro entre Putin e Kim Jong-un
JUDICIÁRIO
Juiz de Dourados será empossado desembargador na próxima quarta
DOURADOS
Consumidores lotam estabelecimentos em busca de peixes para o feriado
DOURADOS
Corpo desovado no IV Plano é de homem que matou e jogou mulher dentro de poço há 6 anos
DOURADOS
Ladrão cai do telhado após tentar fugir da polícia
FAMOSOS
Patricia Poeta posta foto sem maquiagem e ganha elogios: "Maravilhosa"
RIO BRILHANTE
Veículo roubado no Rio de Janeiro é recuperado em MS
TRÁFICO
Homem é preso tentando levar maconha dentro de travesseiro
DELAÇÃO
Justiça suspende ação contra Puccinelli e depoimentos de donos da JBS

Mais Lidas

AEDES AEGYPTI
Em situação de emergência, Dourados confirma terceira morte por dengue
DOURADOS
Contratadas em grupo de whats “só maloqueiros”, mulheres são presas por tráfico
TRÁFICO
Avião suspeito de ser usado no tráfico é apreendido após sair de MS
DOURADOS
Menores são detidos traficando cocaína e com bicicleta furtada