Menu
Busca sábado, 16 de fevereiro de 2019
(67) 9860-3221
CIFRA NEGRA

“Braço-forte” de Idenor buscou propina de R$ 21 mil em espécie na Capital

14 fevereiro 2019 - 08h05Por Vinicios Araújo

O ex-servidor da Câmara de Vereadores de Dourados, Alexsandro de Oliveira de Souza, “braço-forte” de Idenor Machado (PSDB), chegou a buscar em uma única viagem a Campo Grande propina no valor de R$ 21 mil em espécie. 

Segundo denúncia sigilosa do Ministério Público Estadual à Justiça, no âmbito da Operação Cifra Negra, ao qual o Dourados News teve acesso, Alexsandro era responsável por receber os valores destinados ao vereador Idenor Machado.

Os pagamentos eram feitos via depósito em conta e também ocorriam pessoalmente, na sede da empresa Quality em Campo Grande. O dinheiro fruto de propina era entregue diretamente das mãos do empresário Denis da Maia ao ex-servidor.

Segundo o MPE, foram descoberto 12 depósitos realizados pela empresa investigada nas contas de Alexsandro, totalizando o montante de R$ 53.600,00.

Todos os repasses eram feitos com valor inferior a R$ 10 mil, o que para os promotores Etéocles Brito, Ricardo Rotunno e Luiz Gustavo Camacho Terçariol, tinha o objetivo de ocultar as ações e a ilicitude do dinheiro ao Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras).

Para intermediar as transações e como ajuda de custo, Alexsandro recebia, por viagem, pagamentos de R$ 2 mil. 

A denúncia revelou também que após a exoneração do assessor de Idenor Machado, o serviço de recebimento e repasse da propina ficou nas mãos de Cirilo Ramão, vereador pelo MDB e pastor evangélico.

Ontem (13) o Dourados News mostrou que o MPE incluiu na denúncia 14 pessoas, entre eles empresários, vereadores e ex-servidores da Casa de Leis. 

Eles são acusados de fraude em licitações e formação de organização criminosa, com agravante pela participação de funcionário público. 

O esquema de corrupção em contratos licitatórios na Câmara de Dourados que resultou na Operação Cifra Negra, desencadeada em 5 de dezembro do ano passado no município, pode ter resultado no pagamento de quase R$ 800 mil em propinas aos vereadores envolvidos [Idenor Machado (PSDB), Pedro Pepa (DEM), Cirilo Ramão (MDB) e o ex-vereador Dirceu Longhi (PT)].

Deixe seu Comentário

Leia Também

UAU
Flávia Alessandra mantém feed de tirar o fôlego e capricha nas fotos
CAMPO GRANDE
Jovem é preso por filmar corpos de assaltantes mortos por PM
JUSTIÇA
Condenado por roubo a mulher grávida tem pena aumentada em dois anos
DICAS
Portal do MS traz série de matérias sobre o concurso da educação
COSTA RICA
Polícia faz cerco e prendem quadrilha especializada em furtos rurais
ECONOMIA
Gasolina recua pela 17ª vez e atinge menor preço em 13 meses
DESEMBARGADORA
STF nega pedido de liminar e Tânia Borges continua afastada
UFGD
Clube da Leitura' retorna, com 'As Meninas', de Lygia Fagundes Telles
SONORA
Assessor de Câmara Municipal é detido suspeito de bater na esposa
PRAZO
Abertas inscrições para curso de Processo Civil da Escola de Magistratura

Mais Lidas

DOURADOS
Homem que tramou assassinato de empresário tentou se matar antes de ser levado à PED
PORTE E POSSE DE ARMA
Justiça concede HC a empresário que teve morte encomendada pela mulher
DOURADOS
Envolvidos na trama contra empresário são transferidos à PED
AMAMBAI
Douradense é preso com mais de 1 tonelada de maconha em veículo roubado