Menu
Busca quinta, 27 de fevereiro de 2020
(67) 9860-3221
PMA E MARINHA DO BRASIL

Operação conjunta termina com 13 embarcações apreendidas em MS

30 outubro 2017 - 14h35Por Da redação

Policiais Militares Ambientais de Dourados realizaram uma operação conjunta com a Marinha do Brasil nos rios Brilhante e Dourados, autuando dois pescadores, apreendendo 13 embarcações e 13 motores de popa. Ao todo foram fiscalizadas 35 embarcações e 20 acampamentos de pescadores.

A fiscalização ocorreu no sábado (28), quando os Policiais Militares autuaram dois pescadores por pescarem sem licença ambiental. Os infratores, de 27 e 48 anos, não tinham capturado nenhum pescado ainda. 

Foram apreendidas duas carretilhas com varas. Os infratores, residentes em Deodápolis, foram multados em R$ 300 cada um. A pesca sem licença não é crime ambiental.

Durante a operação, a Marinha do Brasil apreendeu 13 embarcações e 13 motores que estavam com documentações irregulares, além de notificar 26 pessoas por falta de uso de coletes.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

ESPORTES
Atlético-MG anuncia a demissão do técnico Rafael Dudamel
EDITAL
Edital Uniodonto
RUA MONTE ALEGRE
Mulher tem casa invadida e ‘limpa’ em furto na Vila Planalto
DOURADOS
Com mais de R$ 60 mil acumulados, homem é preso por não pagar pensão
AQUIDAUANA
Trio é preso com carro furtado após atropelar motociclista
LOTERIA
Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 200 milhões nesta quinta-feira
ECONOMIA
Sefaz-MS disponibiliza página de autoatendimento do IPVA na internet
PEDRO JUAN
Rapaz de 29 anos desaparece e carro é encontrado queimado na fronteira
FUTEBOL
Águia Negra é goleado em SP e se despede da Copa do Brasil
EDUCAÇÃO
Fies: candidatos já podem acessar resultados no site do programa

Mais Lidas

MULTIDÃO
Carnaval na praça central de Dourados termina em ‘confusão e sujeira’
DOURADOS
Mulher tenta sair de mercado com quase R$ 700 em compras sem pagar
INVESTIGAÇÃO
Ex-prefeito de Amambai foi morto após discussão por desacordo trabalhista
PONTA PORÃ
Estado monitora caso suspeito de Coronavírus na fronteira