Menu
Busca sexta, 22 de novembro de 2019
(67) 9860-3221

1ª Câmara julga 33 processos e total de impugnações soma R$ 186 mil

15 junho 2011 - 08h41

Durante a Sessão da 1ª Câmara do Tribunal de Contas do Estado (TCE/MS), realizada nesta terça-feira (14.06), os conselheiros Iran Coelho das Neves, José Ricardo Pereira Cabral, conselheiro substituto Joaquim Martins de Araújo Filho e o representante do Ministério Público de Contas, João Antônio de Oliveira Martins Júnior, julgaram 32 processos, dos quais nove foram considerados irregulares totalizando 690 Uferms, em multas aplicadas.

O conselheiro José Ricardo Pereira Cabral relatou o processo de n° 3726/2009 referente ao contrato firmado entre a Prefeitura de Porto Murtinho e a empresa Paulo lima Pinheiro – ME para prestação de serviços de manutenção, reparos mecânicos e elétricos nos veículos pertencentes à Prefeitura, sendo constatada irregularidade na etapa de execução do contrato.

De acordo com o processo, “a autoridade responsável não apresentou qualquer documentação que tivesse o condão de sanar a referida irregularidade, demonstrando total descaso com as normas desta Corte de Contas”. O conselheiro José Ricardo Pereira Cabral aplicou multa ao prefeito de Porto Murtinho, Nelson Cintra Ribeiro no valor equivalente a 100 Uferms e o impugnou com a quantia de R$ 177.250,00 referente a ausência da liquidação da despesa contratual.

Já no processo de n° 3376/2007 referente ao contrato administrativo celebrado entre a Prefeitura de Dourados e a DZM Comunicação e Eventos Ltda., para a prestação de serviços de publicidade aos órgãos da administração direta, referente a elaboração de campanhas publicitárias, informativas, educativa e de utilidade pública foi detectada irregularidade e ilegalidade na execução financeira.

O conselheiro relator Iran Coelho aplicou multa à ordenadora de despesas à época, Dalva de Melo Gonçalves no valor de 50 Uferms e a impugnou na quantia equivalente a R$ 8.781,40 em face de pagamentos realizados sem respaldo legal, acima do valor pactuado pelas partes, com o prazo de 60 dias para a comprovação do recolhimento ao cofre público municipal.

Após publicação no Diário Oficial Eletrônico do TCE/MS, os gestores dos respectivos órgãos jurisdicionados poderão entrar com pedido de recurso, revisão e/ou reconsideração, conforme os casos apontados nos processos.

Deixe seu Comentário

Leia Também

OPERAÇÃO
Quadrilha suspeita de assaltos a fazendas é desarticulada em MS
POLÍTICA
‘Governo Presente’ atende 7 municípios em Dourados nesta sexta-feira
DOURADOS
Ladrão estoura janela e faz “limpa” em casa no Bonanza
FLAGRANTE
Homem é preso em MS com moto furtada no Paraná
ECONOMIA
Índice de Desempenho Industrial de MS completa 17 meses acima dos 50 pontos
LAGUNA CARAPÃ
Perseguição termina com mais de 1t de maconha apreendida
COMER BEM
Panetones com chocolate de verdade: o que a Cacau Show preparou para o Natal 2019?
JARDIM SÃO PEDRO
Zelador encontra maconha ao limpar terreno de prédio público
PARADESPORTO
MS assegura mais 19 medalhas nas Paralimpíadas Escolares, em São Paulo
DOURADOS
Reconstituição de crime buscará respostas a três questões antes de júri popular

Mais Lidas

DOURADOS
Carro desgovernado faz 'strike' em motociclistas na avenida Indaiá; veja vídeo
ACIDENTE
Vídeo mostra momento em que helicóptero cai na fronteira; confira
FRONTEIRA
Helicóptero que retornava de operação cai em Pedro Juan Caballero
POLÍCIA
Após ter perdido olho em agressão, homem procura polícia para denunciar tentativa de homicídio no Flórida